Fechar

logo

Fechar

Arimatéa Souza

quinta-feira, 09/04/2020

“Morro de medo”

Qual a rotina do papa na quarentena?

Trechos de uma entrevista dada por Francisco.

“Como eu vivo espiritualmente? Rezo mais ainda, porque acredito que devo fazer assim, e penso nas pessoas. Preocupa-me isso: as pessoas. Pensar nas pessoas me ajuda, me faz bem, me subtrai ao egoísmo.

“Obviamente tenho meus egoísmos: na terça-feira recebo meu confessor, é então que coloco no lugar este tipo de coisa. Penso nas minhas responsabilidades atuais e no que acontecerá depois.

Por vir

“Qual será, nesse depois, o meu serviço como bispo de Roma, como chefe da Igreja? Aquele depois já começou a se mostrar trágico, doloroso, por isso convém começar a pensar desde agora.

Proximidade

“A minha maior preocupação – ao menos a que sinto na oração – é como acompanhar o povo de Deus e estar mais próximo dele.

Abertura

“A criatividade do cristão deve se manifestar em abrir novos horizontes, abrir novas janelas, abrir transcendência para com Deus e os homens, e deve se redimensionar em casa. Não é fácil ficar fechado em casa. Recordo-me de um verso da ´Eneida´ que, no contexto de uma derrota, dá o conselho de não desistir”.

Citação

(Eneida)´Preparem-se para tempos melhores, porque naquele momento isso nos ajudará a recordar as coisas que aconteceram agora. Cuidem-se bem para um futuro que virá. E quando este futuro chegar, fará muito bem recordar o que aconteceu agora´.

Situando

´Eneida´ é um poema latino e épico, escrito pelo poeta romano Públio Virgílio no século I antes de Cristo.

Data marcada

O Supremo Tribunal Federal julgará no próximo dia 16, no mérito, a decisão liminar (provisória) do ministro Ricardo Lewandowski que proibiu que as empresas promovam redução de jornada de trabalho e de salários sem a anuência da respectiva entidade sindical.

Isenção

220 kWh. Esse deverá ser o teto mensal de consumo de energia elétrica, a ser fixado pelo Ministério das Minas e Energia, para a amortização das contas, por parte do governo, ao longo dos próximos 90 dias.

O detalhe

A estimativa é que essa assistência social contemple 9 milhões e 400 mil famílias no Brasil, com desembolso pouco superior a R$ 1 bilhão.

Da boca de…

“… Provocações gratuitas, irresponsáveis e esquizofrênicas…” (embaixador Sérgio Amaral, sobre a brincadeira preconceituosa do ministro da Educação, Abraham Weintraub, contra o povo chinês).

Automática

O banco Santander Brasil anunciou que prorrogará, compulsoriamente, por 60 dias, as parcelas de crédito vencidas desde 16 de março ou que tenham prestações a vencer até dia 15 de maio, mantendo as mesmas condições previstas no contrato.

A vez da…

Em entrevista, o vice-prefeito de Campina Grande, Enivaldo Ribeiro (PP), disse que não pretende disputar a recondução ao cargo, caso preservada a aliança com o grupo do prefeito Romero Rodrigues (PSD).

… Descendência

“Já fui deputado estadual e federal, já fui prefeito de Campina. Agora estou sendo vice-prefeito. Eu preferiria que Lucas Ribeiro (seu neto) fosse candidato, porque ele é um cara novo, mas um cara extremamente competente”.

Da boca de…

“… Estou preocupado em escapar do coronavírus. Essa é a minha prioridade e devia ser a sua e a de quem está ouvindo. Depois a gente discute essas coisas…” (deputado Adriano Galdino, PSB, ao ser questionado sobre as eleições municipais).

Ao vivo

As celebrações (sem fieis) da Semana Santa na catedral de Campina Grande, a serem presididas pelo bispo diocesano, Dom Dulcênio Fontes de Matos, serão transmitidas pela TV Itararé (canal 18.1) e pela Rádio Caturité FM (104.1).

A Missa da Ceia do Senhor será hoje, a partir das 19h30.

Sob encomenda

Um estudo da Universidade Federal do Rio de Janeiro e da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo utilizou ferramentas de ciência de dados para apontar que 55% entre 1,2 milhão de publicações favoráveis ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) no Twitter são feitas por robôs.

O detalhe

As postagens analisadas foram feitas em 15 de março, dia de atos pró-governo.

Garimpo

Vale a pena pinçar trechos de uma participação do médico Drauzio Varella em um debate promovido pelo portal UOL.

Fatura

“Nós estamos pagando o preço da desigualdade social. Sempre encaramos isso com naturalidade. Vamos pagar o preço de termos construído estádios na Copa (do Mundo de 2014) que hoje estão sendo transformados em hospitais. Não sabemos como a epidemia vai se disseminar em um país com essa desigualdade social. Sabemos o que está acontecendo em países ricos. No Brasil, não, agora que nós vamos saber. E pode ser terrível.

O que atenua

“A realidade é muito dura. Ainda bem que temos o SUS, que todo mundo xinga, que não serve para nada. Imagina agora se não teria.

Pânico

“Morro de medo quando vejo as UTIs que conheci no Norte, Nordeste. É muito precária a assistência médica oferecida.

Virar a página

“Tínhamos visão benigna da epidemia, mas estamos numa situação de guerra. Esquece a vida normal, ela não vai existir por muito tempo. Não vai ser normal porque não poderá ser.

Duração

“Daqui a quanto tempo vai acontecer? Não tenho ideia, ninguém tem ideia. Na prática, estamos aí, quando começou? Em dezembro, em janeiro sabemos de lá. Tem três meses, é impossível fazer previsões sobre o futuro”.

É preciso cantar

“Eu vou pedir que as estrelas não parem de brilhar

E as crianças não deixem de sorrir

E que os homens jamais

Se esqueçam de agradecer”

(Roberto Carlos)

Eis o tempo de conversão...
Share this page to Telegram

Arquivo da Coluna

Arquivo 2019 Arquivo 2018 Arquivo 2017

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube