Fechar

Fechar

Arimatéa Souza

sábado, 29/07/2017

O proverbial Cartaxo

MP vai às urnas

Acontece hoje – das 8h às 16h, exclusivamente na sede do Ministério Público, em João Pessoa – a eleição para a formação da lista tríplice para a escolha do novo procurador geral de justiça. São 215 votantes, que escolhem três nomes.

Os nomes mais votados serão encaminhados para a escolha final do governador do Estado – algo sem sentido, mas é o que manda a lei.

 

Concorrentes

Sete integrantes do MPPB estão na disputa: promotores de Justiça Amadeus Lopes Ferreira, Clístenes Bezerra de Holanda, Francisco Seráphico Ferraz da Nóbrega Filho, João Arlindo Corrêa Neto e João Geraldo Carneiro Barbosa; e os procuradores de Justiça José Roseno Neto e Valberto Cosme de Lira.

Desaceleração

Presidente do PSB pessoense, Ronaldo Barbosa disse ontem que é preciso ir ´devagar com o andor´ em termos de definições de nomes para 2018: “Eu respeito a opinião da imprensa, que quer uma definição pra já. Mas ainda acho que é preciso esperar mais um pouquinho para nós analisarmos o quadro como um todo”.

O tempo…

Com a mesma lógica, mas voltado para a oposição, o vereador Marcus Vinícius (PSDB), presidente da Câmara pessoense, comentou ontem que “quem tem um quadro desses (de vários nomes) não tem pressa. Nós temos que ter é a unidade das oposições e é importante que essa unidade exista”.

… Conta a favor

“No momento certo – prosseguiu Vinícius – todo mundo vai sentar para encontrar um consenso e apontar um nome que realmente represente o agrupamento das oposições”.

Realce

O deputado Pedro Cunha Lima (PSDB) ressaltou ontem a “capacidade de crescimento” político e administrativo do prefeito Romero Rodrigues.

Boletim

O ´tucano´ aproveitou para prestar contas de seu mandato com relação à cidade, salientando que já destinou mais de R$ 8 milhões em emendas parlamentares, sendo que pouco mais de R$ 5 milhões já empenhadas.

Solução

Romero disse ontem que pretende, nos próximos dias, resolver a situação das entidades filantrópicas da cidade, que estão sem subvenção.

Extrapolou

O prefeito disse que fará um apelo ao Legislativo, porque a PMCG ajudava costumeiramente oito entidades, mas através de projetos aprovados na Câmara essa quantidade saltou para 29, “algumas delas até sem endereço físico”.

Nada pessoal

Em entrevista a este colunista, Romero declarou que “não tenho absolutamente nada, pessoalmente, contra Ruy Carneiro”, e que vai procurá-lo para passar a limpo diretamente esses desencontros.

Dever de casa

O prefeito pontificou que “antes de unir a oposição, temos, enquanto PSDB, de unir o partido”.

Fórmula

RR qualificou como “muito boa” a conversa que havia tido na véspera com o senador Cássio.

“Temos que fortalecer o PSDB e continuar dialogando com os demais partidos de oposição”, enfatizou.

Sem amarras

O prefeito entende que é necessário acabar com a premissa de que a unidade das oposições só será possível a partir de situações intocáveis em termos de candidaturas.

Gradação

Ele sublinhou que Cássio “tem preferência nesse processo” para pavimentar a sua reeleição ao Senado.

Descartada

Confrontado com a hipótese de abandonar o PSDB, Romero respondeu: “De forma alguma, não existe essa possibilidade”.

Juntos

O evento sobre gestão pública promovido ontem pelo Conselho Regional de Administração, no auditório da FIEP, em Campina, reuniu no mesmo ambiente três pré-candidatos ao governo: Romero, o prefeito Luciano Cartaxo (PSD) e o secretário de Infraestrutura do Estado, João Azevedo (PSB).

Alinhavando

Azevedo disse à APARTE que o afunilamento da escolha do futuro candidato a governador em torno de seu nome “é um processo de construção”.

Formatação

“Estamos construindo um processo, ouvindo as bases, para chegar no final do ano com um projeto muito claro para todo mundo”, situou o socialista.

Prudência

Em conversa com a imprensa, Cartaxo comentou habilmente a crise que envolve Romero e Ruy Carneiro: “Temos quer ter a maturidade e o equilíbrio suficientes para tratar dessas questões. O assunto não é só do interesse dos partidos de oposição, mas da Paraíba como um todo”.

Viabilidade

Ainda de acordo com Cartaxo, “temos condições de poder trabalhar a unidade. A oposição tem todas as condições de chegar unida em 2018 e apresentar um projeto de mudança para a Paraíba”.

Harmonia

Para ele, é preciso uma “relação harmoniosa”. Mas admitiu que “é natural que dentro dos partidos possa ter pontualmente algumas divergências”.

“Mas nós temos que pensar num projeto muito maior, que é o das oposições e da Paraíba”, emendou.

Travessia

Na sua ´receita´ para a convergência, Luciano frisou que “o diálogo é fundamental, porque consegue superar divergências. É preciso colocar o interesse público acima do interesse partidário”.

Mais do mesmo

O prefeito desdenhou da retomada das críticas à sua gestão, oriundas do governador Ricardo Coutinho (PSB): “São criticas requentadas. Foram feitas no processo eleitoral de 2016 e nós vencemos as eleições no 1º turno”.

No mesmo palanque

Luciano Cartaxo rechaçou as especulações periódicas relacionadas a uma eventual reaproximação com o PSB, acentuando que “nós temos um grupo aliado” que venceu as eleições nas principais cidades do Estado.

– As oposições vão chegar unidas em 2018, não tenho dúvidas disso. Para ganhar as eleições e mudar a Paraíba – finalizou.

A quem Ricardo pretende entregar a ´vaga´ que seria dele no Senado?...

Me Aguarde

Palanque

Simple Share Buttons

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube