Fechar

Fechar

Arimatéa Souza

sábado, 17/03/2018

Personagem oculto

´Choque de simplificação´

Na sua passagem ontem pela Paraíba, o presidente da Câmara Federal (e pré-candidato a presidente pelo Democratas), deputado Rodrigo Maia (RJ) defendeu uma redução drástica na burocracia do País, o que para ele se traduziria “pela redução da intromissão do poder público” no cotidiano da população.

“Queremos um Estado mais barato e simples. A burocracia inferniza a vida do brasileiro. Para tudo você precisa de um carimbo”, assinalou.

Virar a página

Sobre a sua pré-campanha, Maia frisou que “não desqualifico a candidatura de ninguém, mas acredito que a candidatura que a sociedade espera é de um novo ciclo, pois o ciclo da ´Nova República´ acabou e vai se abrir um novo projeto que enfrente de forma mais clara, mais objetiva, toda essa estrutura que foi montada no Brasil, onde somente parte do serviço público e do empresariado se beneficiam”.

Sangria

O deputado criticou o volume de desonerações e de incentivos fiscais que existe atualmente no Brasil, por ele quantificado em R$ 285 bilhões anuais.

“Será que esse recurso chega ao povo brasileiro? Chega na ponta e gera emprego?” – indagou.

Arco

Acerca dos partidos que pretende atrair para apoiar a sua postulação, o pré-candidato do DEM disse que o PR, PTB, PRB, Solidariedade, PC do B, PPS e PT “são partidos que ao longo da nossa caminhada vamos acabar atraindo a maioria deles para estar no nosso palanque eleitoral”.

Convivência

“Com o PSB a gente dialoga, mas sabendo que não haverá aliança. Mas o PSB quer o apoio do DEM em alguns estados, como aqui na Paraíba”, pontificou.

O detalhe

Sua única e explícita restrição foi ao PSOL, “que não tem diálogo”.

Lá & cá

“O PRB continua na base do prefeito Romero Rodrigues, apoiando a administração, que tem sido elogiada”, anunciou ontem o deputado Jutay Menezes, mesmo com a legenda passando a integrar a base de apoio do governo estadual.

Nada muda

Por sinal, o próprio Jutay promete permanecer na oposição na ALPB: “Nunca foi debatido que eu terei que seguir a posição deles (novo comando da legenda, que tem à frente o deputado Hugo Motta). Continuo na posição de oposição ao governo e de independência dentro da Assembleia”.

Artilharia

A deputada Daniella Ribeiro deu, ontem, outra ´marretada´ na aliança do seu partido (PP, rebatizado como Progressistas) com o PSDB em Campina Grande.

Espelhadas

À sua ótica, as discussões levadas a efeito na oposição, especialmente no PSD e PSDB, representam, na prática, “um debate simplesmente de nomes e de projetos individuais”.

“Não podemos permitir que isso aconteça”, avisou.

Sinuosidade

“A grande pergunta que fica: Romero (Rodrigues) disse que era candidato, fez com que Luciano (Cartaxo) renunciasse. E agora Romero aparece e diz que não é candidato, sem conversar com mais ninguém. Fica parecendo que é projeto pessoal. E projeto pessoal nós não temos interesse, porque se tivéssemos também estaríamos discutindo nomes”, discorreu a deputada.

Vilão

Para Daniella, “o PSDB atrapalhou a unidade das oposições. Foram movimentos muito contraditórios”.

Coadjuvante

Segundo ela, o senador Cássio “tem a sua responsabilidade também” no tocante à hesitação do prefeito campinense.

Medo

A integrante do PP afirmou na ´Correio FM´ que “para mim era muito claro que Romero não seria candidato, nunca”.

“Faltou coragem ao prefeito”, exclamou, para lançar mão de uma conhecido ditado popular: ´Quem não pode com o bote, não pegue na rodilha´.

Autonomia

Daniella Ribeiro admitiu estabelecer conversações com outros partidos que não estão no bloco PSD/PSDB, a exemplo do MDB e PSB (do governador Ricardo Coutinho).

“O Progressistas sempre foi um partido muito independente”, grifou.

Alijado

A deputada afirmou que o seu partido não tem sido chamado para participar dessas discussões atinentes à formação da chapa majoritária das oposições.

Aplauso

Pai de Daniella, o vice-prefeito campinense Enivaldo Ribeiro apoiou o gesto de Cartaxo: “Ele já devia ter um partido há muito tempo. Você só tem total tranquilidade tendo um partido que você comande”.

Reação

A direção estadual do PSD, na pessoa do deputado Rômulo Gouveia, divulgou ontem uma nota com relação à desfiliação de Luciano Cartaxo.

Reafirmação

“É o momento de reafirmar, para que não existam dúvidas, o compromisso do meu mandato com o nosso Estado, com a capital de todos os paraibanos e com a administração municipal”, inicia o texto.

 

Participação

Adiante, o texto salienta que “o PSD contribuiu muito na construção da candidatura do prefeito Luciano, reeleito em 1º turno com quase 60% dos votos. Com o apoio do PSD, o seu nome foi considerado o mais forte para comandar o nosso Estado”.

De volta

Na manhã de ontem, Romero reapareceu em Campina, após alguns dias de permanência em Brasília.

Sem sobressaltos

“Vi com tranquilidade, primeiro porque ele não fazia parte do meu partido. É uma decisão pessoal, e falar sobre uma decisão pessoal dos outros fica difícil”, declarou RR acerca da troca de partido de Luciano Cartaxo.

Sem aviso prévio

O ´tucano´ recordou que conversou com LC em Brasília na 2ª feira: “O que dialogamos foi o que foi divulgado: estarmos juntos nas eleições deste ano”.

“Não era essa a informação que nós conversamos”, observou RR acerca da entrada no PV.

Espera

Romero pontuou que “vamos continuar esperando, aguardando” o posicionamento de Cartaxo, e situou que a sua postura de ´abrir mão´ para o pessoense não foi uma desistência.

Em grupo

“Fizemos uma discussão (com lideranças da oposição). Sempre disse que gostaria muito de ser votado, mas admitiria votar, porque alguém teria que ceder para permitir que houvesse minimamente a unidade das oposições. E assim agi, de forma muito verdadeira. Nunca agi tentando dar a seta para a esquerda e seguir para a direita”.

Sem afobação

“Vamos dar um tempo e aguardar, com serenidade. Não podemos falar de forma precipitada ou prematura. É virar a página e observar o que acontece”, argumentou Romero, exemplificando que “o próprio Rômulo Gouveia, que é o presidente do PSD, se surpreendeu (com a desfiliação). Imagine eu!”

Interlocução

Ao contrário da informação dada por Daniella, o prefeito campinense comentou que “conversei demoradamente com o deputado Aguinaldo Ribeiro”.

Desgaste

Romero deu uma ´alfinetada´ no presidente do PSDB/PB, Ruy Carneiro: “Ruy colocava a minha esposa (Micheline) como vice todo dia. Eu era candidato a governador e a minha esposa como vice (de Cartaxo) ao mesmo tempo. Inclusive, de alguma forma, isso trouxe um desconforto para a minha pré-candidatura nesse período. Mas não adianta olhar para o passado.”

Indiferente

Ao se aprofundar nessa questão da esposa como possível candidata a vice, o prefeito disse que “eu não trabalhei nunca essa questão. Sinceramente, da parte dela, ela nunca manifestou o desejo de concorrer a um mandato eletivo”.

Sob condições

“E disse internamente (no PSDB) que numa eventual necessidade, para construir com o projeto político da oposição, poderia até ser, mas não era a vontade dela. Eu iria discutir com ela. A minha família é mais importante do que a política”.

Pouso

Após ter passado a maior parte da semana em Brasília, Luciano Cartaxo regressou ontem a João Pessoa.

Sondagem

Ao comentar a entrada no PV, disse que “recebi um convite do sargento Dennis, que é uma pessoa que eu conheço há bastante tempo”.

Musculatura

Ele externou as suas expectativas com o PV: “Vamos fazer esse partido crescer e aumentar. O partido vai arejar a política no Estado da Paraíba. Vamos trazer grandes companheiros para fortalecer o partido”.

Horizontes

Ainda sobre a mudança de partido, Cartaxo ponderou que “é importante para que a gente tenha mais espaços na política”.

Carta…

“O PV é um partido democrático, e discutimos exatamente essa questão da autonomia e da independência; de escolher o melhor rumo para a Paraíba”, contextualizou LC.

… Branca

“A autonomia do diretório estadual está prevista. E nós vamos usufruir desse espaço de autonomia”, realçou Luciano.

Apoios em 2018

O prefeito da Capital avisou que “não vou tomar uma decisão sozinho, como bom militante. Vamos fazer uma política de acolhimento”.

Sem açodamento

Ainda no tocante à sucessão estadual, LC ressaltou que “vamos primeiro aguardar o prazo do dia 7 (de abril)”.

“Decisão mesmo, a gente aguarda um pouco mais”, acrescentou.

Aval dos ´girassol´

Ao se reportar ontem à chegada de Luciano Cartaxo (JP) no Partido Verde, Ricardo Coutinho declarou que “o PV tem a sua autonomia e compõe a nossa base”.

Mas o governador registrou que o ex-deputado Sargento Dennis – o que fez o convite a Cartaxo, nas palavras do próprio Luciano – telefonou para conversar com ele (RC) sobre a filiação do prefeito.

Parece que a candidatura de oposição na Paraíba será erguida sobre uma pedra...

Me Aguarde

Palanque

Simple Share Buttons

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube