Fechar

logo

Fechar

Arimatéa Souza

sábado, 13/03/2021

Quase saem ´tapas´

´Covas´ em profusão

A Secretaria de Desenvolvimento Urbano de João Pessoa divulgou, ontem, estatísticas preocupantes acerca da Covid-19.

Em janeiro último, houve o sepultamento de 80 pacientes vitimados pela doença; em fevereiro, 88.

E nos 10 dias iniciais de março, os enterros decorrentes da Covid chegaram a 83, o que enseja uma projeção de 240 sepultamentos para o mês, caso mantido o ritmo dos dias iniciais de março.

Recorte

Em Campina Grande, dados repassados ao PARAIBAONLINE pelo cemitério Campo Santo Parque da Paz mostram outros números igualmente preocupantes: 15,98% dos sepultamentos realizados nos últimos doze meses são de pessoas contaminadas pelo coronavírus.

Em elevação

Pela ordem, os meses com maior quantidade de sepultamentos devido à Covid foram julho, junho e maio (ano passado), janeiro e fevereiro deste ano – sintomáticos estes dois últimos meses.

O detalhe

É importante registrar que existe uma ´subnotificação´ de óbitos, porque muitos atestados apontam como causa morte a enfermidade que levou a vítima à morte, sem constar que a Covid deflagrou o processo de debilitação.

Concorrência

Duas agências de publicidade – Mais Propaganda e Café Com – se credenciaram para a segunda fase do processo licitatório da Câmara Municipal de Campina Grande, cuja etapa inicial ocorreu no dia de ontem.

O detalhe

A fase seguinte (e subjetiva) é a análise por parte da subcomissão técnica.

Nas duas pontas

A gasolina passou a sair esta semana por R$ 2,84 das refinarias da Petrobras e já está sendo vendida nos postos a R$ 5,60 – o litro.

O diesel sai da Petrobras a R$ 2,86 e já custa R$ 4,20 nos postos.

Ah sim

O etanol, que oficialmente está inteiramente despregado da gasolina em termos de custo – e não tem o seu preço fixado pela Petrobras – já pulou (em alguns postos) para R$ 4,45.

Agora é Lula

“Nós vamos continuar brigando para o (Sérgio) Moro ser considerado suspeito, porque ele não tem o direito de se transformar no maior mentiroso da história do Brasil e ser considerado herói por aqueles que queriam me culpar”.

No pronunciamento que fez esta semana.

Via…

O governador João Azevêdo (Cidadania) afirmou ontem que vai recorrer ao Judiciário contra a adoção de decretos com medidas menos restritivas, para o enfrentamento à Covid-19, por parte de municípios como Campina Grande.

… Judicial

“(vamos buscar) o fórum adequado para definir como deve ser tratada cada questão dessa”, antecipou.

Posturas na…

Para João, alguns gestores politizam o tema por ignorância ou por má fé, fazendo uso do que denominou de “política rasteira”.

… Crise

“As pessoas ou não querem se informar, ou querem fazer a politicagem barata, rasteira. A verdade está aí para quem quiser constatar”, grifou.

Aparência

O governador fez outros comentários sobre esse impasse com a PMCG.

“Só vamos vencer qualquer situação se jogarmos com a verdade. Não adianta jogar o lixo para debaixo do tapete. Temos que tirar o tapete e limpar a sala.

´Bonzinho´

“Não podemos levar um momento como esse para a disputa política e tentar capitalizar qualquer que seja a ação. Ao governador só cabe o desgaste por conta das medidas. Muita gente quer ser muito bonzinho, mas infelizmente durante uma pandemia não é possível.

Sem sentido

“É inimaginável que alguém pense que para um governador reduzir horário de funcionamento ou fechar atividade econômica, ele o faz com alegria. Isso é um absurdo”.

Sábado é dia de poesia

“… Não se afobe, não/ Que nada é pra já/ Amores serão sempre amáveis/ Futuros amantes, quiçá/ Se amarão sem saber/ Com o amor que eu um dia/ Deixei pra você…” (música de Chico Buarque, citada pelo jornalista Reinaldo Azevedo, do jornal Folha de São Paulo, como uma das mais belas canções românticas que já ouviu).

Serviço

Escute a música com a interpretação de Gal Costa clicando aqui.

Resgate

A sessão da última quarta-feira na Câmara Municipal de Campina Grande já avançava para o seu final, quando o vereador Anderson Almeida (Podemos) fez um encaminhamento de votação, como líder do bloco de oposição, favorável ao projeto do Executivo que pedia autorização do Legislativo para a compra de vacinas através de um consórcio nacional de municípios.

Ataques ao ´capitão´

Na sua fala, Anderson criticou o governo federal acerca da gestão da pandemia: “Governo negacionista, que fez tudo esticando a corda para não ter vacina para a população no Brasil”, e que praticou “uma falha muito grande”.

“Bolsonaro é negacionista e contra a vacina”, bradou.

“Roubacionista”

Instantes depois, o vereador Rubens Nascimento (DEM) resolveu fazer um rebate contundente: “(Anderson) tem laços com o governo do Estado, que até tempos outros, não sei se tempos agora, pelo Gaeco pode não ser considerado negacionista, mas é tido como roubacionista, inclusive das verbas da saúde”.

Desvios

“Nós poderíamos – avançou o demista – estar com outras tantas UTIs implantadas, se não fosse a oportuna do grupo que se fazia presente no Estado; (com) desvios de recursos públicos na área de saúde”, acentuou Rubens.

Diferencial

O edil concluiu: “Se é para criar termos, a gente devolve a preocupação, mas ponderando que o município de Campina Grande tem o seu respeito, a sua probidade e a responsabilidade de gerir os recursos destinando para o seu fim”.

“Irresponsável”

O líder oposicionista reagiu duramente: “De uma forma irresponsável, o vereador (Rubens) cita o meu nome como um governo roubacionista. Eu acho que ele não me conhece”.

Integrante

“Ele está partindo para um desespero que ele não entende. Ele não tem armas para fazer essa luta, porque o governo que ele fez parte, o Gaeco bateu na porta com a Operação Famintos”, prosseguiu Almeida.

Sob investigação

Ainda conforme o edil, “o partido que este vereador faz parte (DEM) responde a processo por colocar mulher ´laranja´ para se eleger”.

“Me respeite!”

Anderson desafiou o oponente: “Apresente qualquer projeto roubacionista que eu faça parte. Me respeite! Me respeite! Sou cordial até o quanto necessário. Vossa excelência limpe a boca para falar de mim. Agora, governo roubacionista não! Eu não faço parte de operação nenhuma, me respeite!”

Cara a cara

Ato contínuo, Anderson Almeida se dirigiu até o local onde estava sentado Rubens e, de dedo em riste, falou algo do tipo ´você tenha cuidado comigo´(tradução labial à distância do colunista, porque o plenário da Câmara é fechado por vidros e os microfones próximos estavam desligados).

“Eu peço calma”, interveio o vereador-presidente Marinado Cardoso quando o desentendimento migrava para o plano físico.

Figurativamente, o ´vírus´ deve gargalhar de nossos gestores...
Share this page to Telegram

Arquivo da Coluna

Arquivo 2019 Arquivo 2018 Arquivo 2017

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube