Arimatéa Souza

sábado, 02/01/2021

Os recados de Bruno e Cícero

No ´apagar das luzes´

Nas últimas horas de 2020, o então prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PV), divulgou o veto ao reajuste aprovado pelo Legislativo para as remunerações dos vereadores, do prefeito, do vice-prefeito e dos secretários municipais.

“Embora o reajuste tenha previsão de entrar em vigor somente em 2022, está sendo concedido nos últimos 180 dias do mandato do prefeito. Essa matéria teria que ser aprovada em um período anterior aos 180 dias finais da gestão e a Câmara Municipal teve tempo suficiente para esse trâmite. O veto jurídico se torna agora a única opção adequada para evitar sanções pessoais ao gestor e institucionais ao ente público”, justificou o procurador-geral da gestão anterior, Adelmar Régis.

Reta final

O advogado Fábio Thoma, ex-procurador geral do município de Campina Grande no Governo Veneziano, foi indicado no último dia do ano para ocupar o cargo de secretário executivo da Secretaria de Desenvolvimento Social.

Ao que tudo indica, na ´cota´ do ´V´.

Desconexão…

O amanhecer no Poder Legislativo de Campina Grande, ontem, foi com o local sem internet e sem o acesso à sala de informática.

… Total

Foi determinado o arrombamento da porta, como forma de ser viabilizada a gravação e transmissão pela internet da sessão solene de instalação da nova legislatura.

Agregou-se

No início do processo de eleição da nova mesa diretora, a ex-presidente Ivonete Ludgério (PSD) pediu para subscrever o pedido de registro da chapa única que estava concorrendo, “já que não fui convidada para assinar”.

Expurgo

Quando do processo de votação, a mesma parlamentar solicitou para votar separadamente para cada cargo da mesa.

E no caso da 2ª vice-presidência, não votou no vereador Saulo Germano (PSC).

Questionamento

Concluído o processo, o vereador Alexandre Pereira (PSD) indagou à presidência se não seria o caso de anular o voto de Ivonete, diante da excepcionalidade do procedimento.

Manutenção

Alexandre obteve como resposta de Olímpio Oliveira (PSL) – que presidia os trabalhos naquele momento por ser o ´decano´, com mais mandatos consecutivos acumulados – que o regimento interno era omisso acerca do procedimento adotado e que o voto estava validado.

Chance

Ao encerrar a sua participação como presidente dos trabalhos, Olímpio disse que o presidente eleito Marinaldo Cardoso (REP) “tinha a oportunidade de construir um tempo novo”, mediante “mudança de comportamentos”.

Obstinado

“Resiliência. Esta é a palavra-chave que tem norteado a minha vida”.

Foi que disse Marinaldo em seu discurso de posse.

Balizas

Ele prometeu governar a Câmara com “coragem, ousadia e, sobretudo, humildade”.

“Esperem de mim respeito e pacificação”, emendou.

´Baldeou´

A partir da conclusão dessa eleição foi estabelecida a cizânia no colegiado, diante de uma proposta, subscrita por 19 vereadores, para a realização da eleição da mesa diretora para o biênio 2023/2024.

O pleito acabou ocorrendo e o vereador Sargento Neto (PSD) foi eleito.

Recorrer

Três vereadores da oposição – Jô Oliveira (PCdoB), Anderson Almeida (Podemos) e Olímpio Oliveira (PSL) – já anteciparam que vão contestar a eleição no Judiciário.

Mas, por questão de espaço, fica o detalhamento para outra edição.

Olhar à frente

“Estamos juntos. A Paraíba lhe espera”, verbalizou o vereador-presidente Marinaldo Cardoso, já falando na sessão ocorrida no Teatro Unifacisa para a posse do prefeito Bruno Cunha Lima e de seu vice Lucas Ribeiro, que começou com muito atrasado devido ao prolongamento da sessão do Legislativo.

A frase se destinou ao ex-prefeito Romero Rodrigues.

´Casadas´

A sessão solene ocorreu simultaneamente com a transmissão do cargo por parte de Romero.

Prece

Ao ter a palavra facultada, Romero externou para Bruno: “Que Deus lhe ilumine e lhe proteja, e possa oferecer o que é essencial a um administrador: sabedoria e discernimento”.

Aos edis

Ao se dirigir aos novos vereadores, Romero apelou para que “ajudem muito ao prefeito. Campina tem muitas complexidades. Receita de cidade pequena e problemas de cidade grande”.

Fecho

“Muito obrigado Campina Grande, de coração. À cidade, todo o meu carinho e o meu amor”, arrematou.

Convocação

O tom do discurso de Bruno foi de conclamação a um “pacto de união” em torno de Campina Grande.

Leia trechos do seu discurso.

Ao antecessor

“(Romero foi) Um dos maiores prefeitos da história de Campina Grande, que transcendeu a relação da aliança política, porque é um grande amigo (…) Não vou me acostumar a chamá-lo de ex-prefeito.

Instante

“Aqui não é apenas um sonho que se realiza, é um marco que se estabelece (citando o ex-governador Ronaldo Cunha Lima).

Desafio

“A partir de hoje (ontem) não terei apenas a honra de governar, mas o dever de mudar Campina. Repousa sobre nós (eu e Lucas) a responsabilidade de ajudar a Rainha da Borborema a atravessar um dos instantes de maior tensão da história recente da humanidade.

´Quatro mãos´

“E vamos mudar. Não sozinhos. Não com a força do próprio braço. Não pela intransigência da imposição. Mudaremos porque vamos mudar juntos, unindo forças, através do convencimento, da sinceridade e da verdade.

Inadiável

“Mudaremos. Não porque o que nos trouxe até aqui não serve. Pelo contrário. Somos o resultado do trabalho de todos que nos antecederam; de todos aqueles que pública ou anonimamente se dedicaram a esta cidade. Mudaremos porque os nossos dias exigem de nós novas habilidades, resiliência e capacidade de adaptação.

Suprapartidário

“Quero propor um ´pacto de união´ pela cidade. A política eleitoral e partidária tem o seu valor e o seu espaço. É importante para a democracia, mas não pode ser bem-vinda a todo instante numa gestão.

Convergência

“O que nos une precisa ser maior do que o que nos separa. Estou certo que por maiores que sejam as diferenças ideológicas, partidárias e até morais, no fundo queremos ver a essa cidade melhor.

Desiderato

“Queremos um lugar onde as crianças, sejam elas filhas de ricos ou de pobres, tenham oportunidades equivalentes (…) Queremos que a capital do trabalho seja também a capital do respeito.

Fortalecimento

“Nunca houve problema tão grande, barreira tão alta ou desafio tão duro que impedisse Campina de cumprir a sua vocação: ser grande. Pra mim fica muito claro que se estivermos unidos, estaremos mais fortes para enfrentar esse instante de instabilidade. Essa união não pressupõe uniformidade. Não desejo que todos pensem igualmente. Precisamos respeitar as diferenças.

Incomparável

“Ser prefeito de sua cidade é a mais alta honraria que um homem público pode ter (citando o ex-prefeito Cássio Cunha Lima).

Aprendizado

“Aprendi com o meu avô (Ivandro Cunha Lima), que devemos ser firmes nas nossas convicções, mas não nas palavras.

Mutação

“A verdade é que o mundo mudou. As pessoas mudaram. Mudaram as formas de produzir, o jeito de consumir; mudaram os meios de comunicação.

´Dever de casa´

“A classe política precisa aprender a mudar, sob pena de vermos crescer a desconfiança e o descrédito, que tem sido a base da relação dos governados com boa parte dos governantes; dos representados com grande parte dos representantes”.

Pacíficas

No turno da tarde de ontem, de forma folgadamente majoritária, os vereadores Dinho (Avante) e Bruno Farias (Cidadania) foram eleitos para presidir o Legislativo de João Pessoa nos próximos biênios, respectivamente.

Executivo

Ao final da tarde, foi a vez de a nova legislatura da Câmara da Capital dar posse a Cícero Lucena.

Alguns trechos de seu discurso, é o que segue.

De volta

“É difícil traduzir em palavras o sentimento desta hora (…) João Pessoa, voltei com o coração carregado de esperança (…) Não tememos os problemas. Para eles, eu mostro o tamanho do meu Deus.

Virou a página

“As lagrimas do passado e a dor da injustiça ficaram para trás. A cada um dos que me caluniaram, ofereci o meu perdão.

Aguardem

“João Pessoa precisa de cuidados. Eu sei fazer e eu quero fazer”.

Aceno

“Boa sorte. Estamos juntos. E conte com todos os vereadores desta casa”, disse o vereador Dinho ao novo prefeito ao final da sessão solene.

Como tem que ser

Já no turno da noite, ocorreu a solenidade de transmissão de cargo, no Paço Municipal de João Pessoa, com a presença do agora ex-prefeito Luciano Cartaxo.

Deferência

Após se despedir de seu antecessor e acompanhá-lo até a saída do prédio, Cícero fez um breve discurso.

Superação

“Volto com humildade e a consciência da responsabilidade, que é cuidar da cidade no período mais duro de nossa história”, introduziu a sua fala Cícero, para registrar “a vontade de fazer o melhor governo de nossas vidas – minha e de Leo (Bezerra, seu vice)”.

Demarcação

“A caminhada que me trouxe até aqui não foi fácil. Enfrentei uma estrada tortuosa (…) Eu já perdoei aqueles que tramaram contra a minha honra (…) De agora em diante, sou prefeito de todos. Não admitirei perseguições”.

Terceira chance

Ainda Cícero: “Eu estou pronto e preparado (…) João Pessoa tem pressa e cobra de nós soluções imediatas para os seus problemas.

“Serei rigoroso no controle e na execução dos investimentos públicos. Honraremos a terceira oportunidade que nos é dada por Deus e pelo povo de João Pessoa”.

Por que o PSDB (Pedro, Cássio e Tovar) não prestigiou a posse de Bruno?...
Share this page to Telegram

Arquivo da Coluna

Arquivo 2019 Arquivo 2018 Arquivo 2017

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube