Jornalista há quase 30 anos, escreve a coluna Aparte desde 1991. Já trabalhou em TV, rádio e foi editor chefe do Jornal da Paraíba e colunista das TVs Cabo Branco e Paraíba. É comentarista político das rádios Campina FM, Caturité AM e editor do portal de notícias Paraibaonline.

sexta-feira, 03/11/2017

Um paraibano da cúpula da PGR

Tudo no condicional

Em recente entrevista ao ´Estadão´, o senador Raimundo Lira (PMDB) confirmou a hipótese de uma coligação com o PSB do governador Ricardo Coutinho em 2018.

Mas Lira observou que o PMDB local ainda “acha cedo” tratar sobre possibilidades para 2018 e tudo ainda está “no terreno das possibilidades”.

Pra livrar…

Os grandes jornais do País já sinalizam que o senador Aécio Neves (PSDB-MG) deverá abdicar da disputa majoritária do ano que vem e tentar um mandato de deputado federal.

… A pele

Dessa maneira, ficaria longe das garras do juiz Sérgio Moro, coordenador da Operação Lava Jato em 1º grau.

Da boca de…

“… O governo tem muitas bocas falando demais. Fazem intrigas pela imprensa (…) Conseguiram transformar o Jaburu (palácio onde reside Michel Temer) num lugar aonde ninguém mais quer ir. O entorno do presidente é o entorno da fofoca…” (deputado Rodrigo Maia, DEM/RJ, presidente da Câmara Federal).

Memórias

O deputado Adriano Galdino (PSB) anunciou que produzirá um livro contando fatos marcantes de sua trajetória política.

Tomada

A montadora japonesa Toyota informou que 44% dos seus carros vendidos no Japão já são movidos a energia elétrica.

Alargamento

Autorização emitida pelo Banco Central permite a expansão das atividades da Sicoob Borborema.

Quinhão

O ex-senador Efraim Morais comentou que o Democratas tem uma nítida tendência de prosseguir na aliança que firmou desde 2010 com o governador Ricardo Coutinho (PSB), mas deseja um cargo na chapa majoritária (provavelmente uma suplência para o Senado).

´Timão´ nas urnas

O TRE da Paraíba homologou o pedido de registro do PNC (Partido Nacional Corinthiano), que assim dá mais um passo para obter o registro em nível nacional, no TSE.

A legenda tem comissões instaladas em João Pessoa, Campina Grande e Sumé.

Para não…

… Perder a conta. O Brasil tem 35 partidos políticos legalizados e 69 pedidos em tramitação no TSE.

 

Da boca de…

“… (a vice Lígia Feliciano) tem que se lembrar que o governador eleito foi Ricardo Coutinho e a vice-governadora, Lígia. Quando se elege uma chapa, não se combina de passar o cargo. Eu fui vice (vice-prefeito de João Pessoa) e não se teve essa obrigação para comigo. Evidentemente, se o governador vier a se licenciar do cargo, aí sim ela assumiria…” (Nonato Bandeira, presidente do PPS/PB e chefe de gabinete do governador).

Insistência

Por falar em PPS, a direção estadual tem feito pressão para que o empresário Arthur Bolinha Almeida (presidente da CDL/CG) dispute um mandato de deputado no ano que vem.

Ainda não o convenceu.

Borracha em alta

Um leitor da coluna chama a atenção para a escalada de roubo de pneus de veículos em Campina Grande, que tem passado despercebida em função do grande volume de veículos roubados.

Aparência

Para o vereador Sargento Neto (PRTB-CG), o recente anúncio do governo estadual de criar mais um batalhão da Polícia Militar em Campina Grande é “uma tentativa de tapar o sol com a peneira”, uma vez que a iniciativa não implica no aumento do efetivo policial.

Haja cor

A Câmara pessoense aprovou esta semana um projeto do vereador-presidente, Marcos Vinícius (PSDB), que cria na cidade o ´Dezembro Vermelho´, visando promover a conscientização popular acerca do HIV/Aids.

Na mídia

O paraibano Luciano Mariz Maia, vice-procurador-geral, o segundo na hierarquia da Procuradoria-Geral da República, concedeu uma entrevista ao jornal O Estado de São Paulo, dias atrás.

Pinço algumas de suas declarações.

Variáveis

“Não existe homogeneidade na conduta humana. É possível que pessoas boas pratiquem atos ilícitos e é possível que pessoas perversas tenham direitos.

Balizamento

“O que diferencia um estado de civilidade de direito é que não faz um julgamento de pessoas enquanto tais, mas aprecia condutas concretas praticadas.

Grande equívoco

“Portanto é um erro monumental, um erro que destrói o estado de direito, generalizar um ataque à classe política como um todo e às instituições políticas como um todo”.

Diferenciação indispensável

Ainda Luciano Maia: “Quando você atribui que ninguém presta, todos cometem crimes, são todos bandidos, você está dando a si próprio o direito de cometer irregularidades, o direito de destruir vidas, de desrespeitar a lei. Isso é uma espécie de vale tudo. Para devolver isso há a necessidade de diferenciarmos pessoas que cometem os ilícitos e devem responder por eles das instituições que eles representam. Nós devemos fortalecer as instituições e identificar que aqueles desviantes do padrão a ser seguido possam ser responsabilizados, em todas as profissões”.

Estão ´clonando´ assinaturas no serviço público...
Simple Share Buttons