Jornalista há quase 30 anos, escreve a coluna Aparte desde 1991. Já trabalhou em TV, rádio e foi editor chefe do Jornal da Paraíba e colunista das TVs Cabo Branco e Paraíba. É comentarista político das rádios Campina FM, Caturité AM e editor do portal de notícias Paraibaonline.

quinta-feira, 14/12/2017

Pedro está noutra

Peleja previsível

Como estava no horizonte desde meados deste ano, reluzente como o sol de verão, havia um ´encontro marcado´ entre o governo estadual e a Reitoria da UEPB neste final de ano, por conta do pagamento complementar da gratificação natalina aos seus servidores, uma vez que a parcela inicial foi quitada Executivo, mediante o provisionamento embutido nos repasses mensais à instituição.

Esse procedimento foi sustado mediante uma ação judicializada pelo comando da Universidade contra o seu provedor (Estado).

 

Pedido

O ´estopim´ para o recrudescimento da confrontação foi um ofício do reitor Rangel Júnior solicitando ao governo o repasse de recursos para assegurar a quitação das despesas finais com pessoal no exercício em fase conclusiva.

´Chega pra lá´

“Esses que vivem do duodécimo, chega dessa história de achar que o Estado é um saco sem fundo de dinheiro. Cada um tem que assumir as suas responsabilidades”, bradou o governador, utilizando a UEPB para estender o recado aos demais órgãos e poderes que têm autonomia orçamentária e financeira.

´Pera lá´

O recado foi sequenciado por um ´conselho´: “Vá com calma porque recurso público não é brincadeira. É preciso se respeitar o povo”.

Gênese

Esse salseiro todo na UEPB tem origem numa lei de autonomia imprecisa e que possui a irreal perspectiva de que nunca haveria crise econômica e contenção das receitas públicas.

Flexível

Dessa maneira, a discussão acerca de quanto deve ser repassado pelo governo estadual para o seu funcionamento é uma espécie de chiclete: cada lado pode puxar para onde quiser e dar o formato (interpretação) que lhe for conveniente.

Jogando a toalha

Inesperadamente, o líder do Governo no Congresso Nacional, o multiprocessado senador Romero Jucá (PMDB-RR) anunciou ontem que a reforma previdenciária só será votada em fevereiro vindouro.

Pausa

Horas depois, o líder do Governo na Câmara Federal, deputado paraibano Aguinaldo Ribeiro (PP), informou que “vamos aguardar o presidente Michel Temer voltar (a Brasília) amanhã (hoje), para decidir em reunião com os presidentes da Câmara e do Senado o rito da Previdência”.

Sem fugir

“Amanhã ou em fevereiro teremos que enfrentar esta pauta”, acrescentou Aguinaldo.

Bancada

Na confraternização de final de ano do Avante (ex-PTdoB) em Campina Grande, ontem, o deputado estadual (licenciado) Genival Matias anunciou que a meta do partido no Estado, no ano que vem, é eleger seis deputados estaduais e um federal.

O detalhe

A legenda está presente em 175 cidades paraibanas.

Binóculo

Presidente do Avante em Campina, o ex-deputado Álvaro Neto disse que o próximo desafio é o pleito estadual do ano que vem, mas realçou que “não podemos perder de vista a eleição para prefeito em 2020”.

Méritos

Na saudação que verbalizou, anteontem, como autor da propositura que tornou o ex-senador Marcondes Gadelha (PSC) o novo cidadão campinense, o vereador Álvaro Farias (PSC) disse que o homenageado “é um ser humano de ilibada conduta, que muito orgulha a sua terra, a Paraíba”.

 

Destemido

Farias recordou que o ex-senador teve “muita coragem” no processo de consolidação do projeto de transposição do Rio São Francisco, “diante da oposição de outros Estados nordestinos”.

Devedora

“Marcondes é um homem que lutou, a vida inteira, por ideais altruístas. Homens como ele são imprescindíveis. Campina lhe deve muito”, finalizou o vereador.

Longevidade

Amigo de Marcondes há “quase 60 anos”, o médico e colunista político José Morais Lucas realçou a “amizade que até hoje permanece”.

Vigoroso

O vereador Pimentel Filho (PSD) frisou a “destacada participação” de Marcondes na política nacional e “no que se refere à transposição, da qual foi um ferrenho defensor”, tendo no início “lutado contra tudo”.

Adorno

“Campina será uma eterna devedora. A coroa da Rainha (da Borborema) tem mais uma joia”, acrescentou o edil.

Materialização

João Dantas, vereador do PSD, disse que o ex-senador “bravamente lutou pelos seus conterrâneos” no “enfrentamento” em favor da obra da transposição.

“Esse título (de cidadania) é um reconhecimento; é a justiça que se faz”, concluiu.

Stop

Por questão de espaço, fico devendo para uma das próximas edições alguns trechos do discurso de agradecimento de Marcondes Gadelha.

Pioneiro

Na última terça-feira, o Tribunal de Contas da União aprovou os termos e condições do acordo de leniência entre o Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União (CGU) e a holandesa SBM Offshore, uma das empresas envolvidas na Operação Lava Jato.

A relatoria do caso foi do ministro Vital do Rêgo Filho.

´Azulado´

O ex-presidente Lula afirmou ontem que está com 72 anos, mas uma “energia de 30 e um tesão de 20” para voltar a governar o país.

Frisson

“Vou percorrer esse país, virar esse país de ponta-cabeça, porque somente um governo democrático, popular, eleito pelo povo é capaz de colocar jovens brancos e negros da periferia na universidade, índio na universidade, e fazer o Brasil voltar a ser respeitado no mundo inteiro”, prometeu, em visita ontem a Brasília.

´Digestão´

Ainda conforme o petista, “sendo candidato ou não, eles vão ter que nos engolir em 2018”.

Imaculado

Incorrigível, Lula voltou a mirar o espelho: “Se tem uma pessoa nesse país que não precisava de um advogado de defesa era eu”.

Encurtou

O deputado Veneziano anunciou ontem que não pretende aguardar até abril (prazo legal) para decidir sobre a eventual desfiliação do PMDB.

O seu prazo limite é fevereiro.

O ´projeto é mais em cima´

Se existe, pelo menos, um resíduo de racionalidade nos fatos e gestos políticos, o deputado Pedro Cunha Lima (PSDB) está sendo ´lapidado´ para disputar um mandato majoritário nas eleições do ano que vem.

Os gestos que ele tem praticado e a dinâmica dos pronunciamentos que proclama indicam que Pedro muito provavelmente não se prepara para tentar retornar à ´planície´ do plenário da Câmara Federal, poder do qual se tornou um critico fervoroso – seja por convicção, seja (quem sabe) por mandamento estratégico.

Romero reassumirá o cargo mais ou menos candidato em 2018?...
Simple Share Buttons