Fechar

logo

Fechar

Arimatéa Souza

quinta-feira, 18/10/2018

Te cuida, Gilmar!

Ecos da véspera

Como era de se imaginar, uma parte da sessão de ontem do Tribunal de Contas do Estado foi dedicada aos esclarecimentos relacionados à menção de conselheiros na Operação Xeque-Mate, que apura a distribuição de propinas em torno de lideranças políticas na cidade de Cabedelo, como forma de inviabilizar a construção de um shopping no referido município.

Sem conexão

O conselheiro Nominando Diniz – citado pontualmente nos autos – afirmou que “nenhum interlocutor nunca me procurou. E por que eu digo isso enfaticamente? Porque o processo era vinculado à 1ª Câmara, e eu sou membro da 2ª Câmara. Jamais eu votaria nesse processo”.

Subitamente

Fernando Catão disse aos colegas que “fui surpreendido por notícias veiculadas na imprensa, que sugerem uma suposta atuação irregular de minha pessoa, enquanto conselheiro do TCE, em processo submetido à minha relatoria”.

“Jamais fui formalmente notificado”, grifou.

Respaldo

Catão argumentou em seguida que “amparou-se em parecer do Ministério Público especial de Contas” em suas decisões, “e fui acompanhado à unanimidade dos integrantes da Câmara (órgão fracionário do TCE)”.

Histórico

“Concedi inicialmente medida cautelatória, para preservação do direito reivindicado. Após esclarecimentos das partes envolvidas, revoguei a cautelar outrora concedida e, mais uma vez, fui acompanhado pelos meus pares e ratificado pelo MP, desatendendo a parte que me acusam favorecer”, discorreu o conselheiro.

Espera

Catão declarou ainda que “no momento oportuno, após o conhecimento do inteiro teor dos fatos que me atribuem, vou trazer novos esclarecimentos aos meus pares e à sociedade paraibana”.

“Tenho minha honra a defender, e será defendida, em toda a sua extensão”, acrescentou.

Celeridade

O presidente do TCE, conselheiro Antonio Carlo Torres, declarou que “o Tribunal não beneficiou ninguém. Não deu decisão para beneficiar ou prejudicar quem quer que seja. Decidiu conforme os pedidos e as provas nos autos. E fez isso de forma bastante célere. Num intervalo de dois meses e meio, o Tribunal deu uma (medida) cautelar e decidiu o mérito da questão”.

Ponto final

Por fim, o presidente avisou que “as questões pessoais serão resolvidas no foro específico. Para nós, está encerrado esse assunto nesse momento”.

Em bloco

Deputados (17) do Podemos, partido do ex-presidenciável Álvaro Dias, declararam apoio a Jair Bolsonaro (PSL).

A dúvida

O Podemos na Paraíba também vai de Bolsonaro?

Antecipou

Líder do governo na Assembleia Legislativa (provavelmente também em 2019), o deputado Hervázio Bezerra (PSB) anunciou que apoia o nome do deputado Adriano Galdino (PSB) para presidir novamente a Casa.

Mais um

Por outro lado, o deputado Jeová Campos, também do PSB, informou ontem que tentará viabilizar a sua candidatura à presidência da ALPB.

O ´príncipe´

Ao comentar a razão para não declarar publicamente apoio a Fernando Haddad (PT) no 2º turno, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) justificou que “a população hoje, cada um, vota à vontade. O peso que os partidos têm hoje é relativo. As pessoas estão tomando hoje posição independentemente de apoio”.

Parou

A Câmara Municipal de João Pessoa postergou novamente, ontem, a votação do projeto do vereador Marcos Henriques (PT) que proíbe a cobrança de estacionamento nos shoppings da cidade.

“É muito estranho, após 1 ano e meio de tramitação”, comentou o petista.

Deslocamento

Por sugestão do líder da bancada governista, Fernando Milanez Neto (PTB), a matéria foi remetida para emissão de parecer na Comissão de Finanças.

Da boca de…

“… O nosso time tem credibilidade para comprar fiado…” (deputado Gervásio Maia, PSB/PB).

Novo lar

Jair Bolsonaro solicitou à equipe que modela o seu plano de governo para que sejam preparadas medidas legais que facilitem a adoção de crianças.

Dever de casa

Quem deseja disputar a prefeitura campinense, em 2020, deve (no mínimo) residir na cidade.

´Vai com Deus´

Presidente do PV no Estado, o prefeito pessoense Luciano Cartaxo “liberou” ontem os filiados para fazerem a opção individual acerca do 2º turno das eleições.

Ele explicou que a demora se deveu à indefinição da direção nacional do PV.

Vale quanto pesa

O Fundo Eleitoral Partidário é liberado “com a avaliação do potencial de eleição do candidato”, enfatizou ontem a presidente do PSD/PB, Eva Gouveia, acerca da críticas feitas na véspera pelo vereador Pimentel Filho, que reclamou da falta de recursos na sua campanha para deputado federal.

Repreendido

Além de lamentar “a postura de Pimentel Filho, que atribuiu injustamente o resultado no pleito à (falta de) colaboração do partido”, Eva rotulou as discussões desencadeadas pelo filiado como “levianas e sem fundamento”.

Toga nas grades

O general Eliéser Girão Monteiro Filho, deputado eleito pelo PSL/RN, está defendendo o impeachment e a prisão de ministros do Supremo Tribunal Federal responsáveis pela libertação de políticos acusados de corrupção.

Nada é por acaso

Em entrevista ao ´Estadão´, o general/deputado disse que “o impeachment de vários ministros” do STF se insere em um “plano de moralização das instituições da República”.
Ainda o futuro deputado: “Não tem negociação com quem se vendeu para o mecanismo (…) Brasil é um país onde a lei tem de ser respeitada por todos (…) Aí o cara é solto pelo ministro do Supremo. E você sabe que não manda soltar por acaso”.

E ninguém mais visita Lula?...
Share this page to Telegram

Arquivo da Coluna

Arquivo 2019 Arquivo 2018 Arquivo 2017

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube