Fechar

Fechar

Arimatéa Souza

quarta-feira, 01/11/2017

Planos: apenas papel e retórica

Em cogitação

O empresário Dalton Gadelha disse ontem, na ´Campina FM´, que admitiu “em conversas com amigos” a possibilidade de concorrer a um mandato de senador nas eleições do ano que vem, como havia informado, dias atrás, na Assembleia Legislativa, o seu irmão, deputado Renato Gadelha (PSC).

“A renovação na política só vai aparecer se aparecer gente nova como candidato”, sublinhou.

Ainda conforme o seu raciocínio, “se o novo não se apresentar, todos serão reeleitos”.

Propenso

Indagado pelo colunista qual seria a ´fotografia de momento´ em termos de tendência de ir às urnas no ano que vem, Dalton respondeu “70%”, assinalando que tem pesado no avanço da definição “a intuição e o que sinto nas ruas”.

Indiferença

“A população não está satisfeita com os nomes que estão colocados” até o momento para a disputa vindoura, avaliou o empresário ao comentar a ´apatia das ruas´ no presente.

“Protestos já foram feitos demais e a decepção foi grande”, emendou.

Vai eclodir

Ainda sobre o pleito que se avizinha, Dalton Gadelha prognosticou que “vem uma surpresa por aí. Não sei de onde virá”.

Quem mais fez

O secretário de Infraestrutura do Estado (e pré-candidato a governador pelo PSB) João Azevedo (que hoje visita Campina Grande) disse ontem que a eleição de 2018 será plebiscitária no Estado.

Comparativo

“Você tem um modelo completamente diferente na Paraíba. Vai ser discutido entre essa capacidade que o PSB teve de fazer isso acontecer no Estado e uma gestão que eu vejo bastante capenga hoje em João Pessoa”, enfatizou o socialista, ao fazer uma alusão ao seu potencial concorrente, o prefeito Luciano Cartaxo (PSD-JP).

Alfinetada

Prontamente Cartaxo respondeu: “Eu não posso responder, porque a última informação que eu tive sobre o secretário (João Azevedo) foi a de que ele estava passeando na Europa. O que eu posso dizer é que a Prefeitura de João Pessoa não para de trabalhar”.

´Subsolo´

Um estudo do Banco Mundial apontou que 22% dos brasileiros são pobres. A instituição passou a usar um novo parâmetro para o Brasil, ao elevar de US$ 1,90 para US$ 5,50 o gasto diário que define a linha de pobreza dos países de renda média alta, noticiou o jornal Folha de São Paulo.

Pulo

Com isso, a quantidade de pessoas que vivem abaixo da linha de pobreza saltou de 8,9 milhões para 45,5 milhões.

Seletivo

O ex-senador Efraim Morais (DEM) descartou, ontem, a possibilidade de concorrer a um mandato para deputado no ano que vem.

“Na Assembleia Legislativa, em hipótese alguma. Só se for na majoritária”, delimitou.

´Frentão´

O prefeito de São Paulo, João Dória Júnior (PSDB), sugeriu ontem a formação de uma frente de partidos de centro – PSDB, PMDB, DEM, PPS, PP, PR, PRB, PV e PSB – para lançar candidato único a presidente em 2018, como forma de se contrapor à polarização que se desenha nas pesquisas entre Lula (PT) e o deputado Jair Bolsonaro.

CREA

O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia realizará no dia 15 de dezembro a eleição para escolher a sua nova direção. Cerca de 15 mil associados deverão votar no pleito.

Concorrente

Por enquanto, temos uma chapa inscrita, que é liderada pelo engenheiro Antonio Carlos de Aragão (natural de Campina Grande, mas que reside atualmente em Joao Pessoa).

Remendo

Nos bastidores ´tucanos´ está sendo cogitada a alternativa de o governador de São Paulo (e presidenciável) Geraldo Alckmin ser lançado como candidato de consenso à presidência nacional do PSDB, como forma de tentar pacificar a legenda.

A eleição ocorrerá em dezembro próximo.

Trio

O corretor Lúcio Funaro disse ontem ao juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal, em Brasília, que o presidente Michel Temer, mais o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Moreira Franco, e o deputado cassado Eduardo Cunha (RJ) – a tal ´turma do PMDB´ – receberam propina de uma empresa de energia do Grupo Bertin.

Divisão

“Se não me engano, Eduardo Cunha ficou com R$ 1 milhão; e R$ 2 milhões foram destinados ao presidente”, contou o doleiro.

O detalhe

A certa altura do depoimento, Funaro revelou que “devo ter pago de carro para ele (Cunha) mais de dez”.

Contrapartida

Em troca, os peemedebistas teriam acelerado a liberação de recursos do fundo de investimento do FGTS, gerido pela Caixa Econômica Federal.

Maus lençóis

Dilema do vereador Olímpio Oliveira (PMDB): “A situação hoje para o parlamentar é complicada. Não existe fidelidade do partido com o parlamentar. A situação da Paraíba, por exemplo, deixa você desconfortável, pois os aliados da legenda na Capital são os teus adversários na cidade em que você milita politicamente. Ou seja, sou aliado em João Pessoa de quem eu sou adversário em Campina Grande. Dentro de um estado pequeno como o nosso fica complicado pra você digerir”.

Só lero

O jornal O Globo informou que o Plano Nacional de Segurança Pública da gestão Michel Temer (lançado em janeiro último) praticamente não vingou.

Nem iniciativas que só dependem do governo federal, como a instalação de 837 câmaras em rodovias, saíram do papel.

Os cinco novos presídios federais prometidos não começaram a ser construídos.

Quem se candidata a ser vice de Maranhão no ano que vem?...
Simple Share Buttons

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube