Fechar

Fechar

Arimatéa Souza

segunda-feira, 29/08/2016

Oposição de prontidão

Encadeamento

Não é simplório nem rápido o caminho que leva uma presidente da República à beira do precipício, como se encontra no momento Dilma Rousseff.

São necessárias boas doses de equívocos e um alinhamento perverso de fatores alheios ao seu controle. E, no seu caso particular, uma arrogância flagrante.

Marco zero

No começo de tudo, um engodo de seu ´criador´: Lula, diante da impossibilidade de fazer (pela ordem) os ex-ministros José Dirceu ou Antonio Palocci como sucessor, achou por bem pagar pra ver e botou todas as fichas em sua então chefe do Gabinete Civil, Dilma Rousseff, ao mesmo tempo contrariando e atropelando quem no partido resistia à sua opção.

Fachada

Vem daí a trapaça seguinte: o então presidente da República entendeu de inocular em Dilma os rótulos desfeitos implacavelmente pelo tempo: a ´gerentona´ de seu governo, que não existia, assim como a de ´mãe do PAC´.

Cobrou caro

Eram, na verdade, invenciones criadas pelo marqueteiro (João Santana) que acordou com a cúpula petista receber em dólares para transformar a inabordável Dilma numa cinderela aos olhos do povo brasileiro.

Transitória

O eleitorado majoritariamente absorveu a ´pupila´ de Lula. Ela se empolgou com as atribuições presidenciais e, a certa altura do mandato, decidiu se desgrudar da condição de ´guardiã´ da cadeira enquanto Lula não se elegia novamente no pleito seguinte.

Bateu o pé

Quando foi necessário definir partidariamente quem seria o candidato do PT em 2014, Dilma avisou para um Lula surpreso que iria disputar a reeleição.

A contragosto

Para que o partido e o governo não embarcassem numa luta autofágica, Lula recuou da candidatura e renovou a aposta em Dilma.

Extrapolou

Novamente foi necessário ir além do razoável para fazer de Dilma uma vitoriosa.

Fatura

E o que se observa no ano em curso (e também em 2015), em boa parte, é a cobrança dos excessos a que o Estado brasileiro se permitiu (ou foi submetido) para artificializar uma realidade econômica no processo eleitoral de 2014, retardando onerosamente providências inadiáveis de macropolítica na gestão fiscal.

Efeitos

A ressaca dessa manipulação nós estamos sentindo na pele, sem data para acabar.

No espelho

Dilma, para os padrões políticos brasileiros, purga pelo seu isolamento da classe política; pelo seu desdém partidário; e por ser despossuída de humildade na gestão governamental.

Falhas que poderiam ser relativizadas se a economia estivesse com o azul da bonança e do crescimento.

Síntese

Coube ao analista político Murilo Aragão condensar esse ocaso numa frase: “Dilma sai da história para entrar na insignificância”.

 

Depuração

Parlamentar muito próximo a Dilma e a Lula (e dissidente da ala majoritária do PMDB), o senador Roberto Requião (PMDB-PR) contou em entrevista ao portal UOL que a presidente Dilma e o seu então ministro da Justiça (José Eduardo Cardozo), no começo da Operação Lava Jato (2014), achavam que apenas iria cair “o lado corrupto do PT e ficariam eles, os puros”.

Beneficiária

“Só esqueceram de uma coisa: foram beneficiários dessa corrupção para chegar à Presidência da República. A Dilma achava, como boa guerrilheira, que se beneficiaria disso tudo e salvaria o país”, adendou Requião.

Presságio

O senador recordou ainda que no mesmo ano Dilma perguntou a ele: ‘Esse teu amigo, o Sérgio Moro, ele vai mesmo tocar essa investigação para a frente?´ E eu: Não tenha dúvida, o Moro é um obstinado. Ele não pára. A Dilma deu uma risada e disse: ‘Requião, cai a República.’ Ela estava contente com o Sérgio Moro”.

Descida

Finalmente, neste fim de semana, o senador José Maranhão (PMDB-PB) saiu do muro, em Brasília, e anunciou que vai votar pelo impeachment da presidente Dilma.

Murchou

Conforme dados divulgados pela revista IstoÉ, em 2012 o PT lançou 1.829 candidatos a prefeito em todo o Brasil.

Este ano são 992.

Nas alturas

A última pesquisa do Instituto Datafolha sobre a eleição para prefeito de São Paulo mostra um número surpreendente: o índice de rejeição do atual prefeito (e candidato à reeleição) Fernando Haddad (PT) chegou a 49%.

Abuso com…

Um ´par´ de agentes de trânsito de Campina Grande se perfilou durante boa parte da manhã da última sexta-feira na avenida Brasília (Severino Cabral) para acompanhar a obediência às mudanças que foram implementadas no local.

… Dinheiro público

Tudo absolutamente normal, não fosse um detalhe adicional: enquanto os servidores públicos permaneceram no local, a viatura estacionada ficou ligada, com o ar condicionado acionado, para que os agentes encontrassem o ambiente anterior ´geladinho´ no retorno da atividade exterior.

Agora é Lula

“Eu ainda não acredito que ela (Dilma) nos levou a chegar até aqui”.

Em conversa recente com senadores petistas.

Outra vez

A execução de pena a partir de uma decisão judicial de 2ª instância voltará a ser objeto de apreciação no Supremo Tribunal Federal esta semana.

Quem é a golpista

Líder do PSDB, o senador Cássio declarou ontem que a presidente Dilma, no depoimento que prestará hoje, “não pode transformar o plenário do Senado em um ´set´ de filmagem”.

– Se, por ventura, essa acusação (de golpe) for feita na boca da própria presidente, haverá reação, porque quem cometeu um golpe foi a presidente ao mentir à população brasileira – comentou Cássio em entrevista à Rádio Estadão.

Quem imaginaria o PT saindo ´pela porta dos fundos´ da República?...
Simple Share Buttons

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube