Arimatéa Souza

sexta-feira, 07/05/2021

O ´puxadinho´ do Executivo

´Injeção na veia´

O site O Antagonista noticiou que “após receber verbas” do governo da Paraíba, o hospital fundado pela família da esposa do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, foi posto à venda por R$ 47 milhões.

O Hospital Santa Paula, em João Pessoa (PB) – segue a informação – recebeu cerca de R$ 2,5 milhões para sua reativação, após fechar as portas em 2012 por problemas financeiros.

Recuo

“Depois do recebimento das verbas públicas, a unidade foi anunciada em sites de imobiliárias por R$ 47 milhões. Os anúncios foram retirados do ar após Queiroga assumir a Pasta”, avança a publicação, revelando ainda que o próprio governo estadual estaria negociando a compra do hospital.

Custo

Em contrato de locação emergencial, que dispensa licitação, o governo do Estado estabeleceu o prazo de uso de 12 meses, sob o valor de R$ 1,2 milhão, em valores mensais de R$ 100 mil.

Reforma

Depois, a Superintendência de Obras do Plano de Desenvolvimento do Estado (Suplan) contratou uma empresa para realizar a “manutenção e adaptação” do hospital por R$ 1,27 milhão, acrescentou o site.

Convergência

A direção estadual do (partido) Cidadania (João Azevedo) tem buscado aproximação com o deputado federal Gervásio Maia (PSB), igualmente cortejado pelo MDB.

Da boca de…

“… Os senhores têm que estudar um pouco de história também né…” (ministro da Defesa, Walter Braga Netto, durante audiência pública na Comissão de Relações Exteriores da Câmara Federal, ao negar que tenha ocorrido um golpe militar no ano de 1964).

Nas alturas

O Banco do Brasil teve um lucro líquido de R$ 4,913 bilhões no primeiro trimestre de 2021 – 44,7% superior em relação a igual período de 2020.

Fisgar

O governo federal, conforme o jornal O Globo, estuda pagar parcelas do auxílio emergencial a parte das pessoas que solicitaram e tiveram o benefício negado em 2020.

No horizonte

Ninguém estranhe se, dentro de algum tempo, o ex-governador Ricardo Coutinho voltar a ser um filiado do PT.

Na cúpula

Diante do diálogo estabelecido esta semana – e ainda nebuloso – entre o ex-presidente Lula e o ex-ministro Gilberto Kassab, presidente nacional do PSD -, o ex-prefeito Romero Rodrigues botou ´gosto ruim´.

Na ´paróquia´

“Meu posicionamento é de estar no centro, buscando a melhor relação e o melhor entendimento. Vou ouvir e conversar. Mas, se depender da minha sugestão, vou me posicionar a favor da reeleição do presidente Jair Bolsonaro”, comentou Romero.

Quer distância

Ao discorrer sobre o mesmo tema, o prefeito Bruno Cunha Lima (PSD) afirmou que “tendo voz ativa no processo, a minha opinião é de que não haja nenhuma aproximação com o PT e os partidos que simbolizam essa esquerda vinculados ao movimento petista”.

Incorrigível

A Câmara Municipal de Campina Grande, pela maioria de seus membros, se permitiu, mais uma vez, apequenar-se enquanto poder.

Sem legitimidade

Em fazendo isso, foi desrespeitada, como se observará mais adiante, a delegação popular dada aos parlamentares.

Em cima da hora

Na sessão de ontem, apenas na segunda parte das atividades foi informada a colocação em pauta de um projeto de lei complementar (003/21) que promove a “reestruturação do regime próprio de previdência social do município” – o Ipsem.

Piscar de olhos

Menos de 10 minutos após o anúncio da existência do projeto – na verdade, o número do projeto, e não o seu objeto –, houve a aprovação de um requerimento (em 5 segundos) para que a matéria fosse votada em ´regime de urgência´, ou seja, atropelando toda a tramitação regular.

Aprovação unânime, sem contestação.

Acelerado

O ´rito sumário´ não permitiu sequer a leitura do parecer nem a superficial emissão de parecer verbal.

Sequer relator foi designado (ou mencionado).

Um ´foguete´

A colocação em pauta do projeto e a sua aprovação ocorreu EM MENOS DE 1 MINUTO, e de forma unânime.

Imprecisão  

A mensagem do Executivo remetendo o projeto é por demais genérica.

Menciona um “déficit do custo especial”, que será “financiado mediante a arrecadação mensal de 7,5% sobre a remuneração de contribuição dos servidores vinculados ao Ipsem”.

O detalhe

É citado um “escalonamento” do desconto acima referido, mas o documento não foi disponibilizado.

Outro aval

O segundo artigo permite considerar como “homologado” o “relatório técnico sobre os resultados da reavaliação atuarial, realizada em março de 2021”, igualmente sem qualquer documentação anexa disponibilizada.

Sem reação

A bancada de oposição sumiu do plenário. Nenhum de seus integrantes apresentou, durante a sessão, qualquer resistência à tramitação e votação do projeto, o que configura uma omissão injustificável.

Sensibilização

Na verdade, a maior dificuldade da liderança governista foi contornar o ´corpo mole´ de alguns membros da bancada.

Checagem

O vereador-presidente Marinaldo Cardoso passou um longo tempo contando o número de vereadores em plenário para se permitir iniciar a votação.

Quem aprovou

Aldo Cabral, Janduy Ferreira, Rubens Nascimento, Rostand Paraíba, ´Rui da Ceasa´, Ivonete Ludgério, Saulo Noronha, Alexandre Pereira, Sargento Neto, Waldeny Santana, Carol Gomes e Eva Gouveia.

Presidente

Marinaldo Cardoso não votou, mas a sua presença contou para o quórum qualificado.

O detalhe

O 14º vereador não foi nominado na chamada feita: ou deixou de ser citado ou não havia esse 14º parlamentar.

Ah sim!

Há algumas semanas, os vereadores campinenses demoraram mais de 1 hora discutindo um ´voto de aplauso´ a Juliette do BBB 21.

Tem um setor de protocolo muito procurado em Campina...
Share this page to Telegram

Arquivo da Coluna

Arquivo 2019 Arquivo 2018 Arquivo 2017

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube