Jornalista há quase 30 anos, escreve a coluna Aparte desde 1991. Já trabalhou em TV, rádio e foi editor chefe do Jornal da Paraíba e colunista das TVs Cabo Branco e Paraíba. É comentarista político das rádios Campina FM, Caturité AM e editor do portal de notícias Paraibaonline.

sábado, 18/06/2016

“Lealdade” sem “subserviência”

Quem dá as cartas

O ex-prefeito Enivaldo Ribeiro informou que quem está “cuidando” das coligações para as eleições deste ano em Campina Grande é o deputado Aguinaldo Ribeiro.

Procura-se

Os R$ 50 milhões que o deputado Veneziano (PMDB) está anunciando para a limpeza do açude de ´Boqueirão´.

Resgate

Abaixo, algumas declarações da entrevista que o deputado e prefeitável Adriano Galdino (PSB-CG) concedeu esta semana à TV Itararé.

Sem uso…

“Quem conhece o governador Ricardo sabe muito mim que ele não usa o Estado, de forma nenhuma em campanha. Nem na dele, imagine na de alguém que ele possa estar apoiando.

… Da máquina

“A Assembleia Legislativa não é um órgão administrativo que manda uma pessoa só. Quem manda é um colegiado. E qualquer desvio de finalidade será denunciado pelos deputados que nos fazem oposição lá. A Assembleia está totalmente alheia ao processo político de nossa pré-campanha. Tenho dito isso de forma muito clara a todos que conversam comigo. A minha campanha não passa pela AL. Eu quero dizer que o senador Cássio fique absolutamente tranquilo. A minha pré-candidatura está dentro da lei e tem por finalidade mostrar a Campina que a gente pode fazê-la melhor e mais justa para todos”.

Nota

As respostas tiveram origem em declarações recentes do senador Cássio (PSDB), que pediu atenção ao TRE-PB e ao Ministério Público Eleitoral à campanha do socialista.

RC em Campina

Segue Adriano: “O governador Ricardo teve no 2º turno da eleição 37% dos votos (em CG). É um eleitorado considerável. Campina acompanha o trabalho do governador não só na cidade, mas em toda a Paraíba. E observa que a Paraíba melhorou muito após a gestão Ricardo.

Receptividade

“O eleitor de Campina pode até não estar satisfeito, querendo mais. Mas tem a consciência de que Ricardo tem feito muito por Campina e pela Paraíba.

Longe da Serra

“Eu espero que Ricardo participe pouco de minha campanha. A participação e a preocupação maior dele é com João Pessoa. Seria bom que ele participasse mais. Eu tenho que respeitar a opinião dele e entender quer para o PSB é importante que tenhamos de volta a Prefeitura de João Pessoa.

Escolha do vice

“A partir do diálogo e do peso da pessoa indicada, nós iremos escolher o nosso companheiro de chapa (…) Na minha visão será peso eleitoral, mas a decisão não é minha, mas sim dos partidos que estarão conosco. E a tese majoritária prevalecerá.

Coligações

“Nada mais natural que os partidos que fazem parte da base do governador Ricardo se aliem com o candidato do PSB. Uma coisa natural e lógica. O ilógico será o partido que apoia Ricardo ficar contra uma candidatura do PSB. Acho que o raciocínio do pré-candidato Veneziano (PMDB) está errado.

Recuo

“Veneziano disse que entregava o comando ao governador. E qualquer decisão que Ricardo tomasse no campo das oposições ele também seguiria. No outro dia, ele desdisse o que havia dito no dia anterior (…) Veneziano me surpreendeu bastante (com o gesto). Ele já quebrou, de certa forma, o acordo”.

Contexto

A resposta de Adriano foi acerca da decisão de Veneziano de se lançar candidato a prefeito um dia após o socialista mudar o seu domicílio eleitoral para Campina Grande.

Flexível

Segue Galdino: “Em momento algum eu impus a minha candidatura. Em todos os momentos, eu coloquei o meu nome à disposição. Estava e estou sempre aberto ao diálogo não só com o PSB, mas com outros candidatos de oposição.

Unidade

“Eu acho que o PSB tem um grande comandante, que é o governador, que comanda o seu exército com muita autoridade. Ele vai trazer sim todo o PSB para a nossa candidatura. Qualquer membro do PSB que não estiver conosco, será considerado desertor. E desertor, neste País, é tratado como traidor. E traidor, neste País, é uma pessoa menor.

Efeito

(os carões do governador têm surtido efeito no PSB-CG?) “Acho que sim. A cada dia mais se afirma a vontade do governador de mostrar ao partido que já tomou posição e que tem candidato em Campina.

Só fachada

“Não vejo conteúdo na gestão de Luciano Cartaxo (PSD) em João Pessoa. É muita maquiagem. Eu acho que ele perde a prefeitura. E perdendo vai voltar ao tamanho que tinha: um candidato a deputado com dificuldades de se eleger.

Favoritismo

“Todo mundo sabe que hoje os candidatos favoritos para chegar ao segundo turno são Veneziano e Romero. Mas na política nada é definitivo. E eu vou lutar para chegar ao 2º turno. E acho que tenho condições, até porque nada na vida para mim foi fácil.

O mago vai mandar?

(na PMCG, se Adriano for eleito) “As influências boas do governo. As coisas boas do governo eu vou trazer para Campina. O Orçamento Democrático é uma delas (…) Quem me conhece sabe que eu sou amigo, leal, mas não sou subserviente a ninguém. Tenho posição, personalidade e pensamento próprio. Mas sou amigo, companheiro e sou leal”, declarou Adriano Galdino.

Quantos candidatos a vereador tem o PP/CG?
Simple Share Buttons