Fechar

Fechar

Arimatéa Souza

quarta-feira, 18/05/2016

Lira apressado

Zé, “o dono”

O governador Ricardo Coutinho (PSB) respondeu enfaticamente, ontem, ao senador José Maranhão, presidente do PMDB/PB, que no dia anterior avisou que ele teria que procurá-lo, caso desejasse a liberação de uma operação de crédito que carece da anuência do governo federal para se concretizar.

“O Brasil não pode ter retrocessos. Governo nenhum tem donos. Eu vejo alguns parlamentares dizendo, numa infelicidade terrível, que o governador da Paraíba, para poder liberar um empréstimo, tem que ir lá no senador. Quer dizer que o senador (Maranhão) passou a ser dono de um empréstimo que o povo da Paraíba precisa?! É isso o que estão dizendo? É essa a concepção de democracia que algumas figurinhas carimbadas aqui da política têm? Eu rechaço tudo isso”, bradou Ricardo.

Inaceitável

RC disse também, em entrevista, que “jamais aceitaria retaliação de quem quer que fosse, porque a Paraíba é pequena, mas não é covarde”, numa alusão ao relacionamento a ser estabelecido com o governo Michel Temer.

Sem covardia

“E a Paraíba não tem um governador covarde. Tem um governador que sabe dos seus deveres e do respeito que deve ter, mas sabe também da defesa dos interesses do seu povo. Eu não abro mão disso”, emendou.

Obediência

O socialista observou que “respeito todo o regramento jurídico do País. E irei dialogar, caso o governo federal queira, como sempre fiz e continuarei a fazer”.

Demagogia

O secretário de Comunicação do Estado, jornalista Luiz Torres, chegou rotular Maranhão, ontem, em entrevista como “um demagogo”.

Estranheza

Torres admitiu que é de se “estranhar” os movimentos recentes do PMDB/PB acerca do PSB.

Quinhão

Ele citou que o PMDB avaliza mais de 30 cargos relevantes na administração estadual.

“É para ficar (nos cargos) desse jeito?” – indagou o titular da Secom/PB.

Meditação

O deputado estadual Manoel Ludgério (PSD) confirmou ontem que foi oficialmente convidado para assumir a chefia de gabinete do prefeito Romero Rodrigues (PSDB).

“Eu pedi um tempo para conversar com as minhas bases”, disse Ludgério em entrevista à TV Itararé.

Quebra-cabeça

O afastamento temporário de Ludgério da ALPB tem por trás uma ´engenharia política´, cuja finalidade é levar ao Legislativo o ex-deputado (e atual 3º suplente) Guilherme Almeida (PSC).

´Corrente´

Para que isso se concretize, será necessário que os prefeitos Luciano Cartaxo (PSD-JP) e Romero (PSDB) exonerem os secretários Carlos Batinga (PSC, 1º suplente de deputado) e Eva Gouveia (PSD, 2ª suplente) dos cargos de secretário de Mobilidade Urbana e Ação Social, respectivamente.

Ida e volta

Eva e Batinga assumiriam a suplência e prontamente seriam novamente requisitados pelas duas prefeituras, deixando a pista livre para Guilherme.

Impactante

Dados da Serasa (a empresa que centraliza as informações do sistema financeiro) mostram que na virada de março para abril mais de 43 milhões e 100 mil brasileiros estavam com as contas de água ou energia em atraso.

Cadeiras vazias

Não houve quórum na sessão ordinária de ontem do Legislativo campinense.

No horário regimental, apenas quatro vereadores estavam em plenário: Orlandino Farias (PSC), Olímpio Oliveira (PMDB), Napoleão Maracajá (PCdoB) e Miguel Rodrigues.

Chibata

Orlandino, que presidia a sessão, fez valer a sua sinceridade habitual: “Os vereadores fiquem atentos porque os eleitores vão meter a macaca em vocês”.

Tilintar

Os vereadores campinenses devem aprovar em breve um reajuste na remuneração para a próxima legislatura, que deverá ser superior a 26%, passando de pouco mais de 12 mil reais mensais para cerca de 15 mil e 100 reais.

O detalhe

O aumento na remuneração dos vereadores ocorre a cada quatro anos.

Pular fora

O deputado Manoel Júnior (PMDB-PB), suplente na Comissão de Ética da Câmara Federal, deverá anunciar em breve a sua saída do conselho.

Justificativa: a sua pré-candidatura a prefeito de João Pessoa.

Nas rédeas

O vereador Anderson Maia (PSB), líder do bloco de oposição na Câmara campinense, alertou o pré-candidato a prefeito de Campina pelo seu partido, deputado Adriano Galdino, que “o projeto de candidatura tem de seguir afinado com as ações governamentais” do governo estadual.

Inalteradas

Recém filiado ao PMDB, o deputado estadual Ricardo Marcelo disse que está disposto “a seguir as orientações partidárias” sobre a sua atuação na Assembleia Legislativa, mas enfatizou que “as minhas convicções não se alteram”.

Bateu saudade

O ex-vereador Fernando Carvalho (PTB) confirmou que irá tentar o seu retorno ao Legislativo campinense.

“Deu para refazer conceitos”, sublinhou.

O que será…

… O amanhã. Os governadores nordestinos deverão se reunir amanhã para reavaliar a conjuntura, diante da chegada ao governo do presidente em exercício Michel Temer (PMDB).

´Mea culpa´

Em nota divulgada ontem, o diretório nacional do PT assinala que “fomos contaminados pelo financiamento empresarial de campanhas, estrutura celular de como as classes dominantes se articulam com o Estado, formando suas próprias bancadas corporativas e controlando governos”.

Celeridade peemedebista

O senador Raimundo Lira, presidente da Comissão Especial do Impeachment, começa a defender que a Casa julgue o processo por crime de responsabilidade contra a presidente afastada Dilma Rousseff em até 120 dias.

Veneziano ´submergiu´?...

Me Aguarde

Palanque

Simple Share Buttons

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube