Fechar

logo

Fechar

Arimatéa Souza

terça-feira, 09/03/2021

Tudo tem limite

Cooperativismo em alta

O Sicredi, sistema de crédito cooperativo, atingiu em fevereiro a marca de R$ 100 bilhões para a carteira de crédito concedido a associados.

O volume representa crescimento de 32,8% em relação ao que tinha um ano antes.

Boa notícia

O empresário Eduardo Carlos, diretor da Rede Paraíba de Comunicação, deverá receber alta hospitalar hoje, em São Paulo.

Da boca de…

“… José Carlos da Silva Júnior foi um dos homens mais inteligentes, honrados e generosos que eu conheci (…) Não foi uma vida vivida em vão…” (economista Arlindo Almeida).

Imperdível

Daniel Beltrami, secretário executivo de Saúde da Paraíba, é o entrevistado de hoje no programa Ideia Livre, que vai ao ar às 22 horas (após o Jornal da Cultura) na TV Itararé – canal 18.1 – e na internet: www.tvitarare.com.br

Na Serra

Mudança na administração do Partage Shopping, em Campina Grande.

Wagner Silva, de Minas Gerais, é o novo superintendente; e Simone Ponce, de São Paulo, assume a gerência de Marketing.

Em vão

Aparentemente, as vicissitudes que temos passado ao longo desses últimos meses ainda não serviram para amainar os ímpetos belicosos que têm marcado a Paraíba nos últimos anos.

Impermeáveis

O empilhamento de cadáveres nas estatísticas oficiais e a dor de milhares de famílias, em cores vivas, parecem não sensibilizar por muito tempo as nossas autoridades, como também um recorte da população que não abre mão, por absolutamente nada, de suas orgias festivas dentro de verdadeiros ´viveiros´ de propagação do coronavírus.

´Diagnóstico´

O capítulo mais recente começou no final de semana. A 20ª avaliação do Plano Novo Normal Paraíba certificou que 95% (211) dos municípios estão na bandeira laranja – quadro sanitário deteriorado em comparação à quinzena imediatamente anterior.

Horror

Nesta 20ª avaliação – conforme o seu comunicado – “pode-se constatar que a Paraíba tem em média uma internação hospitalar a cada 20 minutos”.

Reação

Ainda no sábado, o prefeito de Campina Grande, Bruno Cunha Lima (PSD), se permitiu contestar a aludida avaliação, diante da conversão da cidade da bandeira ´amarela´ para a ´laranja´.

Penalização

“Recebemos pacientes de outras cidades com muito orgulho. Como disse, estamos de portas abertas para ajudar (…) Mas, sinceramente, não podemos ser penalizados por estarmos ajudando nossos irmãos de outras cidades. Qual o sentido? – indagou.

Dever de casa

BCL avançou: “Também não posso deixar de defender a cidade, defender o direito de quem está seguindo as regras e cumprindo as medidas sanitárias. Campina está numa situação diferenciada porque fazemos nossa parte com planejamento e eficiência”.

Interligados

Na tarde do domingo, governador, prefeitos e autoridades de outros poderes se reuniram virtualmente para tratar da situação crítica, do ponto de vista sanitário.

Coesão

Após a conversa, João Azevedo declarou que “as nossas ações devem levar em consideração o espírito de humanidade, de solidariedade, com respeito aos setores econômicos e com foco na vida. Nós devemos ter a visão de que a Paraíba toda precisa fazer esse enfrentamento. Só assim, vamos vencer esse momento”.

Miopia

“Não será a palavra de um ou outro que destoa dessa realidade, que tenta esconder sua própria incompetência, e tenta esconder sua visão limitada, que fará mudarmos nosso foco”, adendou o governador em menção ao presidente Bolsonaro.

Fonte

Ainda na noite do domingo, o prefeito campinense, através de uma live, afirmou que o colapso que acontece na Paraíba tem origem na incompetência da Secretaria Estadual de Saúde, na gestão da crise sanitária na Paraíba.

Ele invocou como fonte o Conselho Regional de Medicina.

Encolhimento…

Em João Pessoa, segundo o CRM-PB, existiam em meados do ano passado 128 leitos de UTI, mas este número caiu para 75 no último dia 19 de fevereiro.

… Precipitado

Já em termos de leitos de enfermaria, a Capital sofreu queda de 291 para 90 leitos, no mesmo período, relatou BCL.

Demonstrativo

“Uma clara mostra da falta de planejamento e ineficiência da Secretaria de Saúde Estadual”, esgrimiu o prefeito.

Suposições

Ainda segundo BCL, “o governo estadual apresentou supostos dados para impor a bandeira laranja, quando na verdade temos, por exemplo, leitos suficientes para o atendimento à nossa população”.

“Compreendemos que o momento é difícil, mas Campina tem uma situação diferenciada”, emendou.

Aprendiz

Veio a segunda-feira e o secretário de Saúde do Estado, Geraldo Medeiros, rotulou Bruno como um “neófito em gestão pública”.

Iniciação

E adendou: “Ele precisa aprender como interpretar e como calcular o índice de transmissibilidade, que é calculado pela Universidade Federal da Paraíba”.

Bateu…

O revide de Bruno foi quase imediato, enfatizando que as contas públicas de Campina “não são pagas com caixas de vinho”, numa menção velada à Operação Calvário.

… Levou

Ainda conforme Bruno, “prefiro ser neófito e ter boa prática, a ter as práticas que ele (Geraldo) e o grupo que ele representa têm”.

´Reserva de…

No seu programa semanal de rádio, ontem, o governador declarou que “as lideranças deste Estado têm a obrigação de saber que o Estado é uno e temos que pensar nos irmãos de todas as regiões da Paraíba”.

… Mercado´

“Cada município que tiver leitos disponíveis, deve pensar nesses irmãos. Não há de se fazer reserva de mercado. Se esse pensamento pequeno, mesquinho, tomar conta dos paraibanos teremos caos e não é isso que queremos”, acrescentou.

Incessante

A ´marcha´ da insensatez e da insensibilidade terá mais dois capítulos no dia de hoje: uma entrevista coletiva do secretário de Saúde e uma reunião do prefeito campinense com o ´setor´ produtivo local.

Argumentos e fatos

É público e notório que não sou especialista nas questões sanitárias.

Mas saltam à vista duas observações: o prefeito precisa ter embasamento técnico-científico para contestar a mudança de ´bandeira´ da cidade.

Desmonte

E o Estado precipitou-se na desativação da estrutura montada para enfrentar a ´1ª onda´ do coronavírus, até porque foi o próprio Fórum de Governadores quem primeiro alertou o País acerca do risco de uma ´segunda onda´, no presente infelizmente materializada.

Inadmissível

O mais relevante, todavia, é que a população não pode e não merece ser submetida, em meio a tanto luto, dor e medo, a essa briga improdutiva e desrespeitosa.

Tudo isso é abominável, para dizer o mínimo.

Solidários

O justificado pavor nacional diante da Covid-19 requer – até mesmo impõe – o somatório de forças, a cooperação entre instâncias distintas de governos e de poderes.

Acham pouco?

Será que já não basta a desmedida e até irracional postura do presidente da República, que está tornando o Brasil uma espécie de nação ´leprosa´ perante a comunidade internacional?

Que destino nos aguarda?

Onde os nossos governantes querem chegar e nos levar a reboque?

O consagrado escritor italiano Umberto Eco dizia que “justificar tragédias como ´vontade divina´ tira da gente a responsabilidade por nossas escolhas”.

Que Deus seja misericordioso conosco...
Share this page to Telegram

Arquivo da Coluna

Arquivo 2019 Arquivo 2018 Arquivo 2017

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube