Fechar

logo

Fechar

Arimatéa Souza

quinta-feira, 08/10/2020

´Puxadinho´ no auxílio

Restrito

Sem o reforço de tempo do PT, o ex-governador Ricardo Coutinho (PSB) terá apenas 40 segundos em cada bloco do guia eleitoral gratuito no rádio e na TV, que começa amanhã.

Só ´um alô´

Pior situação entre os prefeitáveis pessoenses é a do seu concorrente (e adversário) Wallber Virgolino (Patriota): 15 segundos por bloco.

Visibilidade

Ruy Carneiro (PSDB), com 1 minuto e 59 segundos; Cícero Lucena (PP), com 1min46s; e João Almeida (SD), com 1min19, terão os maiores tempos por bloco e, proporcionalmente, nos anúncios (inserções) ao longo da programação das emissoras de rádio e de TV.

Microfone

Os prefeitáveis de Campina Grande (seis) participam de um debate hoje, no começo da tarde, da ´Arapuan FM´.

O detalhe

No começo da semana, houve outro debate com os candidatos, na TV Master (JP), sem as presenças de Inácio Falcão (PCdoB) e Bruno Cunha Lima (PSD), que alegaram motivos de saúde e de ordem familiar, respectivamente, para o não comparecimento.

Caiu fora

Pablo Honorato, prefeitável do PSOL em João Pessoa, anunciou ontem a sua desistência da disputa com uma carta introspectiva e pouco comum no ´submundo´ da política.

Leia trechos.

Espelho

“Não me vejo candidato a um cargo político. Acho que não é uma tarefa fácil e me faltam as ambições que sobram nos políticos, que veem nisso razões para colocar dinheiro no bolso.

“Repulsa”

“Não sei mentir, sempre falei o que penso. Mas não consigo lidar bem com relações onde a corrupção e o descaso com os pobres se faz presente. Talvez isso pareça uma virtude, mas a verdade é que dentro desse sistema apodrecido, me falta a maleabilidade necessária pra construir consensos, porque sobra repulsa.

Podres

“Estar, ainda que tão brevemente, na cabeça de uma chapa me mostrou como são apodrecidas as relações que envolvem os bastidores da política.

´Mercadoria´

“Não sei se vocês sabem, mas há políticos que compram votos – e as pessoas vendem mesmo. Não sei se vocês sabem, mas partidos são ambientes estranhos, onde as pessoas não são vistas como pessoas, mas como interesses, e vínculos afetivos não se constroem.

Tarefa

“Aceitei a missão que o PSOL me deu porque queria provar que a política não é somente pros ricos, mas falhei. O povo brasileiro me ensinou exatamente o contrário.

“Nojo”

“Não me preparei psicologicamente pra essa missão (…) Sobrava o que ainda sobra: nojo do clientelismo violento e das oligarquias velhas (…) Nojo da mídia sensacionalista (…) E pena do povo brasileiro, que – dentro dos contornos reais – não tem opção melhor do que uma esquerda vendida e egoísta.

Confissão

“Confesso que me candidatar foi uma das piores experiências que já tive na vida. E o que posso dizer é que essa foi a breve história de um ex-candidato que não conseguiu representar esperança porque perdeu a esperança”.

Conjectura

Num primeiro momento após a desistência de Pablo, chegou a ser especulado o apoio a Ricardo Coutinho.

Manter-se…

Mas no final da tarde foi anunciado o psicólogo Ítalo Guedes, 28 anos, integrante do diretório estadual do PSOL, como novo prefeitável.

… Na disputa

“A decisão de continuar com o nosso projeto foi coletivo. Destacamos que é importante que o PSOL esteja nesse processo eleitoral para mudarmos a atual conjuntura desses governos tanto no plano nacional quanto local. O PSOL não poderia ficar de fora”, justificou Áurea Augusto, presidente municipal do partido.

Aceite

“Sou militante há muitos anos e nesse momento estou à disposição do PSOL, mas com a certeza que essa luta é coletiva”, declarou Ítalo.

Na tela

Inácio Falcão (PCdoB) foi o primeiro entrevistado na série com os candidatos a prefeito de Campina Grande promovida pela TV Itararé (programa Ideia Livre).

Leia algumas de suas declarações.

Por que…

“Eu tive quatro mandatos de vereador e estou no segundo mandato de deputado estadual. Tem uma experiência larga de discutir orçamento.

… Está na disputa?

“Vou pegar a experiência que captei em termos de Legislativo e aplicar de uma forma muito mais ampla, com visão de governabilidade muito maior, em termos de gerenciamento do município.

Alargamento

“Vou governar a cidade para todas as famílias, e não para poucas famílias.

“Do povo”

“A minha chapa é do povo. O povo transpira e respira uma vontade de mudança (…) Quem vai governar a cidade é Inácio Falcão e Tatiana (Medeiros) como vice.

Coligação

“Cada partido tem as suas ideologias. Mas quando partem para composições, unem-se as ideologias. As ideologias são concretas quando você une. Quando se faz uma coligação, é apenas uma visão: governar a cidade para todos.

Paroquial

“A eleição é municipalizada (…) A figura do presidente (Bolsonaro) não interfere nem tem como interferir. São problemas municipalizados.

João

“A opção do governador (apoio à prefeitável Ana Cláudia, do Podemos) foi de uma forma muito respeitosa.

Relação com…

(Bolsonaro) “(não haveria problema) De forma nenhuma, em hipótese alguma. Nós temos quer ter uma visão muito mais ampla. Nada impede que eu possa me sentar com o presidente e discutir projetos relevantes para Campina.

Zeladoria

“As calçadas de Campina precisam melhorar. Não têm acessibilidade (…) 100% dos canais urbanos estão inconclusos.

Assistência social

“(clínicas médicas que mantém na cidade) De forma nenhuma (pretende reduzir o funcionamento). Nenhuma das instituições é credenciada pelo SUS. E permaneceriam (se eleito) da mesma forma.

Metas

“Um dos sonhos que eu tenho é construir o polo calçadista, com área de mais de 200 hectares (…) E transformar Campina na melhor saúde pública do país, sendo referência nacional.

Acerto com a vice

“Não houve discussão nem loteamento do patrimônio administrativo do município. Foi um encontro de ideias, união de projetos de governabilidade (…) A força da mulher ao meu lado, na chapa majoritária é de suma importância.

Não será secretária

“De forma alguma. Ela (Tatiana) será a vice-prefeita, e terá um papel importante. Estará discutindo e participando de todas as decisões internas da gestão (…) Ela terá um papel fundamental na escolha dos secretários e do 2º e 3º escalões”.

Vida longa

Com dificuldades para emplacar um programa de auxílio, o Renda Cidadã, o governo pode estender o auxílio emergencial até março de 2021, informou ontem o site da revista Veja.

Caso vá até junho de 2021 nos moldes atuais, de R$ 300 ao mês, o governo gastará cerca de R$ 100,5 bilhões para manter essa ação social.

Os candidatos a vereador estão engajados na campanha para prefeito?...
Share this page to Telegram

Arquivo da Coluna

Arquivo 2019 Arquivo 2018 Arquivo 2017

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube