Fechar

Fechar

Arimatéa Souza

quinta-feira, 03/11/2016

Senador Lira e as suas variáveis

A força do novo

Nada mais adverso e inconsequente do que medir forças com a realidade. Na prática, é pura perda de tempo. Esse mandamento cotidiano deve servir de base para os motoristas de táxis de João Pessoa e de Campina Grande.

Gradualmente, a inovação do transporte alternativo privado vai virando realidade, com tendência de consolidação, como já ocorre em muitas cidades brasileiras.

Antecipação

O caminho mais recomendável é encarar o fato concreto e buscar previamente outras modalidades de encantamento da clientela, para que os usuários não se sintam atraídos pelo fetiche da novidade, notadamente pelo atrativo financeiro que é oferecido.

Acomodação

Cabe reconhecer que, enquanto categoria profissional, os taxistas se acomodaram diante de uma reserva de mercado concedida e conservada há anos pelo Poder Público.

Preço

O primeiro passo nessa ´adequação aos  novos tempos´ é revisar as tarifas cobradas. O serviço de táxi é muito caro nas duas maiores cidades do Estado.

Balizador

Ao poder público cabe, num primeiro instante, a iniciativa de tentar sensibilizar os concessionários acerca do advento da concorrência e tratar de regular essa disputa de mercado em bases justas e que tenham como ponto de partida – e razão de ser – o interesse do usuário.

Precedente

Há alguns anos, em Campina Grande, o Poder Público ´fez de conta´ que não observava a introdução paulatina do serviço de moto-táxi.

Quando abriu os olhos e tentou brecar e regulamentar a nova modalidade de transportes, só conseguiu concretizar o intento com poucas centenas de motoristas.

Sem jeito

A grande maioria dos mototaxistas – até os dias de hoje – trafega pela cidade clandestinamente, sem qualquer perspectiva de contenção no curto prazo, apesar de decisões judiciais nesse sentido, e da ampla mobilização do sistema regular de transporte público.

Da boca de…

“… O PT perdeu o protagonismo no país inteiro, e o PSOL começou a ocupar esse espaço, guardadas as suas proporções…” (Luiz Araújo, presidente nacional do PSOL).

Em discussão

Por iniciativa do vereador Anderson Maia (PSB), a Câmara Municipal de Campina Grande realizará no próximo dia 10 uma audiência pública para debater a reforma no ensino médio.

Na ´geladeira´

O Gabinete Civil da Presidência emitiu sinais de que deverá demorar para a concessão da audiência solicitada pelo governador Ricardo Coutinho (PSB) ao presidente Michel Temer (PMDB).

Peixe graúdo

De acordo com o conceituado jornalista Elio Gaspari (Folha de São Paulo), “na conta de quem viu a papelada, a colaboração premiada das empreiteiras levará para os tribunais superiores pelo menos dez governadores e ex-governadores”.

A conta…

Mais de sete anos após o site Congresso em Foco ter revelado que parlamentares utilizavam indevidamente a cota de passagens aéreas da Câmara Federal e do Senado para fins particulares, a Procuradoria da República denunciou 443 ex-deputados por uso indevido de dinheiro público.

… Chegou

O crime atribuído a eles é de peculato, cuja pena varia de dois a 12 anos de prisão em caso de condenação.

Recordando

O caso ficou conhecido, em 2009, como ´a farra das passagens´, e inclui o presidenciável Ciro Gomes (PDT-CE).

Conterrâneos

Os paraibanos listados são os seguintes: Armando Abílio Vieira, Carlos Marques Dunga, Enivaldo Ribeiro, Domiciano Cabral, Wilson Santiago (pai), Marcondes Benevides Gadelha, Walter Brito Neto e Wilson Braga, conforme o referido site e o portal UOL.

Musculatura

Não é desprezível o aparente fortalecimento da base política do presidente Temer: filiados de partidos aliados vão governar 81% do eleitorado nacional.

Preliminares

Salta à vista que o senador Raimundo Lira (PMDB) começa a pavimentar a trilha que poderá levá-lo à recondução ao Senado em 2018, o que seria um excepcional coroamento de sua atuação política.

Tendência

Colocado o cenário político estadual na balança, as chances de Lira integrar uma chapa majoritária são bem maiores no agrupamento político do governador.

Enigma

O problema é que o senador peemedebista não domina uma variável importante: se Ricardo deixa o governo ou não; se será candidato a senador ou não; se poderá optar por um mandato de deputado ou não.

´Plano B´

Mas, interiormente, o meticuloso senador não fecha os olhos, muito menos as portas, para uma alternativa que pode se materializar em função da escassez de quadros, com densidade estadual, no bloco de Ricardo: disputar o Governo da Paraíba.

Se a conjuntura levar Ricardo Coutinho e Cássio a duelarem por uma cadeira no Senado – com favoritismo para ambos nas duas vagas disponíveis -, e com o atual leque de candidatos que ensaiam disputar o governo, Raimundo Lira certamente estaria pronto para dar um ´sim´ ao chamado do ´Palácio da Redenção´.

O que faz o ex-senador Cícero Lucena?...
Simple Share Buttons

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube