Fechar

logo

Fechar

Arimatéa Souza

sábado, 09/11/2019

O teste do ´mito´ nas ruas

Uma pedra em cima

O governador João Azevedo (PSB) já disse, renovadamente, à sua base política na Assembleia Legislativa da impraticabilidade das chamadas ´emendas impositivas´ no Orçamento do Estado.

Entenda-se por esse tipo de emendas as indicações de parlamentares ao Orçamento que obrigatoriamente têm que ser empenhadas – e pagas, como ocorre na esfera federal.

Na essência, trata-se de uma constatação numérica, mas igualmente significa não abrir mão de poderes classicamente inerentes ao Poder Executivo.

Restrições

“A visão do governo é que efetivamente não há possibilidade nesse momento. Nós temos uma economia no país em que houve uma estagnação este ano e basta verificar os números que temos, a exemplo de desempregados, (para constatar que) a receita não sobra e não há transferência de recursos para novos investimentos no Estado”, enfatizou João recentemente.

Equívoco

O governador entende como “equivocada a leitura que acha que simplesmente ao colocar a emenda impositiva vai resolver ou facilitar o trabalho do deputado perante os municípios. Isso não é verdade”.

´Uma peinha´ de nada

Ao ser indagado, ontem, sobre o grau de satisfação com a sua equipe, nesses meses iniciais de gestão, o governador paraibano respondeu que “estou satisfeito com 99% do trabalho da minha equipe. Falta mexer somente em 1% para fazer o reajuste”.

´Batismo´

Integrante da direção da subsecção de Campina Grande da Ordem dos Advogados do Brasil, Moises Moraes acertou com a direção municipal do Podemos que tentará um mandato de vereador nas eleições do ano que vem.

Da boca de…

“… Aquele que promovia a guerra, o ódio e o totalitarismo está perdendo força. Eu passei uma época na Assembleia Legislativa pregando no deserto…” (deputado Raniery Paulino, do MDB, sobre o ex-governador Ricardo Coutinho).

Gigante

A anunciada fusão entre a ítalo-americana Fiat e a francesa Peugeot criou o quarto maior conglomerado automobilístico do mundo (8 milhões e 700 mil veículos vendidos no ano passado), e o maior do Brasil, com 476 mil e 700 unidades vendidas em 2018.

O detalhe

Os três maiores grupos automobilísticos do mundo são (pela ordem) Volkswagen (alemã), Toyota (japonesa) e Renault/Nissan (França/Japão).

Na quinta-posição está a americana GM.

´Melou´

Foi cancelada a reunião ´ampliada´ de setores da oposição em Campina Grande, que estava prevista para a noite da última quinta-feira.

Em conversa em Brasília, o senador Veneziano Vital (PSB) e o deputado Damião Feliciano (PDT) decidiram sustar o encontro.

Nova chance

A Câmara campinense aprovou, esta semana, um novo Refis (parcelamento) para os contribuintes municipais que têm débitos (não judicializados) vencidos até 2018.

Garimpo

“A lei tem de ser para todos. Não podemos esquecer que quando o boi de piranha é comido, é porque a boiada já passou”.

Ex-deputado federal Eduardo Cunha (MDB-RJ), em carta feita na prisão e enviada à sua família).

Sábado é dia de poesia

“Oh, metade exilada de mim/ Leva os teus sinais/ Que a saudade dói como um barco/ Que aos poucos descreve um arco/ E evita atracar no cais…” (Chico Buarque, que esta semana lançou mais um livro: “Essa gente”).

Perceptível

Antes mesmo da decisão de quinta-feira do Supremo Tribunal Federal, que empurrou o cumprimento de pena para depois do esgotamento de todos os recursos possíveis e imagináveis na legislação nacional, já pairava no ar que, num espaço de tempo curto, haveria um ´reencontro marcado´ do ex-presidente Lula com a liberdade.

No nascedouro

A bem da verdade, a prisão era discutível desde a sua decretação, no rastro da própria condenação, cujo embasamento tem sido ao longo do tempo peremptoriamente pela defesa do petista.

Mote desfeito

A partir de agora, a realidade aponta que duas situações se robustecem com ´Lula livre´: o PT perde o meu principal ponto de convergência e mote midiático dos últimos meses, uma espécie de armistício perante a fiel fatia do eleitorado lulista.

Aferição

Segundo ponto: a volta à (às vezes) perversa rotina vai submeter a novo teste a quantas andam o carisma do líder ´mitológico´ do petismo e o seu atual poder de mobilização.

´Na cola´

De outra parte, o presidente Bolsonaro passa a ter, efetiva e ininterruptamente o contraponto de alguém que sabe – como poucos – dialogar com faixas substanciais do eleitorado.

Termômetro

A primeira prévia de como está o Lula que sai da prisão após 580 dias foi possível observar ontem, no seu discurso de reintrodução, em carne e osso, na cena política nacional.

Alguns trechos desse pronunciamento inicial é o que segue.

Tonificador

“Vocês eram o alimento da democracia que eu precisava para resistir à safadeza e à canalhice que um lado podre do estado brasileiro fez comigo e com a sociedade brasileira.

Artilharia

“O lado podre da justiça, o lado podre do Ministério Público, o lado podre da Polícia Federal e o lado podre da Receita Federal trabalharam para tentar criminalizar a esquerda, criminalizar o PT.

Estado de…

“Eu saio daqui sem ódio. Aos 74 anos meu coração só tem espaço para amor porque é o amor que vai vencer neste país.

… Espírito

“Eu não tenho mágoa dos policiais federais, eu não tenho mágoa dos carcereiros, eu não tenho mágoa de ninguém.

Mentiroso

Ainda Lula: “Esse país pode ser muito melhor na hora que ele tiver um governo que não minta tanto pelo Twitter como Bolsonaro mente.”

Um País novamente com o ´tacape´ nas mãos...
Share this page to Telegram

Arquivo da Coluna

Arquivo 2018 Arquivo 2017 Arquivo 2016

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube