Jornalista há quase 30 anos, escreve a coluna Aparte desde 1991. Já trabalhou em TV, rádio e foi editor chefe do Jornal da Paraíba e colunista das TVs Cabo Branco e Paraíba. É comentarista político das rádios Campina FM, Caturité AM e editor do portal de notícias Paraibaonline.

sexta-feira, 22/07/2016

Rebuliço peemedebista

Impasse familiar

O Partido Progressista ´empacou´ as definições da eleição para prefeito de Campina, por força de sua indefinição.

Como agravante, adicione-se o fato de o próprio partido internamente não possuir um consenso no momento, mesmo com o seu tronco predominantemente familiar.

Murchou

O que se pode observar é que a tese da candidatura própria a prefeito está praticamente rifada no PP, como também é mínima a possibilidade de aceitação do aceno oriundo do PMDB campinense.

Dois polos

Quem tiver as condições de tirar a ´pulsação´ partidária, atestará o PP dividido entre as candidaturas de Adriano Galdino (PSB), com maiores chances no momento, e a do prefeito Romero Rodrigues (PSDB).

Magoado

O ex-deputado federal Armando Abílio não esconde de qualquer interlocutor o seu desapontamento com o senador Cássio Cunha Lima, comandante do PSDB no Estado.

Canetada

É que Abílio perdeu o controle do PSDB na cidade de Esperança para o seu principal rival, deputado Arnaldo Monteiro (PSC).

Sinal de alerta

Em entrevista coletiva concedida ontem, o presidente da Federação das Indústrias da Paraíba, Francisco Buega Gadelha, registrou que as obras da transposição têm avançado num ritmo satisfatório, mas o mesmo não ocorre com as obras complementares, em território paraibano.

´Plano B´

Buega considera ser plenamente viável a captação emergencial de água nos açudes Saulo Maia (Areia) e José Rodrigues (distrito de Galante) para socorrer Campina.

Ligação

No primeiro caso, seria necessária uma adutora com menos de 15 quilômetros, para a conexão do manancial (Saulo Maia) com a adutora de Vaca Brava.

Mais um

O deputado Veneziano (PMDB) deverá contar em sua coligação com o Pros.

Ele recebeu uma sinalização positiva da legenda, que atualmente é comandada na Paraíba pelo deputado estadual Lindolfo Pires, atualmente respondendo pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado.

No páreo

No grupo mais próximo a Veneziano ventila-se o nome do ex-prefeito Francisco ´Tico´ Lira para a vaga de vice-prefeito.

Interagir

Pré-candidato a prefeito pelo PSOL em Campina, o sindicalista Celso Batista defende “um maior diálogo” da legenda com os movimentos populares.

Retraído

Na sua percepção, o modelo abraçado por seu concorrente interno, professor David Lobão, sugere “um partido enclausurado dentro de si mesmo”.

“Partido tem que dialogar, não pode se fechar”, temperou.

 

Não é verdade

Celso também contestou as declarações de Lobão, segundo as quais é muito fácil resolver o problema da saúde pública em Campina Grande.

“Não é de fácil resolução, absolutamente, em nenhum município do País”, assinalou.

Passar a limpo

Mas Celso convergiu com Lobão no tocante à proposta de realização de uma auditoria na dívida pública da cidade.

Porta fechada

Ainda sobre o PSOL, o partido se deparou ontem com a proibição para realizar a sua convenção pessoense no campus da UFPB, como havia sido requisitado, para homologação da candidatura a prefeito do sindicalista Vitor Hugo.

O assunto foi desaguar na Justiça Federal.

Sem fôlego

Seis em cada dez prefeituras brasileiras vão fechar o ano com as contas no vermelho, prevê a Confederação Nacional dos Municípios.

Escala

O governador Ricardo Coutinho passa parte desta 6ª feira em Campina Grande.

Ele visitará as obras da rodovia estadual no distrito do Jenipapo; da avenida João Suassuna; e a urbanização do açude de Bodocongó.

Agrupados

A direção estadual do PMDB reuniu ontem pré-candidatos a prefeito nas eleições deste ano, em João Pessoa.

Pronunciamento

Para hoje está prevista uma entrevista coletiva do (ainda) pré-candidato a prefeito de João Pessoa, deputado Manoel Júnior, que ontem exteriorizou mágoas da legenda no encontro mencionado no tópico anterior.

Tudo pendente

O fato é que o jogo está aberto na Capital. Por enquanto, o partido está se valendo da manutenção da tese da candidatura própria, como forma de ganhar tempo para definições.

Recuo

Mas, nos meios políticos, já se considera pouco provável que Manoel Júnior avance como prefeitável.

Efeitos

O problema é que a eventual opção do PMDB pelo apoio à reeleição do atual prefeito Luciano Cartaxo, do PSD, indicando o seu companheiro de chapa, aprofundaria a crise na aliança que o PMDB ainda tem no Estado com o PSB.

Também poderia reabrir a crise interna no próprio PMDB.

Trincar

Sobre esse tema, o deputado Hervázio Bezerra, líder do governo na Assembleia Legislativa e filiado ao PSB, disse ontem na ´Campina FM´ que o PMDB/JP sem candidatura própria enfrentará um inevitável racha.

Refazer estratégias

Hervázio admitiu que o PSB, nesse cenário sem o PMDB na disputa, poderia reabrir as discussões acerca da vinculação das coligações em Campina e João Pessoa, como também sobre a necessidade de tentar o apoio do PT logo no 1º turno.

Ou seja, pressionar pela desistência do candidato a prefeito pelo PT na Capital, professor Charliton Machado.

Em resumo, a confusão com o PMDB em João Pessoa poderá respingar em todo o Estado.

O senador Lira participará ativamente da campanha em Campina?
Simple Share Buttons