Arimatéa Souza

sábado, 20/02/2021

Um presidente sem curador

Incorrigível

As visitas do presidente Bolsonaro são quase sempre ruidosas e, nos últimos tempos, acintosas aos mais elementares protocolos sanitários.

Não foi diferente nesta sexta-feira na rápida passagem do ´capitão´ pela Paraíba e o Sertão pernambucano.

Vamos por partes.

Deferência

Na chegada a Campina – e antes de embarcar noutra aeronave com destino a Sertânia (PE) – o presidente teve um contato de ´segundos´ com a imprensa, ocasião em que externou que “Romero (Rodrigues) mora no meu coração”.

Ele destacou ainda o “casamento perfeito dele” (Jair) com o Nordeste.

Repetição

Foi o segundo aceno público na direção de Romero, em uma semana, e na perspectiva das eleições para governador no ano que vem.

Incógnita

A essa altura é precipitado projetar que tipo de ´cabo eleitoral´ Bolsonaro poderá encarnar nas eleições de 2022.

Tudo dependerá da sua popularidade. Apesar de ainda expressiva, ela tem registrado sucessivas quedas, até por conta de sua postura acerca da pandemia do coronavírus.

Retaguarda

Mas é fato que o presidente poderá exercer um papel decisivo na criação das condições de competitividade para o ex-prefeito campinense, a exemplo do fortalecimento de sua coligação.

Repisou

Já em Sertânia, o presidente aproveitou para fazer um aviso de abrangência nacional, avançando no que havia declarado na véspera (em live) sobre a Petrobras: “Anuncio que teremos mudança sim na Petrobras”.

Exigência

“Jamais vamos interferir nesta grande empresa e na sua política de preços, mas o povo não pode ser surpreendido com certos reajustes”, enfatizou Jair.

Ele emendou: “Exijo e cobro transparência de todos aqueles que eu tive a responsabilidade de indicar”.

Inexplicável

Ainda em seu pronunciamento, o presidente declarou que o governo tem feito a sua parte: “Tomamos a decisão de zerar todos os impostos federais relativos ao botijão de gás. Se na origem ele custa menos de R$ 40, não tem justificativa na ponta custar R$ 90 ou R$ 100”.

Repercussão

Bolsonaro prosseguiu no tema, provavelmente preocupado com o ´mega´ reajuste nos preços da gasolina (10%) e do óleo diesel (15%) anunciado pela Petrobras na véspera.

Inócuo
“Se lá fora aumenta o preço do barril do petróleo e aqui dentro o dólar está alto, sabemos das suas repercussões nos preços do combustível. Mas isso não vai continuar sendo um segredo de estado”, prometeu.

Promessa

Por fim, sobre esse assunto, o ´capitão´ avisou que “nesses (próximos) dois meses estudaremos medidas que possam realmente trazer conforto na questão dos combustíveis no Brasil”.

O detalhe

Este ano, nas refinarias, o preço da gasolina subiu 34,7% e do diesel 27,7%.

Despencou

Quase que simultaneamente à fala presidencial, o volátil mercado de ações reagiu.

Quando Bolsonaro chegou de volta a Brasília, no final da tarde, a estatal do petróleo já registrava uma perda no seu valor de mercado da ordem de R$ 28,2 bilhões.

Silêncio

Nessa passagem pelo Sertão pernambucano, Bolsonaro passou ao largo da prisão de seu aliado, deputado Daniel Silveira (PSL-RJ).

Quatro…

Ele transitou noutra direção, elogiando o Congresso Nacional: “O presidente sozinho não pode fazer nada. Junto com o parlamento, podemos fazer muito.”

… Mãos

Ainda sobre o Congresso, Bolsonaro afirmou que “hoje, cada vez mais, temos um parlamento independente e confiante da força que tem. Esse parlamento pode fazer muito e fará muito mais ao lado do presidente da República”.

Lembrete

“Aquela política de ´fica em casa fecha o comércio´, com uma consequência imediata de destruição de milhões de empregos, isso tem que ser mudado. Sempre falei que tínhamos dois problemas lá atrás: vírus e o desemprego, e que deveríamos tratar os dois com responsabilidade e de forma simultânea”, discorreu Bolsonaro.

Vindo à tona

Noutro trecho de seu pronunciamento, Jair disse que “aqueles que quiseram fazer política com a questão do vírus, a máscara está caindo e o povo entende quem realmente teve coragem, discernimento e muita preocupação em tratar um assunto como esse (pandemia)”.

Parada

No retorno de Sertânia para Campina Grande – onde estava a aeronave presidencial -, Bolsonaro aproveitou o helicóptero que o transportava para fazer uma ´visita-surpresa´.

Dessa vez o local escolhido foi a cidade de Boqueirão.

Script

Lá, ele fez tudo o que (temerariamente) se permite: contatos e ´selfies´ com dezenas de pessoas (sem máscara), com direito a uma entrada num bar para tomar uma Coca-Cola.

Tudo isso na companhia do prefeito Bruno Cunha Lima e de Romero Rodrigues.

Exoneração

No começo da noite, a consumação do ´aviso prévio: Roberto Castelo Branco foi afastado da presidência da Petrobras, sendo substituído pelo general Joaquim Silva e Luna, que exercia a direção-geral da Itaipu Binacional.

“Desserviço”

O coroamento do dia ocorreu com uma incisiva declaração do secretário de Saúde da Paraíba, Geraldo Medeiros, ao jornal Folha de São Paulo, sobre a passagem do presidente de ´cara limpa´ (sem máscara) pelo Nordeste, na companhia de aliados locais.

“Um descompromisso com a vida. Num momento em que 1.000, 1.200 brasileiros morrem diariamente em decorrência da Covid-19, a exposição de formadores de opinião, sem máscara para a sociedade, representa um desserviço à saúde pública do país”, bradou Geraldo.

Por que os aliados de Bolsonaro retiram a máscara ao recepcioná-lo?...
Share this page to Telegram

Arquivo da Coluna

Arquivo 2019 Arquivo 2018 Arquivo 2017

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube