Jornalista há quase 30 anos, escreve a coluna Aparte desde 1991. Já trabalhou em TV, rádio e foi editor chefe do Jornal da Paraíba e colunista das TVs Cabo Branco e Paraíba. É comentarista político das rádios Campina FM, Caturité AM e editor do portal de notícias Paraibaonline.

quarta-feira, 17/08/2016

O ´imprensado´ na berlinda

Apelo final

Ao cabo de muitos dias de hesitação e de revisões no texto, a presidente afastada Dilma Rousseff (PT) divulgou ontem uma carta dirigida ao Senado e à população brasileira.

Devido ao valor histórico do documento, seguem alguns trechos.

A volta

“Meu retorno à Presidência, por decisão do Senado Federal, significará a afirmação do Estado Democrático de Direito e poderá contribuir decisivamente para o surgimento de uma nova e promissora realidade política.

´Mea culpa´

“Na jornada para me defender do impeachment me aproximei mais do povo, tive oportunidade de ouvir seu reconhecimento, de receber seu carinho. Ouvi também críticas duras ao meu governo, a erros que foram cometidos e a medidas e políticas que não foram adotadas. Acolho essas críticas com humildade e determinação para que possamos construir um novo caminho.

Ilegítimo

“Não é legítimo, como querem os meus acusadores, afastar o chefe de Estado e de governo pelo ´conjunto da obra´. Quem afasta o Presidente pelo ´conjunto da obra´ é o povo e, só o povo, nas eleições.

“Golpe”

“Por isso, afirmamos que, se consumado o impeachment sem crime de responsabilidade, teríamos um golpe de estado.

Fadiga

“Todos sabemos que há um impasse gerado pelo esgotamento do sistema político, seja pelo número excessivo de partidos, seja pelas práticas políticas questionáveis, a exigir uma profunda transformação nas regras vigentes.

Plebiscito

“Estou convencida da necessidade e darei meu apoio irrestrito à convocação de um Plebiscito, com o objetivo de consultar a população sobre a realização antecipada de eleições, bem como sobre a reforma política e eleitoral.

Trégua

“O desarmamento dos espíritos e o arrefecimento das paixões devem sobrepor-se a todo e qualquer sentimento de desunião.

Entraves

“Desde o início do meu segundo mandato, medidas, ações e reformas necessárias para o país enfrentar a grave crise econômica foram bloqueadas e as chamadas pautas-bomba foram impostas, sob a lógica irresponsável do ´quanto pior, melhor´.

Desgaste

“Houve um esforço obsessivo para desgastar o governo, pouco importando os resultados danosos impostos à população.

Ficha limpa

“Jamais se encontrará na minha vida registro de desonestidade, covardia ou traição. Ao contrário dos que deram início a este processo injusto e ilegal, não tenho contas secretas no exterior, nunca desviei um único centavo do patrimônio público para meu enriquecimento pessoal ou de terceiros e não recebi propina de ninguém.

Inconsistente

“Esse processo de impeachment é frágil, juridicamente inconsistente, um processo injusto, desencadeado contra uma pessoa honesta e inocente. O que peço às senadoras e aos senadores é que não se faça a injustiça de me condenar por um crime que não cometi. Não existe injustiça mais devastadora do que condenar um inocente.

Ensinamento

“A vida me ensinou o sentido mais profundo da esperança. Resisti ao cárcere e à tortura. Gostaria de não ter que resistir à fraude e a mais infame injustiça”.

Por tabela

Os processos que envolvem o ex-presidente da Câmara Federal, deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), novamente respingam aqui na Paraíba.

´Tropa de…

Desde que a situação de Eduardo Cunha se complicou no Conselho de Ética da Câmara Federal, que ele tem contado com a retaguarda de vários aliados, entre os quais os deputados paraibanos Manoel Júnior e Hugo Motta, ambos filiados ao PMDB, como também Wellington Roberto (PR).

… Choque´

Os paraibanos acima mencionados contribuíram para a protelação da tramitação desse caso na Câmara Federal, mediante várias gincanas procedimentais que se arrastaram por nove meses.

Depoimentos

Agora, Manoel Júnior e Hugo Motta estão listados entre os 13 parlamentares arrolados pela defesa do ex-presidente da Câmara Federal numa das ações penais que correm contra ele no Supremo Tribunal Federal.

Os depoimentos ocorrerão entre os dias 30 de agosto e 1º de setembro.

Desdobramentos

A conferir, os eventuais reflexos dessa vinculação no processo eleitoral, notadamente nas cidades de João Pessoa e Patos.

EM JP

Será hoje (9h), no fórum eleitoral da Capital, a reunião da justiça eleitoral para sortear a ordem dos candidatos no guia eleitoral gratuito no rádio e na TV.

A reunião será presidida pelo juiz titular da 1ª Zona Eleitoral, José Ferreira Ramos Júnior.

Na Serra

Em Campina, às 9h30 desta quinta-feira, a juíza Érica Tatiana (71ª Zona Eleitoral) reúne partidos e dirigentes de veículos de comunicação para também acertar os detalhes de exibição do ´guia´.

Nada muda

A deputada Daniella Ribeiro (PP) disse ontem na Assembleia Legislativa que permanecerá fazendo as críticas que entender necessárias à gestão do prefeito Romero Rodrigues (PSDB)

Horizontal

“Ninguém vai ver Daniella mudar o discurso. Isso aí é impossível. As críticas são feitas para que se construa, e cabe a quem for criticado ter a maturidade suficiente para recebê-las e consertar aquilo que está errado”, avisou a parlamentar.

Cuidado com a boca

Ainda conforme Daniella, “essa hipocrisia de oposição e situação, eu sou contra. Eu tenho responsabilidade com as minhas palavras”.

Como foi…

Indagada se teria sido uma boa escolha a indicação de Enivaldo Ribeiro para compor a chapa de Romero, a deputada respondeu que a deliberação foi partidária e o próprio Enivaldo decidiu aceitar o convite.

… Decidido

“Não partiu de mim a escolha ou de levá-lo (sei pai) a aceitar, até porque eu não faria isso. E não é assim que se discute uma aliança. Foram as circunstâncias”, acrescentou a parlamentar.

Recurso

A seccional da OAB considera a possibilidade de recorrer ao Conselho Nacional de Justiça contra o Judiciário paraibano.

Insatisfação

Os advogados estão indignados com a série de feriados e dias ´imprensados´ que a justiça está se permitindo aqui no Estado.

Mais recente

O último deles ocorreu no final de semana passado, e já existe a hipótese de mais três feriadões até o Natal.

“Pesar e lamento”

O presidente da OAB na Paraíba, Paulo Maia, disse ontem na ´Campina FM´ que está tentando um entendimento em nível de presidência do Tribunal de Justiça, mas se não houver receptividade vai sim recorrer ao CNJ, órgão máximo do Judiciário brasileiro em termos de organização funcional.

– A supressão do expediente ao público deve ser a última alternativa – observou Maia, para sublinhar que “vemos com pesar e lamento essa situação”.

A Sudema tem estrutura para fiscalizar os carros de som que começam a circular por Campina Grande?...
Simple Share Buttons