Fechar

Fechar

Arimatéa Souza

sexta-feira, 23/03/2018

´Vale Páscoa´

´Frear a boiada´

Algumas lideranças do MDB paraibano deflagraram a ´operação contenção´, com a finalidade de tentar estancar a debandada de parlamentares da legenda, notadamente os deputados federais Hugo Motta e Veneziano, como também o senador Raimundo Lira.

No caso de Hugo, ele já conseguiu apear do comando do PRB na Paraíba o deputado estadual Jutay Meneses, ou seja, já teria apalavrado a saída do MDB.

Fila

Hugo fora do partido, significa que o seguirão os deputados estaduais Nabor Wanderley (seu pai) e Jullis Roberto.

Retaguarda

Essa ´operação´ promete dar forma, ainda este mês, numa coligação que envolva, pelo menos, o Solidariedade e o PSC.

Compromisso

Seria uma sinalização pública nessa direção, uma vez que as coalizões só poderão ser oficializadas em agosto, conforme o calendário eleitoral.

Lá & cá

Nessa ´engenharia´, o deputado federal Benjamin Maranhão regressaria para o MDB, mas manteria indiretamente o controle do Solidariedade no Estado.

Interlocutores

No caso do PSC, os contatos têm sido mantidos principalmente com o ex-senador Marcondes Gadelha e com o seu filho, ex-deputado Leonardo Gadelha.

Espaço

E passam por, pelo menos, uma vaga na chapa majoritária: disputa para o Senado, provavelmente para o empresário Dalton Gadelha.

É vero

“Há mesmo esse movimento para que todos (deputados) fiquem no MDB”, confirmou ontem o deputado Raniery Paulino.

Somar votos

Em entrevista à ´Campina FM´, o parlamentar disse que essa mobilização deverá resultar no lançamento de uma candidatura a deputado federal pelo MDB da região de Guarabira, com o propósito de fortalecer eleitoralmente a legenda.

Quem seria

Apesar de esse nome não estar definido, tudo avança mirando o ex-governador Roberto Paulino para essa candidatura brejeira.

Sem veto

Raniery afirmou que não tem restrições a uma eventual coligação do seu partido com o PSDB, desde que isso aconteça para fortalecer a postulação de José Maranhão para governador.

Alfinetada

“Se eles (tucanos) votarem em Maranhão, não vou criar empecilho”, garantiu Paulino, enfatizando que Zé foi “o único pré-candidato a governador que não correu” do páreo, numa menção indireta aos prefeitos Luciano Cartaxo (PV-JP) e Romero Rodrigues (PSDB-CG).

Insistência

Raniery revelou que nos últimos dias já teve sete reuniões com Hugo Motta, tentando demovê-lo da filiação no PRB.

Na Serra

O governador Ricardo Coutinho (PSB) passa boa parte do dia de hoje em Campina Grande, onde ocorre mais uma plenária do Orçamento Democrático.

Fora da pauta

O TSE adiou, ontem, o julgamento da ação que envolve o governador paraibano.

Troca

O presidente da Caixa Econômica Federal, Gilberto Occhi, será remanejado nos próximos dias para o cargo de ministro da Saúde.

O detalhe

Occhi é da ´cota´ do PP e muito ligado ao deputado paraibano Aguinaldo Ribeiro.

A caminho

O líder do PPS na Câmara Federal, Alex Manente (SP), informou ontem que “estão avançadas” as conversas para que o deputado Pedro Cunha Lima (PSDB) ingresse no seu partido.

Expansão

A direção das Lojas Magazine Luíza informou ao mercado que a prioridade de 2018 é a abertura de “muitas lojas” na região Nordeste.

Inimaginável

Ao que parece, o céu é o limite para se projetar qualquer coisa relacionada ao Supremo Tribunal Federal.

 

 

Decomposição

O necessário ´notável saber jurídico´, exigido de quem integra a Corte, parece que some quando exposto aos holofotes das sessões plenárias transmitidas pela TV Justiça.

Página…

O badalado julgamento inerente ao ex-presidente Lula, como registrado ontem neste espaço, configura uma página lamentável na história do STF, antes mesmo de seu desfecho, pelo grau de intromissão e de pressão que os seus ministros se permitiram suportar.

Recesso..

Na sessão de ontem, o País assistiu outra decisão inesperada e inconclusiva, fruto de regalias inconcebíveis que atropelam o calendário convencional.

… Branco

Diante da pressão de alguns ministros para o adiamento da apreciação do recurso proposto pela defesa de Lula, optou-se remarcar a continuidade do julgamento apenas no dia 4 de abril devido ao fato de a ´Semana Santa´ no Supremo começar (na prática) já na 2ª feira, o que resulta na não realização de sessões plenárias na próxima semana.

Impasse

E o que fazer, diante do fato de o Tribunal Regional Federal ter marcado para 2ª feira o julgamento dos embargos declaratórios de Lula, cuja não aceitação criaria as condições necessárias para a sua prisão?

´Vale Páscoa´

A defesa de Lula, através do advogado José Roberto Batochio, colocou na mesa uma solução estapafúrdia, só possível diante de um colegiado que privilegia o próprio umbigo: a concessão de uma liminar ´com data de validade´.

12 dias

Isto é: a medida cautelar teria vigência até o dia 4 de abril, quando os ministros do STF estarão de volta do recesso pascal.

Acolhimento

Por 6 votos a 5 essa ´geringonça jurídica´ foi aprovada, “de maneira precaríssima”, como sublinhou o ministro Dias Toffoli, que mesmo com esse conceito votou favorável.

Reprimenda

Tamanha é balburdia no Supremo – no qual o simples e recomendável ´bom dia´ já não acontece entre alguns de seus membros -, que o advogado Batochio se permitiu usar parte de sua sustentação oral para dar um ´carão´ ao vivo e em público no colegiado, como o leitor observará nos trechos reproduzidos que se seguem.

Autoritarismo

“Quando, na Constituinte de 1987, na Constituição de 1988, nós escrevemos o plexo (conjunto) de direitos que compõem o capítulo dos direitos e garantias individuais e coletivos, procuramos sim positivar no texto essas garantias para que pudéssemos ter instrumental necessário para repelir as investidas do autoritarismo, vestisse ele o verde-oliva dos militares ou a cor negra da asa da graúna.

Não se excedam

“A voz das ruas pertence às ruas. O parlamento são os políticos que têm que catar os anseios e os batimentos da turba, interpretá-los e transformá-los em normas. Não é dado ao Judiciário nem daqui nem de lugar nenhum do mundo legislar, para atender a este ou aquele pragmatismo.

Compulsão

“Há uma certa volúpia em encarcerar um ex-presidente da República. Ex-presidente não é diferente de ninguém. Quando vejo tribunais entrarem a legislar, eu me sinto desmotivado, porque vejo que leis são substituídas por mirabolâncias.

“Maré”

“Como vamos justificar a prisão do ex-presidente caso essas ações sejam aceitas? Por um descuido? Por quê esse açodamento? Esta volúpia em encarcerar? O que justifica, senão a maré da violência da autoridade?”

Apequenado

O fato é que o Supremo Tribunal Federal não tem se dado ao respeito, o que é lamentável para o País como um todo, pela importância que o STF tem para arbitrar conflitos de múltiplas naturezas.

Aprendizado

Bastaria aos seus atuais membros terem em mente dois ensinamentos elementares do ex-ministro Teori Zavascki, que prematuramente morreu num acidente aéreo: “Em muitos casos, as pessoas têm vergonha em aplicar a lei (…) Papel do juiz é resolver conflitos, e não criá-los”.

Carmen Lúcia deixou de ser 'freira', mas vai terminar sendo 'canonizada'...

Me Aguarde

Palanque

Simple Share Buttons

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube