Fechar

Fechar

Arimatéa Souza

quinta-feira, 19/01/2017

Zé vai a Temer

Boa impressão

Confiança. Essa a palavra que inspirou a passagem do ministro da Integração Nacional, deputado Helder Barbalho (PMDB-PA), ontem, pela cidade de Monteiro.

Com objetividade, ele confirmou o compromisso de ´entregar´ a água oriunda do Rio São Francisco no próximo dia 28 de fevereiro.

“Nós estamos monitorando diariamente o andamento das obras”, salientou, para informar em seguida que 96% dos serviços estão concluídos.

Honrar os prazos

O ministro declarou em entrevista que “nós estamos trabalhando em todos turnos, no sentido de garantir a entrega da água nos prazos que estabelecemos com a população”.

Bom tamanho

Helder se mostrou satisfeito com o ritmo das chamadas obras complementares, que estão sendo executadas pelo governo estadual, Cagepa, Dnocs e Prefeitura de Monteiro no trecho que compreende a ´entrega´ da água em Monteiro e a sua chegada no açude de ´Boqueirão´.

Firmeza

Um das autoridades que mais diretamente acompanham essas obras no território paraibano, o presidente da AESA, João Fernandes da Silva, comentou que “pela primeira vez eu vi uma autoridade do governo federal dizer clara e objetivamente a data da entrega”.

´Dever de casa´

João reafirmou que “até o início de fevereiro teremos todas as obras complementares concluídas, até porque o governo federal quer antecipar a chegada das águas em Monteiro”.

Reencontro

A visita do ministro da Integração Nacional a Monteiro serviu de cenário para o reencontro entre dois adversários nas últimas eleições em Campina: prefeito Romero e deputado Veneziano.

SOS Cariri

Há um aspecto adicional que precisa ser levado em conta, por questão igualmente humanitária.

É preciso viabilizar, em algum trecho do percurso do Rio Paraíba, o ponto de captação para o Sistema Adutor do Congo, que está há meses desativado por falta d´água.

Ao encontro…

Conforme o ´Estadão´, o presidente Michel Temer resolveu descentralizar a agenda de eventos.

… Das ruas

A ideia é tirá-la de dentro do Palácio do Planalto e levá-la para ministérios e cidades do interior. Mais do que programar visitas para Norte e Nordeste, Temer pretende viajar para municípios menores, sair dos gabinetes e de reuniões com parlamentares.

Fila

Temer anunciou ontem que pretende remeter em breve ao Congresso Nacional outra proposta de reforma polêmica: a do sistema tributário, com foco na simplificação.

Compra

A prefeitura campinense desapropriou por R$ 226 mil o Colégio Cenecista instalado no distrito de Galante.

 

 

Enxugar

O Ministério da Educação vai realizar audiências públicas para discutir a possibilidade de o ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio) passar a ser realizado num único dia, com 90 ou 100 questões.

O detalhe

O portal das Organizações Globo informou que as audiências discutirão também a continuidade da redação no ENEM.

Em Sampa

O senador Cássio Cunha Lima (PSDB), ao lado do filho/deputado Pedro, fez ontem uma visita de cortesia ao amigo e prefeito de São Paulo João Doria Júnior (PSDB).

Resolutividade

O ´tucano´ anfitrião revelou especial empolgação com o programa ´Corujão da Saúde´, cujo objetivo é utilizar o horário de ociosidade em grandes hospitais da cidade (turno da noite e finais de semana) para a realização de exames que formam uma imensa fila de espera. Em duas semanas, mais de 28 mil atendimentos.

Em alguns casos, a espera é de vários meses.

Restritivo

O Programa Farmácia Popular terá limite mínimo de idade para a compra de medicamentos.

De acordo com as novas regras do Ministério da Saúde, o medicamento para colesterol alto só poderá ser vendido pelo programa para quem tem 35 anos ou mais.

Os contraceptivos serão vendidos a pessoas entre 10 e 60 anos de idade.

Outros limites

Já o remédio que trata de osteoporose só será vendido para maiores de 40 anos.

Para comprar o medicamento que trata a Doença de Parkinson, o paciente precisa ter mais de 50 anos, e para hipertensão, pelo menos 20 anos, informou a agência do governo federal.

Precipitação

O deputado estadual Raniery Paulino (PMDB) disse ontem que “não adianta estarmos gastando energia com discussões meramente infrutíferas no momento, porque as eleições só acontecerão em 2018”, numa menção à contundente tropa de farpas entre as ´facções´ lideradas pelos senadores Raimundo Lira e José Maranhão.

Sem indexação

“O que eu defendo é a gente não estar indexado a outros projetos. O PMDB tem que buscar a sua autonomia. Defendo a volta do protagonismo do PMDB com a candidatura própria (a governador). O meu grupo é o grupo do PMDB unido, e nele fazem parte Raimundo Lira e Maranhão”, assinalou o deputado em entrevista.

Pelo santo…

… Beija-se o altar. Raniery admitiu respaldar uma nova aliança do PMDB com o PSB do governador Ricardo Coutinho, desde que isso passe pelo apoio a Lira para governador.

Sem muito alarde

Com a sua discrição habitual, José Maranhão teve ontem uma conversa com o presidente Michel Temer.

Oficialmente, a conversa foi para “tratar de problemas da Paraíba”, a exemplo da estiagem.

Mas Zé colocou Temer informado sobre a artilharia da qual está sendo alvo, sob o patrocínio do seu colega de partido – e de Senado – Raimundo Lira.

O PP terá uma 2ª secretaria na PMCG?...
Simple Share Buttons

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube