Fechar

logo

Fechar

Arimatéa Souza

terça-feira, 16/06/2020

O bilionário rateio

O Censo da insensatez

Parece inacreditável, mas o fato é que 25.645 paraibanos terão que devolver aos cofres do governo federal R$ 18 milhões e 99 mil, por terem recebido de forma indevida o auxílio emergencial, que é destinado exclusivamente a pessoas desempregadas, trabalhadores informais e em estado de vulnerabilidade por conta da pandemia do coronavírus.

Esse quantitativo é fruto de um cruzamento de dados de beneficiários do auxílio com as folhas de pagamento do governo do estado e dos municípios paraibanos.

A Controladoria Geral da União (CGU) e o Tribunal de Contas do Estado compilaram as informações.

Sustação

A Câmara Federal aprovou, dias atrás, o projeto que proíbe, por 90 dias, a inclusão de consumidores no cadastro de inadimplentes, como o Serasa Experian e o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), por causa da pandemia do novo coronavírus.

Impedimento

Os dados não poderão ser utilizados para restringir o acesso a programas de fomento ou a linhas de crédito.

Para trás

O prazo de suspensão é retroativo e começa a contar em 20 de março, quando foi decretado estado de calamidade pública.

Alcance

O projeto, segundo o jornal O Globo, estabelece que a lei perderá efeito assim que o Ministério da Saúde decretar que a pandemia está superada. Aqueles que descumprirem a suspensão estarão sujeitos a multa.

Atenuantes

O relator do projeto foi o deputado federal Julian Lemos (PSL-PB).

Ele sublinhou que é preciso adotar medidas que evitem maiores danos aos trabalhadores e empresários.

Funil

O mesmo jornal noticiou que aliados do atual presidente da Câmara Federal (deputado Rodrigo Maia – DEM/RJ) apostam em nomes como os dos deputados Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), Fernando Bezerra Filho (DEM-PE) ou Baleia Rossi (MDB-SP) para sucedê-lo no cargo.

Da boca de…

“… Eu defendo os 23 vereadores como uma mãe defende um filho…” (vereadora-presidente Ivonete Ludgério, PSD, em sessão do Legislativo campinense).

Em busca…

O ex-ministro da Saúde, Henrique Mandetta, apimentou suas declarações em relação ao presidente Bolsonaro: “Primeiro o presidente quis colocar a culpa na China, mas falaram para ele recuar pois dependemos economicamente deles. Depois tentou culpar a OMS (Organização Mundial da Saúde), vital para nosso intercambio de saúde, mau negócio.

… De culpados

“Depois brigou comigo dizendo que os números estavam inflados. Ele vai brigar com o planeta terra para culpar alguém. Agora fala dos hospitais. Covarde, muito covarde. Muito pequeno, muito tacanho”.

Na tela

O secretário de Saúde do Estado, médico Geraldo Medeiros, é o entrevistado de hoje no programa Ideia Livre da TV Itararé, que começa às 22 horas (depois do Jornal da Cultura): canal 18.1 e ou pela internet – tvitarare.com.br

´Lotou´

O ex-vereador Cassiano Filho, da direção municipal do MDB em Campina Grande, informou que o partido já conseguiu fechar a chapa proporcional para as eleições deste ano: 35 pré-candidatos a vereador.

Poda

A queda nas receitas do Funcep (Fundo de Combate e Erradicação da Pobreza) foi da ordem de 52%, em comparação ao mesmo mês de 2019.

Situando

A fonte de receita do Funcep são os empenhos feitos e pagos pelo governo estadual.

Afastamento

O PSDB avança para a oposição ao governo Jair Bolsonaro, mas não defende seu impeachment.

Sem ´degola´

“O impeachment é potencializar uma crise dentro da mais grave crise sanitária e econômica talvez da nossa história”, declarou o presidente nacional do PSDB, Bruno Araújo, ao jornal Folha de São Paulo.

Acelerado

O ex-deputado estadual Robson Dutra está obstinado para retomar a sua atividade política, a partir de um mandato de vereador em Campina Grande.

No dia de ontem, ele acertou a contratação do publicitário Emerson Saraiva.

´Limpar a ficha´

A Serasa está fazendo um ´queima´: regularização de débitos de consumidores. Quem tem dívidas entre R$ 200 e R$ 1.000 poderá quitá-las integralmente pelo valor de R$ 100.

Ficou na…

Apesar de centenas de discursos e de igual quantidade de entrevistas, o fato é que o dinheiro do bilionário Fundo Eleitoral não será destinado à pandemia do coronavírus.

… Retórica

Irá sim irrigar, com recursos públicos, a campanha eleitoral ainda sem data certa no calendário.

´Bolo´

Dias atrás, o Tribunal Superior Eleitoral informou que R$ 2 bilhões e 35 milhões serão rateados entre 33 partidos políticos, tendo à frente o PT e o PSL (ex-partido de Bolsonaro).

Dianteira

Na verdade, bem à frente: R$ 200,9 milhões e 193,7 milhões, respectivamente.

Andar de baixo

Na outra ponta, 10 partidos, com acanhado desempenho eleitoral, vão receber (somados) cerca de R$ 43 milhões.

Ei-los: Rede, PMN, PTC, DC, PRTB, PSTU, PCB, PCO, PMB e UP.

Em tempo: o partido Novo já avisou que rejeita o uso dos R$ 36,6 milhões a que teria direito no fundo eleitoral.

Infeliz do país onde seu ministro da Educação deseduca...
Share this page to Telegram

Arquivo da Coluna

Arquivo 2019 Arquivo 2018 Arquivo 2017

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube