Jornalista há quase 30 anos, escreve a coluna Aparte desde 1991. Já trabalhou em TV, rádio e foi editor chefe do Jornal da Paraíba e colunista das TVs Cabo Branco e Paraíba. É comentarista político das rádios Campina FM, Caturité AM e editor do portal de notícias Paraibaonline.

quinta-feira, 02/06/2016

PSDB se sente governo

Por falta de opção

No programa ´Ideia Livre Política & Economia´, anteontem, na TV Itararé, o deputado Damião Feliciano (PDT) disse que o seu partido antecipou a definição da coligação (apoio ao PSB) porque “Campina vive uma situação diferente. Quase a metade da população não quer votar no grupo que aí está (Romero Rodrigues) nem no outro grupo que se apresenta como principal oposição (Veneziano)”.

Desejo

À ótica do deputado ´do coração´, “a cidade quer votar num novo modelo; pessoas que possam trazer esperança ao campinense”.

Reciprocidade

Damião admitiu que ele e outros parlamentares federais que têm base em Campina precisam corresponder mais intensamente ao apoio que recebem.

Injeção

“Nós precisamos dar mais por esta cidade; precisamos trabalhar mais por Campina”, reconheceu.

Negativa

Ao passar a limpo a revelação feita em recente entrevista por Veneziano – segundo a qual Damião teria lhe confessado que estava apoiando Adriano Galdino “constrangido”, por pressão do governador -, Feliciano desmentiu integralmente as palavras que lhe foram atribuídas.

Nada a ver

“Eu posso estar constrangido em apoiar alguém?! Em absoluto”, frisou o deputado.

Transcrição

Damião contou que após a divulgação da declaração, Veneziano ligou ele e ponderou que “foi um erro de intepretação entre o que foi dito e o que foi revelado”.

Em tempo

A citada declaração de Veneziano foi dada à Rádio Campina FM e reproduzida fidedignamente pelo PARAIBAONLINE.

Mais à frente

Tive a oportunidade de participar ontem de mais uma reunião do Comitê de Segurança Hídrica de Campina Grande, que tratou do ´drama´ do abastecimento d´água local.

Diante da necessidade de aprofundamento no tema, o farei oportunamente.

O detalhe

Apenas uma inadiável anotação: dos 19 prefeitos convidados, apenas apareceu por lá Romero Rodrigues.

Linha de tiro

Foram contundentes as criticas que o empresário e prefeitável Artur Bolinha Almeida (PPS) fez ontem na direção do deputado-presidente Adriano Galdino, igualmente prefeitável do PSB em Campina Grande.

Afrontoso

“A escolha foi um equívoco, porque não vejo legitimidade. Ele nunca disputou uma eleição majoritária em Campina. Isso pra mim é um afronta à cidade. Ele não tem uma ação efetiva na cidade”, despejou ´Bolinha´ pelos microfones da ´Campina FM´.

Exemplar

Ainda de acordo com o postulante do PPS, “a cidade tem que dar uma resposta muito forte, para que no futuro não surjam outros Adrianos”.

Acolhida

Romero Rodrigues deu posse ontem aos 48 novos membros do Conselho Municipal de Saúde (24 titulares e 24 suplentes).

O índice de renovação foi da ordem de 50%.

 

Recondução

Dia 14 próximo ocorrerá a eleição da nova mesa diretora do Conselho.

Joseildo Brito de Freitas deverá ser reconduzido à presidência.

Comenda

O ex-ministro das Cidades e atual ministro das Comunicações, Gilberto Kassab, recebe amanhã à tarde o título de cidadania campinense, no plenário da Câmara, conforme propositura do vereador Marinaldo Cardoso (PRB).

Amem

Finalmente, será colocado um semáforo no cruzamento da rua Rio de Janeiro com a avenida Assis Chateaubriand, próximo ao Complexo Judiciário, em Campina.

O local é uma ´usina´ de acidentes de trânsito.

Rótulo

Ao que tudo indica o programa ´Minha Casa Minha Vida´ será ´rebatizado´.

Talher

Uma parte da bancada paraibana no Congresso Nacional desfrutou ontem do tempero da residência do deputado Rômulo Gouveia (PSD) em Brasília.

Comensais

Além do anfitrião, estavam os senadores Cássio e Raimundo Lira, como também os deputados Efraim Filho (DEM), Wilson Filho (PTB) e Benjamin Maranhão (SD).

Rateio

Degustação à parte, o cardápio envolveu a divisão dos cargos federais no Estado.

Com Zé

Quase simultaneamente, o presidente em exercício Michel Temer (PMDB) abriu espaço em sua agenda para receber o senador José Maranhão (PMDB).

JM também pautou o mesmo cardápio.

Cupular

Ainda sobre Temer. Na noite de terça-feira ele ofereceu um jantar à cúpula do PSDB.

E fez questão que estivesse presente o presidente nacional em exercício do PMDB, senador Romero Jucá (RR).

Liderança

“No encontro, tivemos a oportunidade de mostrar a importância do gesto do (senador do PSDB/SP) Aloysio Nunes (aceitou assumir a liderança do Governo no Senado) como fator de integração e participação do PSDB no núcleo central e decisório do governo”, relatou posteriormente o líder ´tucano´, Cássio Cunha Lima.

Transformação

Para CCL, “o fato é que nós fomos dormir no centro da oposição e acordamos, no dia seguinte ao impeachment, na periferia do governo. Muitas vezes você ser centro da oposição é melhor do que ser periferia de governo”.

Ritual

O senador paraibano argumentou que a aproximação PMDB/PSDB ocorre de forma gradual: “É uma construção que se faz no dia a dia como num matrimônio”.

“Não é hora de pensar em projeto partidário ou pessoal. A situação do País exige que todos nós assumamos riscos. Tem um risco enorme, é inegável, o PSDB paga um preço por isso, mas acima de tudo isso está o Brasil”, acrescentou Cássio.

Teremos as delações de Dilma e Lula?...
Simple Share Buttons