Fechar

logo

Fechar

Arimatéa Souza

quinta-feira, 03/09/2020

Romero tenta influir em JP

Bem Brasil

Uma história curiosa – para não dizer fraudulenta – que foi levantada pelo Tribunal de Contas da União (TCU) e destacada pelo jornal Valor Econômico.

Foram identificados cerca de 78 mil brasileiros com mais de 110 anos de idade e CPF regular. O número colocaria o Brasil como um paraíso para os chamados “supercentenários”.

´Contados a dedo´

Acontece que a Universidade da Califórnia (EUA), que se dedica a monitorar a longevidade humana pelo mundo, informou a existência (documentada) de apenas 29 pessoas com mais de 110 anos, sendo apenas uma no Brasil.

Em breve

A prefeitável Tatiana Medeiros (MDB-CG) informou que a ex-prefeita Cozete Barbosa deverá anunciar apoio à sua candidatura.

Degrau

De acordo com a revista britânica Times Higher Education, o Brasil subiu uma posição no ranking internacional de melhores universidades.

Agora é o sexto país com maior número de instituições mais bem avaliadas na lista.

O detalhe

Nesse ranking, quem apareceu foi a Universidade Federal da Paraíba.

Tributável

O Supremo Tribunal Federal confirmou a incidência da contribuição previdenciária patronal no terço de férias.

PRTB

O Partido Renovador Trabalhista Brasileiro, liderado no Estado pelo deputado Eduardo Carneiro, anunciou ontem o apoio em Campina Grande ao prefeitável Artur Bolinha (PSL).

Comunhão

“Bolinha defende justamente o que eu também defendo na Assembleia Legislativa: a geração do emprego e renda, a defesa do empreendedorismo. É por isso que estamos estabelecendo uma união agora, tudo em prol da cidade”, comentou Eduardo.

Pós

O deputado enfatizou que “após a pandemia, Campina vai precisar de alguém que represente o novo e que tenha a consciência da importância de uma gestão responsável, qualificada, voltada à recuperação do município”.

Coesão

“O PRTB representa um alinhamento muito firme ao que defendemos enquanto bandeira e enquanto propositura de mudança para a política de nossa cidade”, sublinhou Bolinha acerca da legenda que tem como principal liderança nacional o vice-presidente da República, general Mourão.

Diluiu

Mais uma desistência na crônica da sucessão em João Pessoa.

A outrora inflexibilidade do deputado Wilson Filho (PTB) cedeu espaço à concessão.

Convencimento

Ele divulgou ontem uma nota ponderando que “após se reunir com o governador João Azevedo, ficou clara a necessidade do grupo ter uma só candidatura” na Capital.

Novo parceiro

“Teremos uma disputa muito difícil. A prioridade será o melhor projeto e com maior convergência”, alegou o petebista, acrescentando que “queremos uma prefeitura mais eficiente, mais acessível e transparente. Então, daqui pra frente, a candidatura de Cícero Lucena (Progressistas) será a nossa candidatura”.

Garimpo

Na noite de terça-feira, o prefeito Romero Rodrigues, também presidente do PSD na Paraíba, participou do programa Ideia Livre na TV Itararé (canal 18,1), apresentado por este colunista.

Ele fez revelações importantes. Leia um resumo a seguir.

Seu candidato

“A candidatura de Bruno Cunha Lima em Campina está nos animando (…) Acho que não ficaram sequelas nesse processo de escolha.

Próxima Câmara

“Nós teremos no próximo ano a maior bancada feminina (em CG).

Na disputa

“O PSD deverá disputar campanhas majoritárias (com candidato a prefeito ou a vice-prefeito) em cerca de 50 cidades da Paraíba.

Horizonte

“Ficaria muito feliz se a gente conseguisse já iniciar um processo para a construção do futuro, com a união do MDB, PSDB, PSD e outras siglas, já dando um sinal nas eleições de 2020. Vamos tentar. Não sei se será possível. Mas farei um esforço nesse sentido.

PP com o governador

“Não vou dizer que me surpreendi. Já estava em contato com o pessoal do Progressistas em João Pessoa, e tinham me dito dessa possibilidade, até como sondagem se o PSD poderia apoiar Cicero Lucena. Mas com o apoio do partido do governador isso seria impossível. Conversamos de forma franca.

Inoportuno

“Não podemos, de forma nenhuma, estadualizar essas eleições, porque traria um complicador adicional para cada cidade paraibana.

Comandará a oposição?

“Liderança a gente não pode impor. É conquista. Vamos deixar passar as eleições e estudar o mapa (dos resultados no Estado) … Em janeiro de 2021 vamos começar a conversar com todos os aliados.

Oposição reduzida

“(na ALPB) Estamos numa eleição municipal e começa a ser mais importante para os deputados as eleições nas suas bases. E ai termina havendo a prevalência da força do governo. Cada um começa a olhar individualmente para o umbigo. E termina o governo tendo uma certa força (…) Mas vamos deixar passar as eleições. Agora, de fato, a oposição precisa de estímulo e motivação pensando em 2022.

2021

“Tenho a pretensão de, se for possível, ficar em Campina Grande e tentar fortalecer o PSD no Estado percorrendo os municípios.

Presidente

“Bolsonaro tem sido superatencioso comigo. Tenho que ser recíproco nessa atenção (…) O presidente vai crescer, e crescer muito, no Nordeste todo.

Vai pesar?

“O auxílio emergencial tem uma força que tem que ser reconhecida. Ele trouxe um diferencial nas classes C e D com relação à ascensão do presidente da República, que são exatamente as classes que ele tinha maior dificuldade de acesso. Até porque conta o volume de investimento que tem sido feito.

É “fajuta”?

(briga de João Azevedo com Ricardo Coutinho, como disse o ex-senador Cássio Cunha Lima) “É, pelo menos, no mínimo estranho. Não me parece ser uma coisa muito verdadeira. Pode ser uma coisa estratégica. Só o tempo dirá.

Cargo que disputará

(em 2022) “Eu não sei dizer. O cenário em 2022 ninguém pode observar ele de forma precipitada. Tem que observar o sentimento do período, e com base nele tomar a decisão que julgar a mais consistente.

Bancada em Campina

“Estou muito otimista. Conseguimos formar um time muito forte. Talvez façamos uma banca histórica. Tenho a impressão de que nós faremos acima de 15 vereadores”.

Eleição na…

“Em João Pessoa estamos estudando. Tenho conversado com o ex-senador Cássio nesse sentido. O ideal, se a gente conseguisse, seria construir a unificação de quatro candidaturas, não sei em torno de quem: Ruy Carneiro (PSDB), Raoni Mendes (DEM), Wallber Virgolino (Patriota) e Nilvan Ferreira (MDB).

… Na Capital

“Assim gente teria uma candidatura super competitiva. Não é um cenário provável, mas é possível. Vamos tentar e fazer um esforço nesse sentido. Se não for possível, vamos marchar lá talvez mantendo a tradição histórica de nosso grupo político aqui na Paraíba”.

Fora de cogitação

Ainda conforme o prefeito, as alternativas Cícero Lucena (PP) e Edilma Freire (PV) se tornam impossíveis “por conta do posicionamento desses partidos na capital paraibana”.

João Azevedo não desistiu de unir as oposições em Campina...
Share this page to Telegram

Arquivo da Coluna

Arquivo 2019 Arquivo 2018 Arquivo 2017

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube