Jornalista há quase 30 anos, escreve a coluna Aparte desde 1991. Já trabalhou em TV, rádio e foi editor chefe do Jornal da Paraíba e colunista das TVs Cabo Branco e Paraíba. É comentarista político das rádios Campina FM, Caturité AM e editor do portal de notícias Paraibaonline.

terça-feira, 14/03/2017

Romero muda de patamar

Como é?

O diretório nacional do PT está organizando um debate curioso, diante das circunstâncias. Será dia 24 deste mês, em São Paulo, e tem como tema principal a contribuição da Operação Lava Jato ao Brasil, nos três anos da força-tarefa.

Um dos expositores atende pelo nome Luiz Inácio Lula da Silva.

Pode até ser uma estratégia político-eleitoral, mas igualmente soa como puro cinismo.

Depoimento

“Isso (caixa 2) sempre foi o modelo reinante no País e que veio até recentemente. Porque houve o impedimento e foi a partir de 2014 e 2015. Mas até então, sempre existiu. Desde a minha época, da época do meu pai, da minha época e também de Marcelo, de todos aqueles que foram executivos do grupo”.

Empresário Emílio Odebrecht, ontem, perante o juiz Sérgio Moro.

O detalhe

Ao se referir ao ex-ministro da Fazenda, Antonio Palocci, Emílio usou a expressão “nosso Palocci”.

Largada

De forma precoce, o ex-deputado Carlos Batinga, atual secretário de Mobilidade de João Pessoa, anunciou ontem, através das redes sociais, que está se lançando na disputa para retornar à Assembleia Legislativa.

Na tela

O presidente da Associação Comercial e Empresarial de Campina Grande, Marcos Procópio, é o entrevistado de hoje do programa ´Ideia Livre Politica & Economia´, que começa às 22 horas da TV Itararé – canal 18.1 (digital) e 19 (analógico) e na internet: www.tvitarare.com.br

Fala presidente

“Meu governo é um governo de reformas. Não vou desfrutar de nada, é para quem virá depois”.

Em recente entrevista.

´Golpe´

Ao discursar na solenidade de entrega do Eixo Leste da transposição, sexta-feira última, Ricardo Coutinho disse que a obra é “o mais duro golpe na praga politica do coronelismo político dentro do Semiárido”.

´Golpe II´

“Essa obra – prosseguiu – significa um golpe naqueles (coronéis) que historicamente, tanto os antigos quanto os modernos, tiveram a condição de construir poder em cima da necessidade básica do povo nordestino”.

Barganha

Ainda conforme o governador, “efetivamente, hoje eles (coronéis) perdem a maior parte desse poder. Essa obra significa o fim ou um duro golpe nesse processo de submissão, no qual o povo tinha que se submeter, muitas e muitas vezes, àqueles que tinham o poder em troca de uma ´carrada´ d´água”.

Desfaçatez

O ´pluriacusado´ ministro do Gabinete Civil, Eliseu Padilha, reassumiu ontem o cargo no Governo Temer e fez ´cara de paisagem´, sem responder (ou rebater) às acusações ´em quilo´ feitas contra a sua pessoa.

Declive

Os comerciantes que atuam no setor de água mineral já começam a prognosticar uma queda acentuada nas vendas, a partir do instante que as águas do Rio São Francisco predominarem na quantidade represada no açude de Boqueirão.

 

Pagando pra ver

Aproxima-se mais um período invernoso na região de Campina Grande e permanecem nos escombros no antigo Cine Capitólio no centro da cidade.

É a aposta cega numa tragédia, alertada há anos.

Mudança…

O prefeito Romero Rodrigues (PSDB), com uma crescente frequência, tem abandonado por instantes o figurino ´paz e amor´ de sua atuação política.

… De estilo

Em recado genérico à sua base política no Legislativo, mas com o nítido endereço do vereador Pimentel Filho (PSD), RR avisou que “quem ficar com ´biquinho´ vai ter dificuldade”.

Tradução

“Criar biquinho, fazer requerimento, criar constrangimento e dificuldade não é o caminho”.

Adequação

Pimentel Filho – que está buscando se adaptar à ´planície´ do plenário da Câmara campinense, após vários mandatos integrando a mesa diretora – protocolou um pedido de audiência pública para tratar da “privatização” do Maior São João do Mundo.

Contestação

“Não se privatiza um bem imaterial”, pontificou o prefeito, para acrescentar: “Ninguém teve a coragem de fazer o que eu estou fazendo”.

Condução

Romero salientou que “não vou agradar na prefeitura e na política todo mundo. Eu fui eleito para fazer o que é certo e o que recomenda a minha consciência”.

Incomum

Na ´Campina FM´, o líder da bancada governista, João Dantas (PSD), observou que o tipo e o enunciado da convocação assinada por Pimentel “são iniciativas que normalmente partem da bancada da minoria”.

Leia-se da oposição.

No leme

Ainda nessa seara junina – que nos últimos anos igualmente é milionária -, o prefeito avisou na ´Correio FM´ que “o coordenador (da festa, este ano) sou eu mesmo. Quero fazer bonito, bem feito e o mais barato”.

Celeridade

APARTE, há semanas, registra renovadas vezes que o ritmo do chefe do Executivo campinense não é de ´maratonista´ – mais quatro anos de mandato -, mas sim de um corredor de prova rápida, uma espécie de ´100 metros´ que tem como linha de chegada o começo de abril de 2018, data limite para quem quer largar o cargo e se reapresentar perante as urnas.

Condicionalidades

Confrontado com uma eventual candidatura ao ´Palácio da Redenção´, Romero declarou que é preciso “ter um consenso dentro do partido e o aval da cidade”.

Sem cartas marcadas 

Mas o prefeito campinense riscou o giz quando tratou da ´frente de oposição´ como um guarda-chuva de legendas prontas para abrigar o prefeito pessoense Luciano Cartaxo (PSD) na condição de candidato a governador.

– A aliança tem que se manter, mas tem que ser a cabeça de João Pessoa? Não pode ser o inverso? – indagou o ´tucano´ em forma de reprovação.

A sensação é de que a reeleição arrancou do prefeito a camiseta de militante e lhe ofereceu a púrpura de cardeal no ´ninho tucano´.

Missão para os ´bombeiros´ Cássio e Rômulo...
Simple Share Buttons