Jô Soares após perda do filho: “A vida é o que a gente veio fazer aqui”

Da redação com Folhapress

Publicado em 05/08/2022 às 16:45

Valorize o jornalismo profissional e compartilhe informação de qualidade!
Foto: Rede Globo

Foto: Rede Globo

SÃO PAULO (FOLHAPRESS) – A morte de Jô Soares, nesta sexta-feira (5), aos 84 anos, fez com que diversos internautas relembrassem momentos emocionantes do apresentador na televisão.

Um dos mais marcantes foi o Programa do Jô que ele gravou nos Estúdios Globo de São Paulo após a morte do filho único, Rafael, em 2014.

“Eu sofri a dor que é o pesadelo de todo pai: a perda de um filho”, lamentou na frente de sua plateia. Jô contou então que o filho era autista e que o enxergava como um eterno menino. “Ele passou a vida inteira na realidade do seu próprio mundo, com corpo de adulto e coração e alma de criança”, disse.

O apresentador disse ainda que Rafinha, como o chamava carinhosamente, amava música e rádio. “Ele tinha a sua própria emissora em casa, cujo alcance eram as pessoas que o visitavam”, revelou. Nem no próprio aniversário a rádio saia do ar. “Essa disposição de viver com entusiasmo e com paixão, me dá muito orgulho do meu filho”, afirmou.

Jô ainda compartilhou uma história que mostrava como aprendia com o filho. “Uma vez, em uma livraria, ele chegou junto ao caixa carregando uma dúzia de livros”, disse.

“Eu estranhei e falei: ‘Rafa, espera aí, é muito. Doze não, escolhe 6. Ele falou: ‘Então não quero nenhum’. Eu pensei que era malcriação. Falei: ‘Como não quer nenhum?’. ‘Eu prefiro não escolher.’ ‘Mas por quê?’ ‘Porque escolher é perder sempre’.”

“Claro, você escolhe um e o que você não escolheu não vai”, observou Jô. “Hoje eu também não preciso escolher. Como ele nunca faltou ao seu trabalho, também não posso faltar ao meu.”

Rafael Austregésilo Soares morreu em 2014, aos 50 anos. Ele era filho de Jô com a atriz Teresa Austregésilo (1933-2021), com quem ele foi casado entre 1959 e 1979. “Ela foi minha companheira por 20 anos, e por 50 anos dedicou sua vida ao nosso filhinho, o acompanhando desde o berço até o fim”, agradeceu ele.

Na despedida do programa, o apresentador ainda fez uma reflexão sobre a existência humana. “Um beijo do Gordo, e a vida continua”, disse, complementando seu tradicional bordão: “A vida é, sabe, é o que a gente fazer aqui”

Colunistas

2021 - ParaibaOnline - Rainha Publicidade e Propaganda Ltda - Todos os direitos reservados.

BeeCube