Fechar

logo

Fechar

Arimatéa Souza

sábado, 05/10/2019

Onde a vida pode recomeçar

Auscultação

As especulações recentes acerca de uma eventual pré-candidatura do empresário Diogo Cunha Lima (filho do senador Cássio) a prefeito de Campina Grande surgiram de forma crescente ao longo dos últimos dias.

APARTE foi à procura de checar a informação e apurou que o nome dele será ´testado´ nessa fase pré-eleitoral, como forma de aferir a reação da opinião pública.

Epílogo

Na última segunda-feira, ocorreu a minha despedida do cargo de conselheiro da Fundação Assistencial da Paraíba – Hospital da FAP, ao cabo de oito anos nessa condição, representando a Diocese de Campina Grande.

Chegada

Minha indicação coube ao ex-bispo campinense, Dom Jaime Vieira Rocha, com o referendo posterior de Dom Manoel Delson (ex-bispo diocesano e atual arcebispo da Paraíba) e de Dom Dulcênio, atual bispo campinense.

Sucessão

Por escolha (muito oportuna) de Dom Dulcênio, o economista Arlindo Almeida passou a ser o representante diocesano no aludido Conselho.

Retribuição

“É um espaço para devolver à sociedade tudo o que recebemos dela”, pontuou o novo conselheiro.

Vínculo

´Uma vez FAP, sempre FAP´. Mesmo sem estar na condição de conselheiro, a FAP terá em mim alguém sempre disponível para essa nobre – e custosa – missão que é atender predominantemente, através do SUS, pacientes com câncer ou com a perene necessidade de realizar hemodiálise.

Renascer

Ali muitas vidas se renovam, muitas ´ressurreições´ acontecem no seu cotidiano.

Prestei a minha modesta colaboração – não na intensidade necessária, mas possível.

Estrada da vida

Aproveito a coluna de hoje para compartilhar com os leitores um pouco dessa caminhada.

A vida tem inevitavelmente os seus caprichos e uma expressiva fatia de imprevisibilidade.

Aversão

Os que me conhecem mais de perto sabem da resistência que tenho aos velórios.

Até hoje, nunca olhei um corpo sendo velado – nem mesmo os dos meus pais, irmãos e outros familiares e amigos já falecidos.

Imponderável

Falei acima dos caprichos da vida, e eis que, com a particularidade acima descrita, virei voluntário de um hospital que trata especialmente de oncologia, nos quais a finitude da vida não é algo excepcional.

Memória

Desde a adolescência que ouvia falar da importância do Hospital da FAP e do respeito que o estabelecimento inspirava perante a comunidade campinense.

Interação

Ao chegar à Rádio Caturité, as constantes conversas com o então superintendente da emissora, José Cursino de Siqueira, aprofundaram em mim o conhecimento dos serviços lá prestados e a relevância do hospital para a região.

Intuitivo

Dr. Siqueira era também o conselheiro representante da Diocese no Conselho Deliberativo.

E, vez por outra, ele arriscava dizer, em tom profético: ´Ari, você ainda vai ser conselheiro da FAP´.

Dentro de casa

Os anos se sucederam e, para surpresa e preocupação geral da família, minha única irmã (Luíza) foi acometida de câncer.

Deslocamento

De comum acordo, optou-se pelo tratamento dela em Recife (PE), por duas razões básicas: por uma afinidade com um dos médicos/professores dessa especialidade na Universidade Federal de Pernambuco, e como forma de poupar minha mãe do acompanhamento diário dos efeitos colaterais do combate à doença.

Testemunhal

De todo modo, passei a dedicar mais tempo e atenção, mesmo que à distância, à rotina da FAP, com visitas periódicas, como forma de observar e sentir o quanto de atropelos (e de sofrimento) permeiam a rotina dos pacientes.

Complicações

Os problemas renais do Dr. Siqueira aumentaram, ao ponto de levá-lo à necessidade de três sessões semanais de hemodiálise.

A debilitação de seu quadro o levou ao afastamento das atividades que exercia.

Deficiências

Em visitas periódicas feitas a Dr. Siqueira, em sua residência, ela relatava as carências que sentia no hospital, agora já na condição de paciente.

Desgaste

Uma vez, ele usou a seguinte expressão para traduzir a sua sensação ao término de uma dessas sessões: “Pegar um copo com água é como tentar, em termos de esforço, empurrar uma montanha”.

Apelos

Algum tempo depois, dois fraternais amigos (de ontem e de sempre) – Mozart Santos e o juiz Horácio Ferreira de Melo Júnior -, que eram conselheiros da FAP, disseram-me que tinham feito gestões junto a Dom Jaime da necessidade de minha participação no Conselho Deliberativo, sugestão prontamente acolhida e formalizada.

Recomendação

Lembro bem que uma das primeiras pessoas comunicadas sobre a indicação foi o próprio Dr. Siqueira, que disse ficar “feliz e tranquilo” pela escolha.

“Ari, cuide com carinho daquele hospital. Muitas vidas dependem da FAP”, enfatizou.

O detalhe

Dr. Siqueira foi o mais longevo paciente do setor de hemodiálise da FAP – mais de uma década.

Duas…

Aliás, foi nesse setor de hemodiálise que aprendi um ensinamento, que para os que lá atuam é praticamente uma obviedade.

Numa visita ao local em fim de expediente, observei algumas máquinas desocupadas e perguntei se os pacientes tinham faltado.

… Vias

A atendente respondeu que a sessão de hemodiálise já havia sido concluída e que a ausência de um paciente só ocorria, basicamente, em duas situações: ou recebeu um transplante ou um atestado de óbito foi emitido.

Sempre…

E foram oito anos buscando ajudar, mobilizar, contribuir na definição de prioridades, em meio a uma entidade onde sobram prioridades, por lidar com doenças complexas, um orçamento limitado e finanças invariavelmente deficitárias.

… Presente

Mesmo com os afazeres intensos do cotidiano, sempre que demandado ou nas ações previamente agendadas, busquei participar e estar à altura da missão a mim confiada.

Deus ´encarnado´

A fila de ambulâncias, habitual a cada manhã na FAP, significava pra mim, ao mesmo tempo, a renovação da determinação em colaborar com tanta gente anônima, em sua ampla maioria carente, que chega àquele hospital, em muitos casos, como o último suspiro na crença da cura.

Confiança

Com a convivência por tanto tempo, e acompanhando os avanços e o aprimoramento no tratamento, aprendi que o paciente que lá chega passou a encarar a oncologia não mais como uma sentença de morte, mas com uma janela aberta para recomeçar e redescobrir a vida.

Por isso, na FAP a vida pede e cobra socorro e atenção a cada segundo.

Contrapartida

Encerro esse texto invocando uma frase que era reiterada por São João Paulo II: sobre todos nós ´pesa uma hipoteca social´.

Ou seja, somos convocados a oferecer à comunidade que integramos, pelo menos, um serviço voluntário.

Novo desafio

Em tempo: começo a dedicar maior atenção à Casa da Criança Dr. João Moura. Lá, cerca de 260 crianças carentes têm a única chance de se educarem (e de se alimentarem).

É um lapso de tempo singular para encaminhar o futuro dessa meninada e de suas famílias. É uma aposta irrecusável numa geração que fará o País do amanhã.

Afinal de contas, o filósofo grego Pitágoras ensinava, há muitos séculos, que “eduquem as crianças, para que não seja necessário punir os adultos”.

“Descubra a felicidade de servir” (slogan de uma Campanha da Fraternidade)...
Share this page to Telegram

Arquivo da Coluna

Arquivo 2019 Arquivo 2018 Arquivo 2017

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube