Fechar

logo

Fechar

Arimatéa Souza

sexta-feira, 22/02/2019

O que disse Buega

Tímido começo

Já estamos chegando ao término do 1º mês da nova legislatura no Congresso Nacional e pouca coisa se tem conhecimento acerca de iniciativas da bancada paraibana direcionadas ao Estado.

Permito-me simbolizar essa observação num tema quedado ao esquecimento: não há sinais para o início da obra de duplicação da BR 230, de Campina Grande em direção ao Cariri e Sertão.

Prontuário

O que existe concretamente é uma lista grande e dolorosa de óbitos e de acidentados, devido ao trânsito intenso à espera da obra que certamente poupará incontáveis vidas.

Veloz

É forçoso citar que a triplicação do começo da mesma BR – trecho entre Cabedelo e João Pessoa -, cujo anúncio ocorreu quase que simultaneamente à obra para Campina e região, avança ininterruptamente.

Proativos

Ou as lideranças empresariais, sindicais e sociais – e a imprensa local – intensificam a cobrança junto à classe política para que pressione o governo federal a começar imediatamente essa duplicação, ou desistamos de vez quanto à sua execução no curto prazo.

Da boca de…

“… A imprensa deve sempre ser crítica, investigativa e colaborativa. Deve estar próxima do juiz para entender o seu trabalho, divulgar os atos dos magistrados e fazer as críticas quando achar necessário…” (desembargador Márcio Murilo da Cunha Ramos, presidente do Tribunal de Justiça da Paraíba.

Cerimônia

Foi agendada para o dia 26 de abril (19h, no Santuário do Catolé, sob a presidência do bispo diocesano Dom Dulcênio) a ordenação de 14 diáconos permanentes da Diocese de Campina Grande.

O detalhe

Na lista dos diáconos está o jornalista Anchieta Araújo, editor de jornalismo da TV Itararé e apresentador do Jornal da Manhã da Rádio Caturité FM (104.1).

Versão

O presidente da Fiep, Francisco Buega Gadelha, concedeu uma entrevista ontem, em João Pessoa, para verbalizar a sua versão diante das denúncias que ensejaram, esta semana, a ´Operação Fantoche´ da Polícia Federal.

Leia alguns trechos.

Surpreso

“Um fato inédito e surpreendente, porque eu estou há 23 anos na presidência da Federação das Indústrias e nunca foi necessário prestar esclarecimentos sobre nada daquilo que nós produzimos.

Por etapas

“(logo cedo) Soube da busca e apreensão na nossa casa e na sede da Fiep. Eu estava em um hotel em Brasília e só mais tarde fui descobrir que também havia um mandado de prisão temporária.

Providências

“Eu fui ao escritório dos advogados e disse para eles que queria a companhia para que pudesse me apresentar espontaneamente à Polícia, porque a polícia tendo encontrado quase todos os meus colegas (dirigentes de Federações) não me encontrou, porque não sabia onde eu estava. Mas estava no hotel onde rotineiramente fico em Brasília (Hotel Meliá).

Liberação

“Lá (na Polícia Federal) eu não estava entendendo – e ainda não estou entendendo – muita coisa a respeito. Eu não vi o inquérito, que foi de Recife para Brasília, para que fosse ouvido lá (…) À noite (3ª feira última) veio o alvará de soltura, a pedido da PF.

Origem

“Eu depois procurei entender um pouco do que se tratava. As notícias todas falavam que se tratavam de recursos que teriam sido desviados do Ministério do Turismo e também algumas vezes do Ministério da Cultura.

Sem convênios

“Eu gostaria de dizer que nós – Sesi na Paraíba – não temos nenhuma ligação com o Ministério da Cultura; nunca recebemos 1 real do Ministério do Turismo – nem da Cultura. É por essa razão que eu não sei porque é que estou envolvido nisso. O Sesi nunca recebeu dinheiro (desses dois ministérios) e nunca pagou nada nem ninguém (com esse suposto repasse).

Coisas distintas

“Eu gostaria de dizer que não fui afastado da presidência da Fiep, mas afastado da presidência do Sesi na Paraíba (são cargos cumulativos), porque eles precisam colher mais documentos e testemunhos. Eu não posso obstruir nem ser acusado de obstruir (as investigações). Eu vou me afastar da sede da Fiep (onde também funciona o Sesi-PB).

Centralizado

“Alguns falam nos (programas) ´Sesi Bonecos do Brasil´, ´Sesi Bonecos do Mundo´. Eles não são da minha conta, mas é do meu rosário: nós não pagamos nem licitamos eles. Isso é feito pelo departamento nacional do Sesi.

Desconhecida

“Eu não tinha conhecimento do inquérito da PF.

Não opera

“(projetos nacionais e culturais do Sesi) A nossa colaboração é simplesmente de parceiro, de amigo, de um facilitador para a execução aqui. Mas não fazemos qualquer pagamento ou contratação.

Desvinculação

“Vou a Recife na próxima 2ª feira buscar as informações para poder fazer a minha defesa. Mas fiquem tranquilos: não há nenhum desvio de dinheiro no Sesi/PB, e muito menos em se tratando desses programas que não foram executados por nós, em nenhum momento da nossa existência”.

Mensagem à equipe

Ainda Buega: “Eu queria dizer a todos os servidores e colaboradores do Sesi (PB) que podem ficar tranquilos, porque Francisco de Assis Benevides Gadelha não tem nenhuma culpa no cartório. Não tem nenhuma culpa nesse processo. Nós estamos paralelamente, porque acredito que essa empresa (Aliança) realizou muitos trabalhos para o Sistema S e realizou muitos trabalhos para os ministérios do Turismo e da Cultura.

Mas nunca existiu qualquer projeto, dentro do Sistema S (na Paraíba), que tenha sido com recursos do Ministério do Turismo ou da Cultura. Digo isso com absoluta certeza. Esse dinheiro nunca entrou. Fiquem absolutamente tranquilos. Vocês (funcionários) sabem mais do que eu disso. Isso precisa ser esclarecido, e vamos buscar os esclarecimentos devidos”.

E se o ex-ministro Bebianno tiver outras gravações com Bolsonaro?...
Share this page to Telegram

Arquivo da Coluna

Arquivo 2018 Arquivo 2017 Arquivo 2016

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube