Fechar

Fechar

Arimatéa Souza

terça-feira, 27/09/2016

Os ruídos da delação patoense

Condicionalidade

Em entrevista ontem no Jornal da Manhã da Rádio Caturité, o prefeitável Adriano Galdino (PSB) afirmou que na hipótese de não ir para um eventual 2º turno, a decisão de apoio aos concorrentes será do partido.

“Vou cumprir integralmente a decisão”, sublinhou.

Vácuo

Para o socialista, a gestão pública atual em Campina “está muito distante do povo”.

Irreal

Ainda de acordo com Adriano, os seus concorrentes Romero Rodrigues (PSDB) e Veneziano (PMDB) “mostram” em suas propagandas “uma Campina fictícia”.

Desistência

O prefeitável do PSB comunicou à direção da CDL/CG a sua opção de não participar do debate com filiados à entidade, inicialmente programado para hoje.

Na fila

No protocolo do TRE/PB foram registradas pesquisas do Ibope (João Pessoa), Instituto Veritá (Campina Grande), Open Data Analysis (Campina), além do Instituto 6Sigma (nas duas maiores cidades do Estado).

Na TV

O candidato Artur Bolinha (Coligação Por Campina, por você) fecha hoje a série de entrevistas com candidatos a prefeito de Campina no programa ´Ideia Livre Política & Economia´ – 22 horas na TV Itararé (canal 18.1, digital, e 19, analógico).

Indicado

O Senador Deca (PSDB/PB) passa a integrar, como titular, três comissões do Senado: Desenvolvimento Regional e Turismo, Serviços de Infraestrutura, e a de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática, bem como a suplência da Comissão de Assuntos Sociais.

Da boca de…

“… É impressionante a capacidade de fazer bobagens dos ministros do Governo Temer (…) Está para ser provada a capacidade de Temer de demitir ministro…” (jornalista Merval Pereira, Globonews).

Percentual

O empresário José Aloysio da Costa Machado Neto, um dos donos da Soconstrói, empresa investigada na operação Desumanidade, afirmou em proposta de delação premiada que o pai do deputado Hugo Motta (PMDB-PB), deputado Nabor Wanderley (PMDB-PB), recebeu 10% em propina sobre obras da Prefeitura de Patos, conforme noticiou o jornal O Estado de São Paulo.

Destinação

“Hugo já era deputado federal nesta época. Nabor ganha as eleições e todas as obras vão ser executadas por Segundo Madruga, as empresas eram emprestadas, 10% do valor das obras iriam para o grupo político comandado por Nabor.

Integrantes

O grupo em questão envolve Nabor, Hugo, Chica Motta (prefeita afastada), Ilanna Motta (mãe de Hugo) e outros menores”, explicou o empresário em sua proposta de delação.

Acerto

O empresário também afirmou que Segundo Madruga, prefeito da cidade vizinha de Emas, e cunhado de Hugo Motta, se reuniu com Nabor para determinar que a obra de terraplanagem ficaria a cargo da empresa de fachada Suport.

Direcionamento

“Isto ocorreu em 2010, o contrato tinha o valor de 1 milhão e 96 mil. Que no caso em específico a fraude se deu pela especificidade e direcionamento do Edital”, afirmou o empresário.

Especificidades

Ao Ministério Público Federal, o empresário declarou que os editais da Prefeitura de Patos são ‘confeccionados com algumas exigências e restrições para beneficiar algumas empresas’.

Guia prático

José Aloysio da Costa Machado Neto disse que Segundo Madruga, cunhado de Hugo, solicitou o acervo técnico da empresa para que o presidente da licitação e secretário de Planejamento à época, identificado como Corcino, enquadrasse ao edital.

Refeito

“Hugo Motta havia determinado a Corcino que o Edital deveria atender a empresa. Que o primeiro edital que Corcino fez não atendia ao acervo do colaborador (José Aloysio da Costa Machado Neto), então Hugo chamou a atenção dele para que fosse elaborado um novo Edital atendendo ao acervo para que a empresa pudesse vencer. A Suport participou e venceu”, revelou o empresário.

Repasse

Em depoimento gravado em vídeo em 4 de agosto deste ano, José Aloysio declarou que em determinado momento o dinheiro destinado ao pai de Hugo (Nabor) era transferido direto da conta da Suport para a empresa Engemaia (Junior Maia), ‘para arcar com débitos de Nabor’.

Créditos

“Nabor geralmente recebia em espécie, mas no final a parte de Nabor ia diretamente para a Engemaia (Junior Maia). Esta construtora ainda existe e o sócio é vivo”, afirmou o empresário.

Rastreamento

A Procuradoria da República, na Paraíba, mapeou repasses para mãe e cunhado de ex-presidente da CPI da Petrobrás.

Jogo político

Nabor Wanderley disse ao ´Estadão´ desconhecer a proposta de delação. “Julgo muito estranha essa proposta de delação e conclusões totalmente inverídicas às vésperas da eleição, claramente com o intuito de influenciar o pleito, já que não conheço os dados mencionados”, argumentou.

Rômulo Gouveia anda sumido da campanha em Campina...
Simple Share Buttons

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube