Fechar

logo
logo

Fechar

Arimatéa Souza

quinta-feira, 08/02/2024

´Tucano´ desce do muro

Saber quem está ´debaixo da batina´

Ao participar ontem da abertura do ano ordinário na Assembleia Legislativa, o presidente do Tribunal de Contas do Estado, conselheiro Nominando Diniz, disse que estão em curso as providências relacionadas à apuração dos milionários desvios no Hospital Padre Zé (filantrópico), em João Pessoa.

“Tem recurso público e precisa ser tratado e averiguado com zelo. É preciso identificar as pessoas que foram coniventes com o padre Egídio e, consequentemente, entregar à justiça para que faça a aplicação (das penas) nesse desvio de recursos”, comentou Nominando.

Apuração

O presidente do TCE disse que estão sendo realizadas “inspeções no governo estadual e na Prefeitura de João Pessoa”.

Ação

“É preciso que esses dois governos tomem as providências para que este dinheiro retorne aos cofres públicos”, sublinhou o conselheiro.

´Chute na canela´

O deputado Júnior Araújo (PSB) trouxe ontem para o plenário da Assembleia Legislativa a briga que trava na região de Cajazeiras com o deputado Chico Mendes (PSB), líder do bloco governista: “Líder medíocre e sem argumentos. Realmente acho um líder extremamente despreparado”.

´Daqui não saio´

“Nem pedi para sair (da liderança) nem o governador comentou. Quem manda na liderança é João Azevedo”, retrucou posteriormente Chico Mendes.

Passou o bastão

O vereador Pimentel Filho (PSB) anunciou na sessão de ontem da Câmara Municipal de Campina Grande que não continuará na liderança do bloco oposicionista.

“No papel de líder, é sempre bom a renovação”, assinalou.

Escolhidos

Na mesma sessão, Anderson Almeida (PSB) foi alçado à condição de líder, com Jô Oliveira (PCdoB) na vice-liderança.

Predomínio

A oposição na Câmara campinense, como era de se esperar, ocupou os principais cargos na formação das comissões permanentes.

A de Constituição e Justiça, por exemplo, terá Pimentel Filho (PSB) na presidência, Anderson Almeida (PSB) como relator, e Saulo Noronha (SD) como membro.

2ª mais importante

Já a Comissão de Finanças e Orçamento será presidida por Jô Oliveira (PCdoB), ´Dra. Carla´ como relatora e Aldo Cabral como membro.

Educação

A Comissão de Educação será presidida pelo vereador Rostand Paraíba, tendo Valéria Aragão como relatora e Fabiana Gomes como terceira integrante.

Saúde

´Dra. Carla (presidente), Fabiana Gomes e ´Dona Fátima´ formam a nova Comissão de Saúde.

Da boca de…

“… Minha cidade não é ´plano B´ para ninguém. Nilvan já entra de forma errada…” (deputada estadual Jane Panta, do PP, sobre a intenção do radialista Nilvan Ferreira de transferir o seu domicilio eleitoral para Santa Rita visando disputar o cargo de prefeito).

Sem jeito

Ainda sobre Nilvan, o deputado estadual Caio Roberto (PL) avisou ontem na Assembleia Legislativa – ele esteve ontem na sessão sim! – que “tanto em João Pessoa quanto em Santa Rita o PL já tem candidato”.

O que sobrou

“Ele (Nilvan) poderia ser candidato a vereador ou candidato a vice-prefeito”, sugeriu o deputado.

Nada a reclamar

“Nilvan não foi traído em momento algum. O partido lhe deu legenda quando ele quis ser candidato a governador. Nós fizemos a nossa parte”, registrou Caio.

Tribuna

João Azevedo fez um longo pronunciamento ontem, na sessão inaugural do ano na Assembleia Legislativa, promovendo uma espécie de prestação de contas.

Demandas

Ao final da sessão, que superlotou as dependências da ´Casa de Epitácio Pessoa´, o governador falou sobre o protesto que setores do funcionalismo estadual realizavam em frente ao prédio da ALPB, o que o levou a ingressar na ALPB pela garagem (e não pela entrada principal).

Ao extremo

“O Estado foi ao limite de sua capacidade”, frisou João, que citou o fato de o governo federal “há seis anos não dar aumento”.

Desembolso

Ele também sublinhou que os professores efetivos do Estado acumulam nos últimos anos reajustes da ordem de 80%, e que o Estado gastará adicionalmente em 2024, com a folha de pessoal, cerca de R$ 450 milhões.

Vai demorar

João disse que eventuais mudanças em sua equipe, em função do calendário eleitoral, só serão definidas ao longo do mês de março.

´Só quero saber…

(… Do que pode dar certo´) Azevedo derivou ao ser novamente instado a falar sobre a ´novela Romero´: “O assunto Romero é de Romero. Eu trato de assuntos do PSB”.

Memórias

Ao ser indagado sobre o relacionamento com o deputado oposicionista Tovar Correia Lima (PSDB), João Azevedo realçou que “eu sou amigo do pai dele. Conheço Tovar desde criança. É uma relação extremamente tranquila. Para conversar eu estou sempre disposto”.

´Blitz´

Avesso a entrevistas, há muito tempo, Tovar acabou falando a este colunista quando saia do plenário da ALPB na manhã de ontem.

Confira o que ele disse, que reforça a dispersão na base governista em Campina Grande.

O racha é inevitável?

“São cenas ainda dos próximos capítulos. A gente está discutindo e ouvindo a cidade. O próprio Romero (Rodrigues) está ouvindo a cidade para tomar decisões com muita serenidade, com muita confiança.

O seu palanque será…

(o de Romero?) “Eu tenho uma ligação muito forte com Romero, ligação pessoal e política. A depender do que possa acontecer, eu tenho a tendência sim de caminhar juntamente com Romero.

Pode deixar o PSDB?

“Primeiro eu preciso, depois de ouvir a cidade, se o meu nome estiver disponível para que eu possa disputar a prefeitura, (preciso ouvir) o meu próprio partido, para ele se posicionar se dá ou não a legenda. Se por acaso isto acontecer, aí será preciso uma nova rodada de conversas para que possa mudar ou não de partido.

É o ´Plano B´ de Romero?

(se Romero não for candidato) “O meu nome está à disposição, não há como eu me furtar ou fugir de um debate como esse. Uma cidade que me deu tudo, no momento que a cidade me chamar, se por um acaso isso acontecer, não posso dizer que não serei candidato a prefeito.

Seria aliado do governador?

“Não tenho como prever uma situação como esta. A preço de hoje não, estou no PSDB. Tenho essa amarra política, por conta da fidelidade partidária. Em se tratando de uma dissidência em Campina, se por ventura acontecer, são novas discussões com Pedro, Cássio, Bruno e Romero para saber quais caminhos nós vamos traçar”.

Desenhando

Resumo do que disse (ou subtendeu) o deputado Tovar. Ele trabalha a essa altura com duas possibilidades para as eleições deste ano em Campina Grande: estar no palanque e/ou na chapa com Romero Rodrigues, ou ser candidato a prefeito, se Romero desistir da disputa até as convenções.

Simples assim.

Ainda cabe cantar ´Bandeira Branca´ na base governista em Campina?...
Valorize o jornalismo profissional e compartilhe informação de qualidade!

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube