Fechar

logo

Fechar

Arimatéa Souza

quarta-feira, 18/11/2020

“Uma construção coletiva”

Campos opostos

Na campanha recém-finda, o Democratas ´trincou´ em Campina Grande.

O lado ´CNPJ` do partido ficou com a ex-prefeitável Ana Cláudia Vital do Rêgo (Podemos), que teve um filiado ao DEM como companheiro de chapa (Sargento Wellington).

A maior parte do grupo de candidatos à vereança apoiou Bruno Cunha Lima (PSD).

Situação

No dia de ontem, os dois vereadores eleitos pela legenda – ´Dinho Papa-Léguas´ e Waldeny Santana (presidente municipal do partido) – sinalizaram que integrarão a base governista.

Placar

Em princípio, o prefeito Bruno Cunha Lima (PSD) deverá ter uma bancada com 17 dos 23 vereadores eleitos.

Apoios

A direção do MDB e o prefeitável Nilvan Ferreira devem anunciar, no começo da tarde de hoje, adesões para o 2º turno da disputa.

Agregados

O ex-prefeitável e vereador João Almeida (SD) e o PSL do deputado Julian Lemos vão marchar com Cícero Lucena (PP).

Clamor

“Nesse momento de crise que a cidade enfrenta precisamos de alguém experiente para colocar o ´vagão em cima dos trilhos´ nos próximos anos. Não estou votando apenas em Cícero, mas na experiência e em João Pessoa, pois não podemos nos dar o luxo de se aventurar diante de todo esse processo que clama JP por geração de emprego e renda”, declarou João Almeida ao oficializar o apoio a Cícero.

Experiência

“Estamos diante de uma crise sem precedentes de arrecadação e de instabilidade política. Diante disso só quem pode arregimentar forças para vencer esse momento é Cícero Lucena, pois não é momento para inexperiência política no Executivo”, verbalizou Julian Lemos.

Oponentes

Em manifesto dirigido à população de João Pessoa, Ricardo Coutinho sublinha que “ficou claro que uma vitória nossa não seria permitida. Isso não era desconhecido pela nossa candidatura”.

Preservação

“Mesmo assim – prossegue o texto – não desistimos porque o intuito principal da nossa campanha foi resguardar vivo o sentimento de um projeto totalmente diferente dos demais que se apresentaram. Isso foi cumprido”.

Rapidez

A vereadora-presidente Ivonete Ludgério (PSD-CG) informou ontem que já iniciou contato com os eleitos para a próxima legislatura, com a intenção de conquistar mais um mandato na presidência.

O detalhe

Ivonete já contaria com o apoio de sete futuros vereadores.

Protocolo

O instituto Opinião já registrou na justiça eleitoral a primeira pesquisa acerca do segundo turno da eleição para prefeito de João Pessoa.

Esparadrapo

No rescaldo do primeiro turno das eleições, o presidente do PT/PB, Jackson Macedo, anunciou ontem que está se mobilizando para tornar sem efeito os processos internos que visam colocar em votação, por descumprimento das normas internas, as expulsões do deputado (e ex-prefeitável) Anísio Maia e da afastada presidente do PT/JP, Giucélia Figueiredo.

Convergências

“A hora é de união e de pensarmos juntos 2022 para reelegermos o deputado federal Frei Anastácio e o deputado Anísio Maia. Vamos parar a briga entre nós”, acentuou Macedo.

Declive

Jackson sublinhou: “Vamos acabar com isso. A eleição acabou e agora nós temos é que reconstruir o PT, porque a situação que saiu das urnas não foi boa. O resultado ficou aquém do que esperávamos”.

Culpa coletiva

O dirigente petista realçou que não é hora de qualquer tipo de ´caça às bruxas´: “A responsabilidade é de todos os lados. Desde o começo das eleições, eu defendia uma unidade entre o PT, PDT, PSB, PC do B, inclusive com o PV de Luciano Cartaxo, porque acho um equívoco dizer que ele é de direita, quando quem é de direita é Wallber Virgolino; é o Progressistas; é essa onda conservadora construída por Nilvan Ferreira”.

Umbigo

Por fim, Jackson Macedo lamentou o fato de “as pessoas acharem que o quintal é maior que o planeta terra e o resultado foi esse”.

Da boca de…

“… Lamentavelmente, se permitiu que Ricardo Coutinho ficasse no poder durante todo o tempo fazendo as suas estripulias e lhe garantindo legitimidade eleitoral…” (advogado Harrison Targino acerca da recente punição aplicada pelo TSE ao ex-governador paraibano, que está inelegível até 2022).

Resgate

Ainda sobre esse tema, o frenesi eleitoral impediu a Coluna de registrar a reação, acerca dessa punição a RC, do ex-senador Cássio Cunha Lima (PSDB), que disputou a eleição de 2014 com o socialista.

Roubo

“Não há o que se comemorar. Justiça tardia não é justiça”, asseverou CCL, para observar em seguida que “o povo da Paraíba foi roubado. As robustas provas da Operação Calvário atestam isso”.

Ilegal

Ainda conforme o ex-senador, “a eleição de 2014 foi roubada. O governo ilegítimo resultou na quadrilha desbaratada”.

´Faz de conta´

Cássio grifou que “é tudo muito grave para continuar impune. Não é possível continuar fazendo de conta que foi tudo normal na eleição de 2018, como hoje se sabe que em 2014 não foi”.

´Batismo´

Com 3.050 votos, a assistente social Josilene Maria de Oliveira – ´Jô Oliveira´ – converteu a suplência na vereança pelo PSB na atual legislatura (obteve 1.544 votos no pleito de 2016) num mandato a ser desenvolvido a partir de janeiro próximo.

´Quatro mãos´

“Foi uma construção coletiva”, destacou Jô em entrevista ontem a este colunista na Rádio Caturité FM.

Prioridades em plenário

As pautas de interesse dos jovens e das mulheres guiarão o seu mandato, conforme a futura parlamentar.

Noutra perspectiva, Jô disse que priorizará “a garantia de que haja a fiscalização das ações do Executivo”.

“Será um mandato propositivo, com projetos que tenham impacto na vida das pessoas”, emendou.

Todo apoio em JP no 2º turno tem um olhar mirando 2022...
Share this page to Telegram

Arquivo da Coluna

Arquivo 2019 Arquivo 2018 Arquivo 2017

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube