Fechar

Fechar

Arimatéa Souza

segunda-feira, 08/08/2016

O que vem por aí

“Gangorra”

Durante a convenção do PSB em Campina, que homologou no ´feriadão´ a candidatura a prefeito do deputado Adriano Galdino, Ricardo Coutinho afirmou que a política local “ficou pequena. Porque passou a existir apenas em torno de grupos políticos ou familiares (Cunha Lima, Do Rêgo e Ribeiro)”.

“Chegou a hora de dar um basta nessa gangorra”, bradou.

Adjetivos

Ao se referir ao candidato a vice (deputado Inácio Falcão, PTdoB), escolhido instantes antes, o governador o qualificou como “um homem correto e leal”.

“Safra”

Adriano começou o seu discurso prometendo “uma gestão diferenciada”, argumentando em seguida que Campina “tem uma safra de políticos mentirosos, que só fazem prometer”.

Cumpridor

O socialista se declarou “um político que cumpre com a palavra e com os compromissos que assumo”.

Acolhedora

Ele se reportou à crítica de que não tem vinculações com a cidade: “Campina é uma cidade mãe, que sempre acolhe a todos. Campina não tem dono”.

Apoiador

Galdino registrou que “tenho o apoio do governador, e não escondo isso de ninguém, como também nunca escondi a importância da presidente Dilma para a região Nordeste”.

Alvo

Em rápido discurso, Inácio Falcão se limitou a agradecer a escolha de seu nome e a criticar o setor de saúde da PMCG.

O número 1

Na convenção peemedebista, Veneziano – que chegou acompanhado do senador José Maranhão, presidente estadual do partido – foi anunciado pelos locutores como “o grande líder do PMDB na Paraíba”.

Mudança

Maranhão foi o primeiro orador e disse que “a mudança vai acontecer” em Campina, e que a cidade “vive uma grande crise de gestão”.

Sem inovar

Zé se declarou “contra a mediocridade e o continuísmo” na PMCG, frisando que o atual prefeito (Romero) “não trouxe nada de inovação”.

E encerrou com uma frase insólita: Campina tem “um prefeito meio choroso”.

Sensação

Ao fazer uso da palavra, o candidato a vice-prefeito Felipe Gaudêncio (DEM) externou “o sentimento de vitória”, verificado com “a massa vermelha que encontrei na chegada” à convenção.

´Meu guru´

“Eu estou querendo ver um ´V´ novamente em cada esquina”, proclamou o candidato a vice, para emendar: “Veneziano é um exemplo que eu quero seguir”.

Temor

Em rápido discurso, o advogado Rodrigo Mota, presidente do Pros em Campina, disse que “o prefeito tem pesadelos com você, Veneziano. E você representa a esperança de Campina”.

´Gelo´

O discurso de Veneziano foi totalmente focado na administração atual.

Ele ignorou completamente as demais candidaturas a prefeito.

Resgate

“Haveremos de resgatar a administração de Campina nesta eleição”, acentuou o peemedebista, para assinalar que “vamos ter a oportunidade de comparar (a sua passagem pela PMCG e a gestão atual)”.

 

Enganação

Conforme Veneziano, “o prefeito disse que iria inovar e enganou Campina”.

Retrovisor

Na convenção ´tucana´, o deputado Rômulo Gouveia (presidente do PSD/PB) disse que a cidade não pode permitir “a volta da corrupção e da falta de respeito ao dinheiro público”.

Na memória

“Campina não esquece o momento em que Romero assumiu a prefeitura”, com salários atrasados e o lixo tomando conta da cidade, adendou Gouveia.

Diferenças

Presidente do PP no Estado, o deputado federal Aguinaldo Ribeiro observou que Romero “não tem conversa bonita nem discurso difícil. Tem trabalho”.

Aval

“A chapa Romero/Enivaldo é, indiscutivelmente, a melhor para Campina”, enfatizou em sua fala o senador Cássio, que apontou na administração que precedeu Romero “uma forma carcomida e ultrapassada de fazer política”.

Artilharia

A partir daí o discurso enveredou pelos ataques ao governador, cujo governo “não tem um convênio” com a PMCG.

Desabastecimento

Cássio se referiu à crise hídrica que a cidade enfrenta na atualidade, ressaltando que “o açude de Boqueirão não secou do dia para a noite, num estalar de dedos”.

Excesso e falta

Para ele, a falta d´água “é um gravíssimo problema”, que tem se deparado “com uma omissão criminosa” da parte do governador.

“Em Campina falta água e sobra violência”, arrematou CCL.

Resposta

No começo de sua fala, o candidato a vice-prefeito Enivaldo Ribeiro (PP) reclamou do noticiário em torno da definição de sua família sobre o processo eleitoral: “Quem não entende a união da família Ribeiro é porque não tem família”.

Em gestação

Em seguida, ele contou que essa cogitação de sua indicação para vice “já vinha ocorrendo há muito tempo”.

Sem covardia

Enivaldo também se permitiu atacar o governador: “Ricardo Coutinho é inimigo de Campina. É preciso dizer a verdade. Ricardo não tem amor a ninguém. Precisamos deixar de ser covardes, enfrentá-lo e derrubá-lo”.

“Inabalável”

Último orador, Romero Rodrigues optou por fazer um discurso de agradecimento aos antigos e novos aliados; aos colaboradores de sua gestão; e às pessoas que o ajudaram na organização da convenção.

“Eu tenho uma fé inabalável”, exclamou, se permitindo fazer um histórico das realizações administrativas de seu governo.

Em tempo

Por falta de espaço, fico devendo o registro da convenção do PPS.

Barulho à vista

A nova edição da revista Veja, que chegou às bancas neste final de semana, publica uma reportagem com o ex-publicitário da dupla Dilma/Lula, João Santana, sinalizando o que vem por aí em termos de novas revelações: “Nunca pensei em me transformar em um delator, mas, como não houve alternativa, farei a mais consistente das delações”.

A mesma publicação também relata que o presidente em exercício Michel Temer está ´encrencado´ com a Operação Lava Lato, através das delações do Grupo Odebrecht, que estão por serem divulgadas.

Qual é a estratégia de José Maranhão?
Simple Share Buttons

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube