Quantcast

Fechar

logo

Fechar

Arimatéa Souza

segunda-feira, 23/09/2019

Quem opera no ´subterrâneo´ da Câmara

Nos bailes da vida

Em longa entrevista ao jornal Folha de São Paulo, edição deste domingo, o cantor e compositor mineiro Milton Nascimento foi pouco poético ao avaliar a atual fase da MPB: “A música brasileira tá uma merda.”

E justificou: “As letras, então. Meu Deus do céu. Uma porcaria. Não sei se o pessoal ficou mais burro, se não tem vontade (de cantar) sobre amizade ou algo que seja. Só sabem falar de bebida e a namorada que traiu. Ou do namorado que traiu. Sempre traição.”

Na ponta do Seixas

Milton disse que se emocionou muito no recente show que fez em João Pessoa (Teatro Pedra do Reino): “Teve um cara lá que escreveu um negócio lindo. Ele escreveu que apesar das coisas que estão acontecendo no mundo, ainda bem que tem eu.”

Coração de estudante

O Milton que conhecemos emergiu no final da conversa: “Quando eu faço um amigo, quero que seja para sempre. A não ser que ele não queira. Por mim, não acaba.”

Fermentados

Aproveito o ensejo para tratar da questão dos shows no lindo teatro pessoense.

Os preços lá praticados são – habitualmente – muito acima dos cobrados para os mesmos artistas em outras cidades.

Custo diluído

Trata-se de um local construído com recursos públicos, que tem (coisa não habitual) cerca de 3 mil poltronas.

Dúvidas

Fica-se a perguntar se o local não implica em nenhuma contrapartida social? Que tipo de acompanhamento o Estado tem feito do uso do teatro? O Estado é remunerado proporcionalmente à arrecadação dos shows?

Pelo menos isso.

Habilitado

A partir desta segunda-feira, o ex-presidente Lula (PT) adquire o direito de pedir a progressão de regime para o semiaberto.

Recolhimento

Ele está preso desde abril do ano passado na superintendência da Polícia Federal, em Curitiba (PR).

Deixa como está

Mas o petista determinou à sua defesa que não seja requerida a progressão para o semiaberto, sob o argumento de que essa solicitação implicaria na admissão de que praticou o crime a ele imputado.

Cautela

Há quem interprete na opção de Lula uma prevenção para a possibilidade de a progressão de pena implicar na sua transferência da PF paranaense para um local de condições precárias.

Microfone

O governador João Azevedo (PSB) deverá aproveitar o seu programa semanal de rádio, hoje, para quantificar a ajuda mensal que dará ao Hospital da FAP, em Campina Grande.

Em profusão

A empresa aérea Azul lançou, dias atrás, um programa para estagiários (trainee, na expressão da moda).

Em cinco dias, recebeu mais de 13 mil inscritos.

Morrer pela boca

Na última semana, o governo federal autorizou, através de atos publicados no Diário Oficial da União, a comercialização de 63 novos agrotóxicos.

2ª feira filosófica

“O melhor governo é aquele em que há o menor número de homens inúteis”.

Voltaire (François-Marie Arouet), filósofo e escritor francês.

FIEP

Será dia 25 próximo, às 11h, na sede da entidade, a posse do empresário Francisco Buega Gadelha para um novo mandato à frente da Federação das Indústrias do Estado da Paraíba.

Prelo

A ´musa´ das eleições presidenciais do ano passado – ex-deputada Manuela D´Ávila (PCdoB-RS), que foi candidata a vice-presidente na chapa de Fernando Haddad (PT) – vai lançar um livro sobre feminismo: “Por que lutamos? – Um Livro sobre Amor e Liberdade”.

Alerta

A mais recente reunião dos governadores do Nordeste resultou numa Carta na qual “manifestam profunda preocupação com os atuais sinais de drástica redução da presença da Petrobrás na região, tendo em vista o alto impacto da estatal na geração de emprego e renda, no desenvolvimento regional, cultural e sócio-ambiental de nossas sub-regiões e cidades”.

Anônimos

Reportagem da edição dominical do jornal O Globo revela que “um quarteto está na gênese das propostas” que, nas últimas semanas, provocaram reações, nem sempre favoráveis, aos rumos que a Câmara Federal tomou.

Quem são

O grupo é formado pelos deputados Paulinho da Força (SD-SP), Arthur Lira (PP-AL), Elmar Nascimento (DEM-BA) e Wellington Roberto (PL-PB).

Operadores

Esse grupo mobiliza diretamente pelo menos um terço dos parlamentares e tem conseguido indicar quais pautas a Casa deve aprovar ou rejeitar.

Pista livre

Desde que a reforma da Previdência foi aprovada na Câmara, o quarteto – noticia o jornal – está à vontade para encampar suas próprias pautas.

São as chamadas ´pautas-bomba´.

Trava

Uma delas seria um projeto para proibir que auditores fiscais compartilhem informações com o Ministério Público (MP), apelidado de ´lei da mordaça dos fiscais´, além de uma restrição de acordos de delação premiada.

Reservadas

As reuniões desse grupo ocorrem na sala da residência oficial do presidente da Câmara (Rodrigo Maia DEM-RJ), “acompanhadas por outros deputados de confiança, antes ou depois das sessões nas terças e quartas-feiras”.

Última ação

A reforma partidária aprovada na semana passada – que flexibiliza a legislação em favor dos políticos e dos partidos – é fruto do grupo, conforme o jornal.

Artífice

O ´Globo´ informa que o ´mentor´ desse afrouxamento na legislação eleitoral foi o deputado ´Paulinho da Força´ (SP), presidente do Solidariedade.

´Laranja´ da Paraíba

“Quando a notícia da primeira versão do projeto veio à tona, porém, Wilson Santiago (PTB-PB) assinou como relator.

É comum a prática de não carimbar propostas polêmicas com a assinatura dos líderes, para evitar desgastes”, frisa a publicação.

´Canetada´ à vista...
Share this page to Telegram

Arquivo da Coluna

Arquivo 2018 Arquivo 2017 Arquivo 2016

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube