Fechar

Fechar

Arimatéa Souza

quinta-feira, 26/01/2017

O ponto nos is

3ª pista no litoral

Foi publicado no Diário Oficial da União o extrato do contrato para o início das obras de triplicação da BR 230, trecho entre a cidade de Cabedelo (quilômetro zero da Transamazônica) e a localidade Oitizeiro (confluência entre as BR 230 e 101, saída para o Recife/PE), em João Pessoa.

O trecho é de 26,6 km e a empresa ganhadora foi a S/A Obras e Serviços Copasa do Brasil. O serviço deverá ser iniciado em fevereiro.

Ir às urnas

O deputado federal Damião Feliciano (PDT) admitiu ontem, em entrevista à Rádio Caturité, a possibilidade de sua esposa, a vice-governadora Lígias Feliciano, vir a disputar o governo estadual (no caso a reeleição), caso seja efetivada na governadoria no próximo ano.

Mais à frente

“Vamos discutir isso no próximo ano. Acho que esse (2017) é um ano de poder trabalhar, principalmente depois do tumulto de 2016, que foi um ano completamente atípico. Houve uma confusão nesse país do ponto de vista do impeachment da presidente (Dilma), que afetou nossa economia”, situou o deputado ´do coração´.

Sem ´estrangeiro´

Por falar no PDT, o vereador campinense Rodrigo Ramos ´espanou´ ontem as articulações políticas do senador Raimundo Lira (PMDB): “Não precisamos trazer político de fora do Estado pra ser governador. O senador mora há mais de uma década em Brasília e Miami (EUA). A Paraíba tem bons nomes, tanto no PSB quanto no PDT”.

Passaporte

Como um tema puxa outro, Raimundo Lira está praticamente confirmado como o novo presidente da Comissão de Constituição e Justiça do Senado (a mais importante da Casa).

Chancela

Uma reunião da cúpula nacional do PMDB esta semana referendou a ocupação dos cargos importantes que vão caber este ano ao partido no Senado.

Novo destino

Renan Calheiros (AL), que deixa a presidência da Casa na semana que vem, será o novo líder do partido.

´Na cola´

Alguns experientes congressistas já comentam que Renan na liderança do PMDB será uma espécie de faca constantemente próxima ao pescoço do presidente Michel Temer.

Acolhida

Nessa conversa da cúpula peemedebista, ficou pacificado que o senador Cássio Cunha Lima (PSDB) será aceito, sem nenhum problema, como companheiro de chapa do senador Eunício Oliveira (PMDB-CE), que é candidato a presidente, caso o PDDB indique o paraibano para a 1ª vice-presidência.

Passos largos

“Está avançando muito bem”. A expressão foi verbalizada ontem pelo deputado Rômulo Gouveia (PSD) sobre a sua postulação de assumir a 4ª Secretaria da futura mesa diretora da Câmara Federal.

Sem prosperar

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu ao Supremo Tribunal Federal o arquivamento do inquérito instaurado contra o senador paraibano Lindbergh Farias (PT-RJ).

Ele é investigado pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro no âmbito da ´Lava Jato´.

Situando

O petista foi acusado pelo ex-diretor da Petrobrás Paulo Roberto Costa de ter solicitado (e recebido) R$ 2 milhões de origem ilegal durante sua campanha para o Senado, em 2010.

Nomenclatura

Assessor para assuntos parlamentares da Secretaria de Estado da Agricultura Familiar e Desenvolvimento do Semiárido.

 

Destinatário

Eis a nomeação publicada no Diário Oficial do Estado, edição de ontem, para o suplente de vereador campinense Napoleão Maracajá (PCdoB).

Situando

Napoleão deverá se tornar um novo ´porta-voz´ do Estado em Campina.

Essa Secretaria é o antigo Escritório de Representação do Estado.

Pra botar onde?

Presídios lotados à parte, existem mais de 12 mil mandados de prisão por serem cumpridos no território paraibano.

Bem Brasil

A construção da Ferrovia Transnordestina é um descalabro administrativo completo e uma das obras mais atrasadas do Brasil. Já tivemos oportunidade de falar sobre ela nesse espaço.

Fora dos trilhos

Ontem, o Tribunal de Contas da União determinou a paralisação das obras, por entender que é preciso estancar por completo o ´rosário´ de irregularidades.

Percurso

O projeto prevê quase 1.800 quilômetros de ferrovia para interligar os portos de Pecém (CE), Suape (PE) e o Estado do Piauí – sem passar pela Paraíba.

Impasse

Desde que morreu o ex-ministro Teori Zavascki, relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, que se instalou no País – particularmente no mundo político e jurídico – uma celeuma no tocante à escolha do futuro relator do caso.

Origem

A polêmica tem em seu âmago uma questão que a formalidade e/ou a conveniência tentam encobrir: três dos quatro ministros que integram a mesma turma (de julgamentos) de Teori no Supremo não inspiram confiança perante a opinião pública, devido a fatos pretéritos.

Proximidade

São os casos (pela ordem) de Gilmar Mendes, o ´ministro falastrão´ que se mete em tudo e que transita com singular desenvoltura junto a autoridades do Executivo, muitas delas mencionadas nas investigações até o momento divulgadas.

Restrições

O ministro Dias Toffoli é citado de ´raspão´ em delações já divulgadas.

Também é ex-advogado do PT no TSE e ex-ministro do ex-presidente Lula.

Bola fora

Ricardo Lewandowski, ex-presidente do Supremo, fez uma lambança no julgamento do impeachment da ex-presidente Dilma, ao afastá-la do mandato sem suspender os seus direitos políticos, numa clara afronta à Constituição Federal.

Suavidade

Ele também foi o – digamos – ´mais generoso´ ministro do STF no julgamento dos envolvidos com o escândalo do ´mensalão´, ao ponto de ter levado uns ´carões´ públicos por parte do ex-presidente do STF, Joaquim Barbosa.

Desafios

Ao que parece, a ministra-presidente Carmen Lúcia está numa encruzilhada: entre a necessidade de respeitar a opinião pública e a inequívoca credibilidade da Lava Jato, de um lado; e do outro procura encontrar embasamento no regimento do STF para encaminhar a relatoria para um colega que possa inspirar confiança perante a população.

Pesquisa aponta o preferido

Pesquisa do jornal O Globo mostrou que metade das pessoas entrevistadas apontou o decano (mais antigo) ministro Celso de Mello como o nome ideal para a relatoria.

Mas há dois problemas pela frente: Celso caminha para a aposentadoria (e a Lava Jato deverá demorar ainda um bom tempo) e como dar respaldo legal e impessoal à sua indicação.

Infelizmente, muitos juízes de nossa Corte Suprema deixaram de lado um basilar ensinamento do filósofo grego Platão: “O juiz não é nomeado para fazer favores com a justiça, mas para julgar segundo as leis”.

Aliados ´brecaram´ (a pedido) o lançamento de Lira...
Simple Share Buttons

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube