Fechar

logo

Fechar

Arimatéa Souza

terça-feira, 08/10/2019

O ultimato de João

Luz de alerta

Presidente da Associação Comercial e Empresarial de Campina Grande, o empresário Marcos Procópio ressaltou ontem que o empresariado local continua “subestimando o comércio eletrônico”.

“E a coisa está mudando rápida e drasticamente”, emendou.

Causas

Ao ser indagado na Rádio Caturité sobre qual motivo creditar essa ´passividade´, Marcos apontou a “desinformação”, mas ressalvou que “não é fácil se adequar. Faltam também formação de mão de obra especializada para esse tipo de atividade”.

Desabando

O dirigente da ACCG – que participou recentemente de dois eventos nacionais relativos ao ´e-comercio´ – atestou que “a queda de empregos na área do comércio formal é muito grande”.

Extensão

Ele citou que essa virtualidade tem avançado também sobre a área de serviços e de atendimento.

“85% do atendimento psicológico no País já é via online”, ilustrou.

Agenda

Dia 15 próximo (terça-feira que vem, às 18h30, no hotel Intercity) a Associação Comercial promoverá um evento sobre o comércio eletrônico.

Sem opção

Sobre a condução econômica do País, Marcos Procópio afirmou que “é preciso mexer nas feridas estruturais. As mudanças são inevitáveis. Não é uma questão de escolha. Não tem alternativa, é mudar. A gente fica fingindo que isso não existe”.

Antenado

O senador Veneziano Vital (PSB) fez questão de participar da desorganizada eleição para escolha dos conselheiros tutelares, no último domingo, em Campina.

Atrás de…

O ex-vereador e ex-deputado estadual Raoni Mendes (DEM) ´botou o bloco na rua´ no fim de semana, vestindo o figurino de pré-candidato a prefeito de João Pessoa.

… Votos

“Foram meses de discernimento e reflexão para mostrar que nossa cidade pode funcionar melhor”, justificou.

Garimpo

É oportuno resgatar trechos do pronunciamento do papa Francisco, anteontem, na abertura do Sínodo da Amazônia.

Os dons

“Um dom não se compra, não se troca nem se vende: recebe-se e dá-se de prenda. Se nos apropriarmos dele, se nos colocarmos a nós no centro e não deixarmos no centro o dom, passamos de pastores a funcionários: fazemos do dom uma função, e desaparece a gratuidade; assim acabamos por nos servir a nós mesmos, servindo-nos da Igreja.”

Fogo aceso

“São Paulo lembra-nos que o dom deve ser reaceso. O verbo usado é fascinante: reacender é, literalmente, ‘dar vida a uma fogueira’ (…) O dom que recebemos é um fogo, é amor ardente a Deus e aos irmãos. O fogo não se alimenta sozinho; morre se não for mantido vivo, apaga-se se a cinza o cobrir.”

“Ardor”

“A Igreja não pode, de modo algum, limitar-se a uma pastoral de ´manutenção´ para aqueles que já conhecem o Evangelho de Cristo. O ardor missionário é um sinal claro da maturidade de uma comunidade eclesial. Jesus veio trazer à terra, não a brisa da tarde, mas o fogo. O fogo que reacende o dom é o Espírito Santo, doador dos dons.”

Lá vem ela

Estamos a exatamente 1 ano das eleições municipais de 2020, nas quais teremos o ´batismo´ de algumas inovações, a exemplo do fim das coligações para o pleito proporcional (vereador).

Esse é o tema de hoje do programa ´Ideia Livre´ da TV Itararé (canal 18.1), que começa às 22h.

Tentáculos

Levantamento do governo federal mostra participação da União em 637 empresas (como controlador ou sócio minoritário).

O detalhe

O Banco do Brasil, por exemplo, tem 80 empresas coligadas.

Novo endereço

O renomado médico ortopedista campinense Lúcio César de Oliveira e Souza está anunciando para novembro a inauguração da ´Clínica do Atleta´.

Da boca de…

“… Começamos a ver uma luz no fim do túnel. O varejo começa a ter reação…” (empresária Luiza Helena Trajano, presidente do conselho de administração do Magazine Luiza).

À mesa

A bancada federal paraibana no Congresso Nacional (15 deputados federais e 3 senadores) vai se reunir hoje, em Brasília, para tratar das emendas ao Orçamento Geral da União de 2020.

O detalhe

As emendas coletivas (de bancada) somam R$ 240 milhões. E cada congressista tem anualmente R$ 15 milhões em emendas individuais.

Quem avisa…

João Azevedo reuniu ontem os principais ocupantes de cargos comissionados, no Centro de Convenções de João Pessoa, para passar ´um recado´ à turma.

´Cair fora´

“Quem não souber separar” as questões profissionais das refregas partidárias “vai ter que deixar o governo”.

Distinguir

O governador reforçou: “Eu tenho o foco no governo, mas evidentemente que se eu tiver um auxiliar que não consegue fazer essa separação, esse auxiliar vai ter que deixar o governo. Entretanto, as pessoas que efetivamente sabem o que é governo, o que é partido e sabem fazer essa diferença, eu não tenho nenhuma preocupação”.

Simples assim

Numa linguagem objetiva, João quis dizer o seguinte: não vai tolerar boicotes à sua administração.

Quem vai pagar pra ver?

O que anda fazendo a presidente do MDB em Campina?...
Share this page to Telegram

Arquivo da Coluna

Arquivo 2019 Arquivo 2018 Arquivo 2017

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube