Fechar

Fechar

Arimatéa Souza

quarta-feira, 20/06/2018

Livre para voar

Anúncio adiado

Ao contrário da expectativa nutrida pelo senador José Maranhão (MDB), o PSC decidiu ontem postergar, para mais adiante, a definição de alianças para as eleições deste ano.

O evento partidário desta terça-feira se limitou a lançar o nome do vice-prefeito pessoense Manoel Júnior como pré-candidato a senador.

 

Cheque…

Ao tratar desse adiamento, o pastor Everaldo, presidente nacional do PSC, declarou que Manoel Júnior, Marcondes Gadelha (presidente do PSC/PB) e o ex-deputado Leonardo Gadelha “vão verificar qual é a melhor opção para o PSC e o povo do Estado”.

… Em branco

“O que Marcondes resolver, a direção nacional assina em baixo”, grifou.

Etapas

O próprio Marcondes disse que “nós vamos consolidar essas candidaturas (proporcionais e ao Senado) e montar chapas para dar mais conforto na disputa aos nossos companheiros. Depois nós vamos tomar a decisão sobre governador, dentro de mais 10 ou 15 dias”.

Nivelados

Sobre as opções de José Maranhão e de Lucélio Cartaxo (PV) para o governo, Marcondes frisou que “os dois candidatos são muito bons. Não há no momento como estabelecer qualquer distinção”.

Não feneceu

O dirigente do PSC assinalou que “nós ainda não afastamos a ideia de união da oposições, que é uma tese que o partido defende desde os primórdios”.

Parceria

Convênio firmado ontem entre a presidência do Tribunal de Justiça e a prefeitura campinense propicia a cessão das instalações do antigo fórum campinense (avenida Floriano Peixoto) para o funcionamento da Secretaria de Serviços Urbanos.

Biblioteca

O ex-presidente Lula informou que as suas leituras mais recentes foram a biografia do cantor e compositor cearense Belchior; ´O amor nos tempos do cólera´, de Gabriel Garcia Marquez; e a trilogia sobre o ex-presidente Getúlio Vargas, de autoria do jornalista Lira Neto.

Mano

A suplente de deputada estadual Eva Gouveia (presidente do PSD/PB), deverá apoiar para a Assembleia Legislativa Moacir Rodrigues (PSL), irmão do prefeito Romero Rodrigues (PSDB).

´Minas…

Um levantamento produzido pela revista Época mostra a extensão da rede de corrupção montada pelo petista Fernando Pimentel, governador de Minas Gerais, chamado de “o mais delatado governador em exercício do país”.

…. Gerais´

Segundo o estudo, os pagamentos ilegais ao grupo do governador mineiro foram feitos por 20 financiadores e ultrapassam R$ 100 milhões.

Reagir

Presidente do PSD em Campina Grande, o vereador João Dantas observou que a legenda precisa realizar “reuniões e ações mais firmes” por conta das eleições deste ano e em razão da súbita morte do ex-deputado Rômulo Gouveia.

Abatido

“Após a partida de Rômulo, nós ficamos sem chão. Ele era dinâmico, presente, atuante e constante”, frisou Dantas.

Retomada

O edil disse esperar uma convocação para que “o grupo se reúna. Ainda não conversei com Eva Gouveia (nova presidente do partido), mas acredito que essa reunião deve acontecer o mais breve possível para que possamos encontrar os caminhos”.

Apoio…

“Fizemos a opção por um programa inovador, construído em sintonia com os paraibanos e capaz de fazer o Estado avançar gerando oportunidades e melhorando a qualidade de vida das pessoas”.

… Declarado

Foi a justificativa dada pelo deputado Bruno Cunha Lima, ao anunciar ontem o apoio do Solidariedade (legenda que comanda na Paraíba) à pré-candidatura de Lucélio Cartaxo a governador.

Vaias

O pré-candidato à Presidência Ciro Gomes (PDT) foi vaiado, ontem, durante o Congresso Mineiro de Municípios.

Ele tratava de sua proposta de reforma tributária e se irritou com a desatenção dos organizadores do evento.

Em pauta

A Câmara campinense deverá votar, na sessão ordinária de hoje, a LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias).

Foram propostas 17 emendas ao texto original oriundo do Poder Executivo.

Comenda

À noite, o Legislativo campinense prestará uma homenagem ao jornalista Helder Moura.

Comer pamonha

O presidenciável Geraldo Alckmin (PSDB) deverá visitar a Paraíba ainda neste mês de junho.

Descarte

O senador Raimundo Lira (PSD) disse ontem que não foi o seu desempenho aferido em pesquisas que o levou a desistir de tentar a reeleição.

No seu relato, a sua posição oscilava entre a 2ª e a 3ª colocação, dependendo da região do Estado pesquisada.

Reavaliação

“Quando estive no velório de Rômulo (Gouveia), eu comecei a fazer uma reflexão em relação ao que eu queria realmente da minha vida. E cheguei à conclusão que não era esse vida que eu queria. Eu queria uma vida mais simples e menos exigida, como é a do político, principalmente nos meses de eleição. Então eu cheguei a essa conclusão”, discorreu o senador.

Distanciamento

À ´Arapuan FM´, Lira admitiu que “a partir da consolidação da chapa (com Lucélio Cartaxo, no lugar do prefeito Luciano), eu já não estava totalmente consolidado com essa chapa”.

Sem apetite

Por outro lado, o senador sublinhou que “a falta de credibilidade da classe política nacional, e da paraibana igualmente, não dá gosto que você participe dela. Sinceramente não dá gosto de você ser político”.

“Saio por minhas pernas, não teve a influência de ninguém”, emendou.

Sem restrições

Em declaração surpreendente, Raimundo Lira anunciou que “vou participar natural e discretamente das eleições”.

– Agora, estou como livre atirador. Eu posso estar do lado A, no lado B ou no lado C. Quero ter a liberdade de, no decorrer da campanha, fazer uma mudança que achar que devo fazer – asseverou o senador, não descartando, nas entrelinhas, uma reaproximação com o grupo do governador Ricardo Coutinho (PSB).

Alianças de Lucélio já têm as ´digitais´ de Romero Rodrigues...

Me Aguarde

Palanque

Simple Share Buttons

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube