Fechar

logo
logo

Fechar

12 acordos!

Alexandre Moura. Publicado em 1 de outubro de 2021 às 9:35

A EMBRAER – Empresa Brasileira de Aeronáutica – terceira maior fabricante de aviões do mundo (fica atrás apenas da europeia Airbus e da americana Boeing) – através da “EMBRAER X” (subsidiária de inovação da empresa) entrou com o “pé direito” no mercado de “carros voadores” (do modelo eVTOL – aeronaves elétricas de pouso e decolagem vertical) com sua Startup “Eve”, que tem sede no “Vale do Silício”, Estados Unidos.

Só este ano, foram fechados “12 acordos de comercialização” dos “Carros Voadores Eve”, com diversas empresas de vários países (inclusive do Brasil), sendo o último (o 12º), com a empresa inglesa “Bristow” (especializada em transporte por helicópteros) que acertou a compra de 100 carros voadores, para entrega em 2026.

A “aposta” da EMBRAER faz todo sentido, visto que esse mercado tem previsão (feita por especialistas em aviação do banco americano Morgan Stanley) de estar movimentando “R$ 5 trilhões”, em nível mundial, em 2040.

Em breve: “Internet 5G”

Caso não haja nenhum imprevisto, no próximo dia 4 de novembro, vai acontecer o “leilão das quatro faixas de radiofrequências (700 MHz, 2,3 GHz, 3,5 GHz e 26 GHz)”, da chamada Internet 5G (de Quinta Geração).

Segundo a ANATEL – Agência Nacional de Telecomunicações, a “5G vai proporcionar uma conexão de Internet móvel mais rápida, ágil e econômica”.

Mas não é só isso. Haverá também, um impacto gigante (ainda não totalmente dimensionado em sua amplitude social e em vários setores da economia). Por exemplo, o “mundo será outro”, na Telemedicina (cuja demanda cresceu, rapidamente, durante a pandemia), no Agronegócio (vai facilitar muito o uso de IoT – Internet das Coisas, nos equipamentos agrícolas e na pecuária em geral), na Educação e na Comunicação Social (Rádios e TVs).

Nas Rádios e TVs, vai impactar fortemente, a questão técnica e de custo operacional, pois será o “começo do fim” (isso é uma previsão em médio prazo) da necessidade dos “transmissores e antenas” existentes hoje, que serão substituídos pela Internet – o que já vem acontecendo, mas com restrições, devido à qualidade técnica da rede atual – pois a 5G será até 100 vezes, mais rápida que a 4G utilizada atualmente em algumas regiões do Brasil.

Pelo edital, o objetivo do Governo Federal é já ter em julho do ano que vem as 26 capitais e o Distrito Federal, com cobertura 5G.

Plataforma Mynt

O “BTG Pontual” será o primeiro banco brasileiro a lançar uma “plataforma própria de criptomoedas”. Denominada de “Plataforma Mynt”, a ideia é ter presença forte, com base na credibilidade da marca “BTG”, conquistando clientes que queiram investir no mercado de “criptoativos”, mas que ainda “desconfiam” deste tipo de investimento.

Desde o primeiro trimestre deste ano, o banco opera um fundo especifico de investimentos em bitcoins e tudo indica que a experiência deu resultado e a diretoria agora, resolveu dar um passo bem maior, criando a Mynt.

No lançamento, a “Plataforma do BTG” vai trabalhar somente com as mais conhecidas criptomoedas “ethereum” e a pioneira “bitcoin”.

O planejamento prevê oferecer a opção para alguns clientes selecionados e posteriormente, a depender do resultado, aos demais clientes. Segundo informações da “ABCripto – Associação Brasileira de Criptoeconomia”, esse é um mercado em crescimento e que nos primeiros oito meses de 2021, R$ 25 bilhões já foram investidos em criptomoedas.

É sem dúvida, uma aposta alta do BTG e de grande risco. Vamos ver os resultados.

Inovação no setor de Segurança Pública

Matéria publicada no Portal “Defesanet” (www.defesanet.com.br) apresenta “cinco tendências em inovação para o setor de segurança pública”, que as “Cidades Inteligentes” estão adotando para melhor proteger seus cidadãos.

De acordo com a reportagem, a primeira Inovação é o “Vídeo Analítico” (“sistema de monitoramento contínuo com vídeos capazes de realizar uma análise em tempo real, do que está sendo filmando”);

A segunda é o uso de “Drones” (“para acompanhamento de ocorrências, mapeamento de movimentação e perseguição de suspeitos”);

A terceira Inovação é o uso de “Semáforos Inteligentes” (“equipamentos capazes de contabilizar o número de veículos que cruzam uma região em determinada hora do dia, permitindo desta forma, manter uma via aberta pelo tempo necessário para estabilizar o fluxo, evitando congestionamentos em horários de pico”);

A quarta é a utilização de “Iluminação Inteligente” (“uso de tecnologia de controle a distância, para facilitar a realização de algumas ações remotamente, como aumentar ou diminuir a luminosidade da lâmpada quando necessário”);

A quinta e última Inovação, é o “Totem de Segurança” (“estrutura fixa, com sistema giroflex – como nas viaturas policiais – e canal de comunicação em tempo real, que permite interação entre cidadãos e os responsáveis pelas forças de segurança municipais, durante os 365 dias do ano”).

Interessante e oportuno!

Share this page to Telegram

Os artigos postados no Paraibaonline expressam essencialmente os pensamentos, valores e conceitos de seus autores, não representando, necessariamente, a linha editorial do portal, mas como estímulo e exercício da pluralidade de opiniões.

Mais colunas de Alexandre Moura
Alexandre Moura

Engenheiro Eletrônico, MBA em Software Business e Comércio Eletrônico, Diretor da Light Infocon Tecnologia S/A e Diretor de Relações Internacionais da BRAFIP - Associação Brasileira de Fomento à Inovação em Plataformas Tecnológicas.

[email protected]

Arquivo da Coluna

Arquivo 2018 Arquivo 2017 Arquivo 2016 Arquivo 2015

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube