Fechar

Fechar

Arimatéa Souza

terça-feira, 27/02/2018

PSDB na cabeça de chapa

Sábias palavras

É de uma precisão ímpar o artigo que o ex-ministro e senador Cristovam Buarque (DF) escreveu sobre o ex-presidente Lula. Leia alguns trechos.

“No futuro, a História poderá classificar os governos Lula e Dilma Rousseff como a grande oportunidade perdida pelo Brasil na marcha para um tempo de política decente, economia dinâmica, sociedade justa e ecologia sustentada. Lula, como líder, poderia ter sido nosso Mandela”.

Trânsito livre

Segue Cristovam: “Lula tinha a liderança necessária para pressionar os ricos, pedir paciência aos pobres, compreensão aos sindicatos e garantir a democracia e os direitos humanos com diversidade, para construir um Brasil progressista na distribuição de renda e no equilíbrio com a natureza.

Conversão

“Por se apegar ao poder, sem causa transformadora, sem visão progressista, Lula roubou essa oportunidade do Brasil. Ficou um político conservador, apegado ao poder e ao imediato, não foi o estadista-metalúrgico que o Brasil esperava e precisava”.

Serviço

Para ler o artigo inteiro, clique aqui.

Sem volta

O deputado Veneziano (MDB) afirmou ontem que “não tenho mais a pretensão” de disputar a Prefeitura de Campina Grande, numa referência ao ainda distante pleito de 2020.

Cadê?

O ´V´ questionou na ´Campina FM´ o motivo pelo qual a Câmara campinense, particularmente a bancada de oposição, ainda não propôs a instalação de uma CPI para apurar as declarações do deputado Manoel Ludgério (PSD) sobre a nomeação de aliados dele (na cidade de Lagoa Seca) para cargos de confiança no Legislativo e na PMCG.

Debate

A empresária Rosália Lucas, secretária de Desenvolvimento Econômico da PMCG, é a entrevistada de hoje no programa ´Ideia Livre´, que começa às 22h15 na TV Itararé – canal 18.1 (HD) e 19 (analógico), ou pela internet no endereço www.tvitarare.com.br

Tilintar

A direção nacional do MDB deve anunciar esta semana que dará R$ 1,5 milhão a cada deputado federal da legenda para custear a reeleição.

Cantilena

O vice-prefeito campinense Enivaldo Ribeiro (PP) externou ontem o seu desapontamento pessoal (e partidário) com a indefinição no âmbito das oposições: “Você não pode ficar o tempo todinho falando em candidatura, candidatura… e não tem um projeto que venha a ajudar a Paraíba”.

Esgotou

“Você fica nessa discussão o tempo todinho, na mesmice, sem ter uma definição, sem ter nada de produtivo para Paraíba. O PP quer apresentar soluções. Já está enchendo o saco, ninguém mais aguenta estar ouvindo isso”, acrescentou Enivaldo.

Prenúncio

Aplicada a ´psicologia´ à trajetória do PP no Estado, é de se aguardar algum posicionamento partidário surpreendente ao longo das próximas semanas.

Sintomático

Existe até quem estranhe o recente pedido público de audiência ao governador feito pela deputada Daniella Ribeiro, apesar da menção explicita ao problema da segurança pública.

 

´Festival´
Reportagem levada ao ar ontem no Jornal Nacional da Rede Globo mostrou que a cada dia, em média, são criadas 600 normas para regular as atividades empresariais no Brasil.

Veio à tona

Justamente no dia em que APARTE divulgou a troca de telefonema entre o irmão do prefeito pessoense Lucélio Cartaxo (PSD) e Waldson Souza (secretário de Articulação Política do Estado), o secretário de Articulação Política da PMJP, Zennedy Bezerra (um dos mais próximos e antigos correligionários do prefeito Luciano Cartaxo) reapareceu na mídia.

Negativa

Em entrevista à ´Arapuan FM´, Zennedy desmentiu enfaticamente a existência de qualquer canal de diálogo com Ricardo Coutinho.

Reiteração

“Afirmo, de forma muito categórica, que não há interlocução por parte do governo do Estado nem por parte do nosso núcleo político. Possa afirmar isso: que não há nenhum tipo de conversação ou reaproximação”, registrou.

Tudo zerado

O secretário municipal afirmou que “não há chapa formatada, decidida no campo das oposições. Não há! Não aconteceu”.

Riscos

Ele observou (ou alertou?) que “é impossível duas personalidades apenas (Luciano e Romero Rodrigues) tomarem uma decisão importante para a vida do Estado, e de forma particular para João Pessoa, porque ele (Cartaxo) teria que renunciar para disputar”.

Retaguarda

“Outras forças políticas têm que ser consideradas, são importantes. O PP é uma força importante sim nesse processo; o PSC é força importante; o PRB, o Solidariedade também, para que a gente não tome uma decisão e isso, mais à frente, acabe se desmontando”, prosseguiu o secretário.

Sem ré

Bezerra acha que o MDB “já tomou a decisão de ir com a candidatura de José Maranhão em quaisquer circunstâncias. Mais por conveniência do que por posição de oposição ao governo estadual. Está clara a posição do senador”.

Correlação

É oportuno salientar que as legendas listadas por Zennedy como indispensáveis para uma coligação são as que foram citadas por José Maranhão como prováveis aliadas do MDB.

Impraticáveis

As garantias que são propostas pelo aliado do prefeito Luciano Cartaxo são impossíveis de serem oferecidas pelas principais lideranças oposicionistas.

Distância

Por um fato elementar: há um intervalo – imenso para o ambiente político – entre o prazo de desincompatibilização (7 de abril) e o calendário das convenções e do registro de chapas – julho/agosto.

Com o binóculo na mão

Se a política, vez por outra, tiver alguma lógica, comece a imaginar o número 45 na urna eletrônica como uma das candidaturas ao governo estadual.

E tudo caminha – feito rio em direção ao mar – para o nome do senador Cássio Cunha Lima.

O Solidariedade vai entregar a secretaria que ocupa na PMJP?...
Simple Share Buttons

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube