Fechar

logo

Fechar

Arimatéa Souza

sábado, 02/03/2019

O idioma do vice

Excedentes

Sete Estados descumpriram limites de gastos com pessoal e de endividamento previstos na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) em 2018.

Minas Gerais, Mato Grosso, Paraíba, Roraima e Tocantins gastaram mais do que o permitido com o salário de seus servidores no ano passado, informou o ´Estadão´.

2 pontos

No caso da PB, os gastos com pessoal chegaram a 51% das receitas – o limite fixado pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) é 49%.

Subindo sem parar

O gasto com inativos representou quase a metade das despesas de Estados como São Paulo (49%), Minas Gerais (45%), Rio de Janeiro (43%) e Pernambuco (43%).

Por tabela

Amazonas, Ceará e Roraima são as unidades da federação que destinam maior fatia para o pagamento de terceirizados, 5% de suas despesas em cada um deles.

Tolerância

A LRF prevê punições para Estados que estiverem desenquadrados.

No caso do teto para gasto com a folha de pagamento, os governadores têm dois quadrimestres para se enquadrarem antes de sofrerem punições.

Da boca de…

“… A minha indignação é por ter servido como um soldado leal de todas as horas (…) disposto a matar ou morrer, e no fim da linha ser crucificado, levar um tiro nas costas. Simplesmente porque o senhor Carlos Bolsonaro (filho do presidente Jair Bolsonaro) fez uma macumba psicológica na cabeça do pai…” (Gustavo Bebianno, demitido do ministério na última semana).

Milhares

Reportagem publicada no jornal Folha de São Paulo mostra que no ano passado foram identificadas mais de 12 mil fraudes no seguro DPVAT (seguro para danos causados por veículos automotores), que provocaram desembolsos da ordem de R$ 70 milhões.

O detalhe

No ano passado foram processados 597 mil pedidos de indenização.

Foco

A maior quantidade de fraudes foi detectada no Ceará, que tem a 9ª frota do País.

Fez história

Após mais de 7 milhões de unidades fabricadas, a empresa Honda consumou o fim da emblemática motocicleta CG 125, cuja fabricação teve início no Brasil em 1976.

Na ´pole´

Esse tipo de moto é o veículo mais emplacado na história do País, à frente do veículo Gol (6,7 milhões de unidades emplacadas até 2018) e do Fusca (mais de 3 milhões de unidades emplacadas).

Da boca de…

“… Existem adversários que desejam disputar, outros querem dominar, mas muitos só se satisfazem com a eliminação de tudo aquilo que lhes provoca medo e insegurança a respeito de suas divinas certezas…” (jornalista campinense Arquimedes de Castro).

Mais um

Já está disponível em Campina Grande o sinal aberto da TV Divino Pai Eterno, que pode ser sintonizado no canal 56.

Da boca de…

“… A velha política morreu. Não sabemos qual é a nova, mas sabemos que a velha política morreu. As estatais não vão alimentar mais aquela forma de fazer política…” (superministro da Fazenda, economista Paulo Guedes).

Outro…

A edição da revista Época que chega às bancas neste final de semana publica como reportagem de capa o relato da delação de um ex-padre da Arquidiocese do Rio de Janeiro, considerado ´ex-braço direito´ do cardeal arcebispo carioca Dom Orani Tempesta.

Ruído

O ex-padre confessa participação em desvios de R$ 52 milhões e ligações com o ex-governador (RJ) Sérgio Cabral (MDB), multiprocessado na Operação Lava Jato, por intermédio de uma Os (organização social).

Sábado é dia de poesia

“…Antes que a definitiva noite/ Se espalhe na América Latina/ O nome do homem é povo/ Do homem é povo…” (música traduzida e gravada por Caetano Veloso).

Da boca de…

“… Não tem jeito, ele é o único responsável por tudo. Como a gente diz, militarmente, por tudo o que aconteça ou deixe de acontecer. Essa é a responsabilidade dele, esse é o preço…” (general Carlos Alberto dos Santos Cruz, ministro da Secretaria de Governo, sobre o empenho do presidente Jair Bolsonaro para aprovar a reforma previdenciária).

Incontinência…

O Brasil se habituou (ou teria se surpreendido?) com a desenvoltura funcional e retórica do vice-presidente da República, general Hamilton Mourão.

… Verbal

No dia de ontem, ele se permitiu tratar novamente sobre a polêmica reforma da Previdência Social.

“Degolar”

“Eu acho que a cavalaria tem que avançar e degolar. Temos que ganhar tudo isso aí (a proposta integral), essa é a minha visão”, verbalizou.

Ato contínuo, registrou que “o presidente (Bolsonaro) é muito mais político do que eu, ele sabe dos limites. Agora, a minha visão é que nós temos que tentar corrigir o problema. Se a gente corrigir pouquinho a bomba cai daqui a quatro anos de novo, aí começa nova discussão”.

Redundância: se beber, não dirija. Um alegre carnaval!...
Share this page to Telegram

Arquivo da Coluna

Arquivo 2019 Arquivo 2018 Arquivo 2017

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube