Fechar

logo

Fechar

Arimatéa Souza

sexta-feira, 27/09/2019

O limiar de uma tragédia

´Barnabés´

Dados divulgados pelo IBGE mostram que no ano passado 6.531.554 pessoas em todo o País trabalhavam na administração municipal direta e indireta – 3,2% a mais do que em 2017.

Dito de outro jeito: 3,1% de toda a população brasileira trabalhava no Poder Público municipal.

Os números emergiram da Pesquisa de Informações Básicas Municipais e Estaduais.

 

Proporcionalidade

À luz do levantamento, quanto maior a faixa populacional do município, menor é o porcentual de servidores.

Vínculo

A proporção de funcionários estatutários na administração direta recuou de 65,7% em 2017 para 62,2% em 2018.

Já os trabalhadores celetistas eram 8,2% e caíram para 7,2% na comparação entre os dois anos.

Estados

Em termos de administrações estaduais, em 2018 estavam empregadas (administração direta e indireta) 3.128.994 pessoas – 4,7% a mais que em 2017.

São 87,1% na administração direta e 12,9% na indireta.

A volta

A vereadora-presidente Ivonete Ludgério (PSD) informou ontem que o vereador Renan Maracajá (PSDC) deverá reassumir o seu mandato no próximo dia 6, no Legislativo campinense, uma vez que não existe qualquer impedimento regimental, após a conclusão da licença que ele havia requerido.

Boa medida

Os bancos podem dispensar peritos para avaliar o preço de imóveis residenciais, algo que encarece a aquisição de imóveis.

Foi a decisão adotada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN).

Stop

Líder do governo na Assembleia Legislativa, o deputado Ricardo Barbosa (PSB) informou ontem que “a orientação do governador João Azevêdo é de que a gente continue trabalhando”, e deixando de lado a abordagem sobre a crise interna no partido.

“Esse assunto (racha) está fora de pauta. Seguimos nessa ´batida´ de trabalhar forte”, reforçou.

Não caiu a ficha

No pronunciamento que fez em Campina Grande, anteontem, quando da posse da nova diretoria da FIEP, João Azevedo destacou que boa parte da Paraíba ainda não se deu conta de que “o maior parque eólico em construção na América Latina está sendo construído na serra de Santa Luzia”, um investimento da ordem de 1 bilhão de euros (cerca de R$ 4,5 bilhões).

 Acelerando

Confrontado com as farpas recentes sobre a precocidade de sua pré-campanha a prefeito de Campina Grande, o ex-deputado Bruno Cunha Lima (atual chefe de gabinete da PMCG) respondeu que “o que existe da minha parte é uma iniciativa. E acredito que isso deva fazer parte de qualquer pessoa. Se você quer alguma coisa, você precisa correr atrás”.

Rumo a 2020

O sindicalista Wilton Maia (Urbanitários) se filiou ao Partido Socialista Brasileiro em Campina Grande.

O número

Ao final de agosto, a dívida pública federal do Brasil atingiu o estonteante patamar de R$ 4 trilhões e 74 bilhões.

Dito de outro jeito: 4.074.000.000.000,00.

No leme

O deputado federal paraibano Julian Lemos assumiu interinamente a presidência nacional do PSL.

Tchau

O vereador Olímpio Oliveira (MDB) disse à Coluna que está consolidada a decisão de não mais postular um mandato de vereador nas eleições do ano que vem em Campina Grande.

Executivo

A sua intenção é disputar o cargo de prefeito, mesmo que o senador Veneziano Vital (PSB) se lance na mesma disputa.

Analógico

Um detalhe curioso revelado pelo jornal o Globo em sua edição do último domingo: o deputado paraibano Wellington Roberto (PL, antigo PR) não usa aplicativos em seu aparelho de telefone celular.

Sem volta

Pré-candidato a prefeito de Campina Grande pelo PCdoB, o deputado estadual Inácio Falcão reafirmou que “já é decisão do partido, o partido já bateu o martelo”, acerca da candidatura própria a prefeito.

Circular

“Não só em Campina Grande, mas na maioria das cidades do Brasil que possuem mais de 100 mil habitantes”, adendou.

Filtro natural

Inácio afirmou que “hoje eu tenho a visão que tanto faz você sair com uma candidatura, com duas, com três, com dez, porque quem vai definir é o povo”.

O detalhe

O PCdoB deverá lançar 35 candidatos a vereador – 24 homens e 11 mulheres -, sendo que 90% dos postulantes já estariam (desde já) definidos.

Ruidosa

Em bombástica entrevistada dada ao jornal O Estado de São Paulo, o ex-procurador-geral da República, Rodrigo Janot, revelou que no momento mais tenso de sua passagem pelo cargo, chegou a ir armado para uma sessão do Supremo Tribunal Federal com a intenção de matar a tiros o ministro Gilmar Mendes.

Pra valer

“Não ia ser ameaça não. Ia ser assassinato mesmo. Ia matar ele (Gilmar) e depois me suicidar”, afirmou, para explicar a idealização do gesto extremo: Gilmar teria difundido “uma história mentirosa” sobre sua filha.

“E isso me tirou do sério”, acentuou Janot.

A sós
Ainda conforme o ex-titular PGR contou que no dia em que foi armado para o STF encontrou Gilmar na antessala do cafezinho da Corte. “Ele estava sozinho”, disse.

Mão divina

Ainda Rodrigo Janot: “Mas foi a mão de Deus. Foi a mão de Deus”, repetiu o procurador ao justificar por que não concretizou a intenção.

“Cheguei a entrar no Supremo (com essa intenção)”, relatou. “Ele estava na sala, na entrada da sala de sessão. Eu vi, olhei, e aí veio uma ‘mão’ mesmo”.

´Tinta´ para as impressoras dos jornais estatais...
Share this page to Telegram

Arquivo da Coluna

Arquivo 2019 Arquivo 2018 Arquivo 2017

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube