Fechar

logo

Fechar

Arimatéa Souza

sexta-feira, 18/10/2019

Nos porões do poder

Suprema encrenca

A revista eletrônica Crusoé ´exumou´ fatos relacionados ao empresário Léo Pinheiro, um dos delatores da Operação Lava Jato e que por muito tempo foi o comandante da empreiteira OAS.

Eis um resumo: “Foi o atual presidente do Supremo (ministro Dias Toffoli), relatou Léo Pinheiro em um dos 109 anexos de sua delação premiada, que o apresentou a Ticiano, em fevereiro de 2012, durante um encontro no restaurante Piantella, na capital federal.

Proposta

“Após Toffoli deixar a mesa, seu irmão, à época vice-prefeito de Marília (SP), e Sojinha, braço direito dele, teriam pedido 1 milhão de reais ao empreiteiro para comprar a renúncia do então prefeito Mário Bulgareli, do PDT. Como contrapartida, a dupla entregaria à construtora uma obra de saneamento orçada em 108 milhões de reais…

Segue o…

“A apuração investiga a fundo as irregularidades atribuídas a Ticiano por Léo Pinheiro – acusações que, a pedido de Raquel Dodge (ex-procuradora geral da República), acabaram arquivadas pelo ministro Edson Fachin, no STF.

… Texto

“Dois fatos públicos alinham-se com a delação de Léo Pinheiro. Em março daquele ano, no mês seguinte ao suposto acerto, (o prefeito Mário) Bulgareli renunciou de forma surpreendente, sem alegar o motivo, deixando a prefeitura nas mãos de Ticiano Toffoli.

Sucessor

“Em abril de 2013, já na gestão do sucessor Vinícius Camarinha, do PSB, a OAS assinou um contrato de 106,8 milhões de reais com o Departamento de Água e Esgoto de Marília, o DAEM, para concluir três estações de tratamento de esgoto. Camarinha também foi acusado pelo delator de receber propina vinculada ao contrato”.

Caneta

A edição de ontem do Diário Oficial do Estado publicou a nomeação de Roberto Fernando do Nascimento Filho para o cargo de secretário executivo da Secretaria de Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca.

Agora…

O ex-presidente Lula concedeu mais uma entrevista ao jornal Folha de São Paulo/portal UOL.

… É Lula

Três frases da parte inicial da conversa, publicada ontem: “O Aécio Neves não aguentou uma capa da revista Veja (…) A Operação Lava Jato se transformou numa quadrilha (…) Os delatores venderam a alma da mãe ao diabo”.

Da boca de…

“… Vivemos num tempo em que cumprir a Constituição passou a ser um ato revolucionário…” (advogado Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, ontem, no Supremo Tribunal Federal, durante o julgamento sobre o início do cumprimento da pena após a confirmação por órgão colegiado do Judiciário).

Preliminar

O que o leitor vai ler abaixo parece um ´circo de horrores´.

Mas é a reprodução de partes das vísceras do PSL, uma legenda que cresceu exponencialmente no rastro do ´fenômeno´ Bolsonaro e que abriga uma bancada heterogênea nos costumes, nas práticas políticas e que tem na confiabilidade entre os seus membros uma característica precocemente identificada como manca.

Ameaça

Líder do partido na Câmara Federal, delegado Waldir (GO), sobre o presidente da República: “Vou fazer o seguinte: eu vou implodir o presidente. Aí eu mostro a gravação dele, eu tenho a gravação. Não tem conversa, eu implodo o presidente, cabô, cara.

Arrependimento

“Eu sou o cara mais fiel a esse vagabundo (Bolsonaro), cara. Eu votei nessa porra, eu andei no sol 246 cidades, no sol gritando o nome desse vagabundo”.

Garimpo

Frases de autoria não inteiramente identificada, na reunião da bancada do PSL, cujo áudio foi gravado de maneira secreta e posteriormente divulgado.

Ingratidão

“Ele (Bolsonaro) começou a fazer a putaria toda, falando que todo mundo é corrupto (…) A gente foi tratado que nem cachorro desde que ele ganhou a eleição. Nunca atendeu a gente em porra nenhuma (…) Ele só liga na hora que quer fu… alguém”.

Artilharia no…

O deputado paraibano Julian Lemos tomou parte na reunião.

Eis algumas das colocações por ele verbalizadas.

… Conterrâneo

“O líder do governo hoje, do Centrão, Aguinaldo Ribeiro, é um bandido. É melhor tratar com Lula do que com ele. É o gângster do PP. O camarada mais escroto que conheço.

Ironia

“Jair não levou mais facadas do que eu. Jair levou uma, eu levei umas cinquenta e estou bem.

Finitude

“A ´onda´ Bolsonaro não durará para sempre. Aquela ´onda´ Bolsonaro só existiu por vários fatores, desde a facada ao anti-PT. Mas o discurso de bandido bom é bandido morto tem limite”.

Para não dizer um ´não´

Julian Lemos relatou aos demais deputados a conversa que manteve no Palácio do Planalto com o ministro da Secretaria de Governo, general Luiz Eduardo Ramos, sobre a alegada necessidade de destronar o líder do PSL na Câmara (delegado Waldir), razão pela qual o ´golpe´ “tem de sair de hoje para amanhã” – na reprodução feita da expressão usada pelo ministro.

– Eu corri de lá…. Eu não posso fazer isso sem conversar com vocês e com Waldir (líder)… Jair (Bolsonaro) me pedindo uma coisa é foda. Eu simplesmente pedi para cagar e sai. E não voltei mais (…) E ainda vivo metendo o cacete no advogado dele (Jair) – discorreu o deputado.

Em tempo: o advogado do presidente citado é o ex-ministro do TSE Admar Gonzaga.

Só Paulo Guedes pode salvar Bolsonaro...
Share this page to Telegram

Arquivo da Coluna

Arquivo 2019 Arquivo 2018 Arquivo 2017

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube