Fechar

logo

Fechar

Arimatéa Souza

quarta-feira, 12/09/2018

O ´testamento´ político de Lula

´Peitando´ a caserna

Diante das recentes declarações dadas pelo Comandante do Exército, general Eduardo Villas Boas, ao Estadão´, a direção nacional do PT divulgou uma Nota na qual “convoca as forças democráticas do País a repudiar declarações de cunho autoritário e inconstitucional”.

Ainda conforme o documento, “a entrevista do general Villas Boas é o mais grave episódio de insubordinação de um comandante das Forças Armadas ao papel que lhes foi delimitado, pela vontade soberana do povo, na Constituição democrática de 1988. É uma manifestação de caráter político, de quem pretende tutelar as instituições republicanas”.

´Oxigênio´

Candidato a senador, o ex-governador Roberto Paulino (MDB) anunciou ontem que “vou dar uma paradinha por dois dias para me programar e renegociar compromissos com as pessoas”.

Tradutor

O que vem a ser “renegociar compromissos”?

Padrinho

Outro postulante ao Senado, o deputado federal Luiz Couto (PT) participou ontem da série de entrevistas promovida pela ´Campina FM´.

Ele disse que a sua candidatura é fruto de um apelo do ex-presidente Lula: “Foi ele que me indicou”.

Rigor

Sobre o envolvimento de companheiros de partido com atos de corrupção, Couto afirmou que “defendo que os que se labuzaram devem pagar por isso”.

Inocência

Sobre a ex-presidente Dilma Rousseff, o petista opinou que “ela foi inocente” ao indicar o então vice-presidente Michel Temer (MDB) para o ministério que fazia a coordenação política do governo.

Só falácia

Acerca das delações do ex-ministro petista Antonio Palocci, Couto disse que “ele não conseguiu comprovar nada”.

Enquadramento

Além de defender a instalação de uma ´Constituinte Exclusiva´, Luiz Couto acentuou que o Poder Judiciário no Brasil “precisa de controle”.

Legislatura…

Para o parlamentar, “com o Congresso Nacional que nós temos, não faremos reformas”.

… Perdida

“Muitos querem resolver os seus problemas pessoais através da política”, enfatizou Couto, para emendar com um alerta: “O crime organizado está tomando conta da política”.

Codinome

Luiz Couto se intitulou como “o senador puro sangue” do ex-presidente Lula.

Freio

Com base na legislação eleitoral, o TRE/PB determinou que a participação do governador Ricardo Coutinho (PSB) na propaganda política gratuita se limite a 25% do tempo total.

O ´príncipe´

“Há tempos menciono e critico o ódio que se difunde na sociedade. A facada em Bolsonaro fere a democracia. É inaceitável humana e politicamente”.

Sociólogo e ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

Oportunismo

Ao comentar sobre a criação de comitês suprapartidários na Paraíba, envolvendo o nome do ex-presidente Lula, o candidato a governador João Azevedo (PSB) qualificou como um “aproveitamento de outras candidaturas que ficaram escondidas durante muito tempo. E agora, em função das próprias pesquisas, se apresentam como parceiros”.

Aproveitadores

Sobre o mesmo fato, o governador Ricardo Coutinho (PSB) disse que “são pessoas oportunistas, que querem apenas iludir as pessoas para poder pegar o voto”.

Omissos

“A população sabe qual é o jogo. Não é uma porta aberta, com um nome lá, que vai mascarar a posição política daqueles que se calaram criminosamente durante todo esse processo. Que fugiram de onde estavam, porque achavam que a história tinha se acabado ali”, acrescentou RC.

 

 

Da boca de…

“… Se o (Henrique) Meireles for candidato, eu vou votar no Meireles. Eu sou partidário…” (senador José Maranhão, esta semana, em entrevista à ´Arapuan FM´, deixando nas entrelinhas dúvidas sobre a manutenção da candidatura do presidenciável de seu partido).

Palanque

“Nós não vamos para porta de penitenciária para contestar a Justiça, não transformamos réu em vítima, não desmoralizamos as instituições.”

Geraldo Alckmin, presidenciável do PSDB, em recado com endereço identificável.

Garimpo

Por sua importância eleitoral e histórica, destaco a seguir alguns trechos da carta do ex-presidente Lula, divulgada ontem, na qual ele fala de seu afastamento (enquanto candidato) da sucessão presidencial.

Togados

“Os tribunais proibiram minha candidatura a presidente da República. Na verdade, proibiram o povo brasileiro de votar livremente para mudar a triste realidade do país.

Irresignação

“Nunca aceitei a injustiça nem vou aceitar. Há mais de 40 anos ando junto com o povo, defendendo a igualdade e a transformação do Brasil num país melhor e mais justo.

Liderança

“Apesar das mentiras e da perseguição, o povo nos abraçou nas ruas e nos levou à liderança disparada em todas as pesquisas.

Condenação

“Há mais de cinco meses estou preso injustamente. Não cometi nenhum crime e fui condenado pela imprensa muito antes de ser julgado. Continuo desafiando os procuradores da Lava Jato, o juiz Sergio Moro e o TRF-4 a apresentarem uma única prova contra mim.

Interrupção

“Minha condenação é uma farsa judicial, uma vingança política, sempre usando medidas de exceção contra mim. Eles não querem prender e interditar apenas o cidadão Luiz Inácio Lula da Silva. Querem prender e interditar o projeto de Brasil que a maioria aprovou em quatro eleições consecutivas, e que só foi interrompido por um golpe contra uma presidenta legitimamente eleita, que não cometeu crime de responsabilidade, jogando o país no caos.

Viuvez

“Perdi minha companheira Marisa, amargurada com tudo o que aconteceu a nossa família, mas não desisti, até em homenagem a sua memória.

Cassação

“Por ação, omissão e protelação, o Judiciário brasileiro privou o país de um processo eleitoral com a presença de todas as forças políticas. Cassaram o direito do povo de votar livremente.

Sucessor

“É diante dessas circunstâncias que tenho de tomar uma decisão, no prazo que foi imposto de forma arbitrária. Estou indicando ao PT e à Coligação “O Povo Feliz de Novo” a substituição da minha candidatura pela do companheiro Fernando Haddad, que até este momento desempenhou com extrema lealdade a posição de candidato a vice-presidente.

Ideias livres

“Um homem pode ser injustamente preso, mas as suas ideias, não. Nenhum opressor pode ser maior que o povo. Por isso, nossas ideias vão chegar a todo mundo pela voz do povo, mais alta e mais forte que as mentiras da Globo”.

Encarnação

Fecho da carta de Lula: “Nós já somos milhões de Lulas e, de hoje em diante, Fernando Haddad será Lula para milhões de brasileiros”.

Campina: uma ´orfão´ de filhos políticos vivos...
Share this page to Telegram

Arquivo da Coluna

Arquivo 2019 Arquivo 2018 Arquivo 2017

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube