Fechar

Fechar

Arimatéa Souza

sábado, 07/07/2018

Nova batalha judicial

´Convite´ ao afastamento

Em mais um capítulo da crise interna no PSD da Paraíba, o deputado Manoel Ludgério, vice-presidente estadual da legenda, avisou que vai “sugerir” a Eva Gouveia, que dirige o PSD, que “na impossibilidade” momentânea de ela comandar o partido no atribulado período eleitoral, “que possa delegar alguém” a “condução dos diálogos políticos”.

 

Disponível

Ludgério disse que “topava, sem problema nenhum”, assumir o comando partidário.

“Estou à inteira disposição da minha presidente, para que nós possamos conversar, saber quais coligações vamos integrar; quem são os candidatos do PV, do PSDB; se o PSC vem para essa coligação e qual a expectativa de elegermos os candidatos. Tudo isso são pontos que nós precisamos participar. Por isso que eu estou cobrando isso do nosso partido”, acrescentou Ludgério.

Da boca de…

“… A última missão da nossa geração é empurrar essa velha ordem de apropriação privada do Estado para a margem da história…” (Luís Roberto Barroso, ministro do Supremo Tribunal Federal).

Cético

O empresário e pré-candidato a deputado estadual Artur Bolinha Almeida (PPS) externou ontem a sua preocupação com a apatia da população diante do iminente processo eleitoral.

Piorar

“As pessoas indignadas querem anular os votos. Os indiferentes poderão vender os votos. Dessa maneira não haveria um resultado positivo. O que pode ocorrer é aprofundar o que já está ruim”, avaliou.

Fatura

Bolinha sublinhou que “quem se abstém de participar das eleições vai pagar uma conta que os outros farão por ele”.

Beneficiário

Em entrevista à Rádio Caturité, o empresário acentuou que “a demonização da política é boa para quem já tem mandato”.

Risco

“Não temos o direito de errar nessas eleições. Estamos, enquanto país, ´no osso´. E esse momento de dificuldades é fruto de nossas escolhas no passado”, acrescentou Artur Bolinha.

Prioridade

O empresário, por fim, destacou que Campina Grande precisa cobrar dos pré-candidatos a governador o compromisso com a construção da alça noroeste, que vai interligar a BR 230 – saída para João Pessoa com a saída para o Sertão.

O detalhe

O PPS almeja eleger entre três e cinco deputados estaduais este ano na Paraíba.

´Diz aí´

O presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, conversava com uma servidora da Câmara Federal, conforme relato do ´Estadão´, e a interlocutora criticou o “temperamento” do presidenciável Ciro Gomes.

Reação de Lupi: “Você quer um marido ou um presidente?”

No limite

A direção estadual do PSB informou que a convenção para a homologação da candidatura de João Azevedo a governador, como também as coligações, será realizada no dia 5 de agosto – último dia do prazo fixado pela legislação eleitoral.

Sábado é dia de poesia

“Sei que aí dentro ainda mora um pedacinho de mim/ Um grande amor não se acaba assim/ Feito espumas ao vento…” (música de Accioly Neto, cantada por Flávio José, que ontem se apresentou no Parque do Povo).

Só lá…

Presidente da OAB/PB, Paulo Maia declarou que somente em outubro próximo é que vai tratar do processo sucessório na entidade, ou seja, no mês anterior ao pleito.

… Pra frente

“O discurso da eleição continua sempre em voga. E isso prejudica as ações de gestão”, observou, sem assumir a condição de postulante à reeleição.

O ´dedo na ferida´

O senador Cristovam Buarque (PPS-DF) remeteu ofício ao presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), no sentido de que ele libere a tramitação do pedido de impeachment do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, protocolado pelo jurista Modesto Carvalhosa.

Justificativa

“O Brasil conhece o Dr. Modesto Carvalhosa. Jurista, professor respeitado. Um pedido de impeachment de um ministro do Supremo é muito sério. Mas, vindo dele, merece o nosso respeito”, justificou Buarque.

O detalhe

Os senadores Randolfe Rodrigues (Rede-AP), Lasier Martins (PSD-RS) e João Capiberibe (PSB-AP) já tinham protocolado similar solicitação.

Sem…

A solenidade de entrega das reformas realizadas na Assembleia Legislativa, na noite de quinta-feira, serviu para demonstrar o ´fosso´ que separa atualmente os poderes Executivo e Judiciário no Estado.

… Diálogo

Sentados lado a lado, Ricardo Coutinho e o desembargador-presidente Joás de Brito Pereira Filho sequer se cumprimentaram.

Em boa parte da cerimônia, o governador ficou de costas para o presidente do TJ.

Desdobramentos

Em contato posterior com os jornalistas, Ricardo renovou a sua preocupação com decisões judiciais com reflexos nas finanças do Estado.

“Gravidade”

“Eu percebo uma gravidade tremenda. Imagine se nós formos fazer agora o orçamento através de decisão judicial! Como é que fica a economia? E se cair, como vai cair agora em julho, a receita do Estado? Então, todos terão 100% de orçamento e o Poder Executivo terá 60%?” – indagou RC.

Trincar

“O orçamento não pode ser feito por caneta de decisão. O orçamento é uma consequência natural da receita do Estado, senão vão quebrar o Estado. Essa é a verdade”, sublinhou o governador.

Contestação no DF

Sobre a decisão judicial que determinou ao Estado o repasse integral do ´duodécimo´ da UEPB fixado no Orçamento Estadual, o governador disse que “é claro que vamos recorrer dessa decisão. Nós vamos lá para Brasília. É claro que houve uma confusão”.

 

 

Agora é cantar o Hino Nacional no dia da eleição...

Me Aguarde

Palanque

Simple Share Buttons

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube