Fechar

logo

Fechar

Arimatéa Souza

sexta-feira, 13/09/2019

Lançando pontes

O Democratas já tem lado

O deputado Efraim Filho, comandante do Democratas na Paraíba, anunciou ontem, durante entrevista à TV Itararé, que o seu partido continuará perfilado ao lado do governador João Azevedo.

“O DEM tem a posição de estar aliado com o governador, e tende a segui-lo, até porque João tem uma postura mais ao centro no espectro ideológico, e gera uma identidade maior com aquilo que a gente pensa e defende”, situou Efraim.

Qual o alcance?

Por outro lado, Efraim Filho teve uma conversa, na noite de ontem, com o ex-deputado (e chefe de gabinete do prefeito Romero Rodrigues) ex-deputado Bruno Cunha Lima (sem partido).

Calada da noite

De acordo com o site ´O Antagonista´, o presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Dias Toffoli, recebeu em sua residência, na noite de quarta-feira – fora da agenda e por cerca de três horas – os senadores petistas Jaques Wagner (BA) e Humberto Costa (PE), esse último líder da bancada no Senado.

Da boca de…

“… Na verdade, ele (Ricardo Coutinho) atacou Deus e o mundo. Ele demonstra que não sabe conviver sem a caneta e o poder. Agora, ele está no lugar que todo paraibano gostaria que ele estivesse: sem vez, sem voz e sem credibilidade…” (deputado estadual Wallber Virgolino, do Patriotas).

Sem convite

O senador Veneziano Vital (PSB) esclareceu ontem que “nós não fomos lembrados precedentemente” acerca da reunião da Executiva Nacional do PSB, segunda-feira última, que piorou a crise interna do partido na Paraíba.

Sem sondagem

“Eu mesmo, por telefone, na segunda-feira, estive conversando com o presidente Carlos Siqueira (presidente nacional do PSB), o qual não emitiu absolutamente nenhum convite para a participação da comissão provisória”, ponderou o ´V´.

Modelar

Veneziano frisou que “não alimento nenhum tipo de animosidade. Não terão em minha pessoa o que irá alimentar animosidade. Pelo contrário, se existe uma pessoa que, junto às outras, tem se portado como deveria, sou eu”.

Equívoco

O socialista destacou que “a alternativa pacificadora não seria a comissão provisória, e sim outras maneiras que reagrupemos o PSB”.

Saldo alto

De acordo com o jornal O Globo, o deputado federal David Miranda (PSOL-RJ) fez “movimentações atípicas” de R$ 2,5 milhões em sua conta bancária entre o início de abril de 2018 e o final de março de 2019, segundo aponta relatório enviado pelo Coaf (que monitora a movimentação financeira no País) ao Ministério Público do Rio de Janeiro.

Situando

O parlamentar é casado com Glenn Greenwald, editor do site The Intercept, que tem divulgado mensagens atribuídas a autoridades da Operação Lava Jato.

Da boca de…

“… Não há como aceitar uma família de ditadores. É hora de os democratas darem um basta. Chega!”…”, (Felipe Santa Cruz, presidente do Conselho Federal da OAB, sobre o governo Bolsonaro).

Bom sinal

O governador João Azevedo agendou para a próxima semana uma visita ao Hospital da FAP, em Campina Grande.

 

Torneira…

Posição da Cagepa: em qualquer cenário não se cogita a adoção de um racionamento d´água em Campina Grande antes de maio do ano que vem.

… Aberta

Esse racionamento só seria avaliado, no mês referido, caso não houvesse até lá a retomada do bombeamento d´água da transposição do Rio São Francisco e também não ocorresse qualquer recarga no período invernoso de 2020.

Exumação

Ricardo Coutinho declarou ontem que “vai chegar o dia em que eu vou nominar, se for necessário”, os deputados “que chegavam para mim e diziam: ´João não sai do canto não´. Quem está me ouvindo sabe do que estou falando. E eu disse: ´não, esse é o caminho e nós vamos ganhar as eleições´.”

Apelo

RC revelou ainda “que ouvi de João Azevedo”, no processo eleitoral do ano passado, “a preocupação de que se eu deixasse o governo, se a candidatura dele persistiria. Ele achava que haveria uma debandada. Ponderei aquilo tudo e preferi apostar no projeto”.

Disponível

Quem perde com a polarização política no Brasil?

Esse é o tema do meu mais recente comentário no Youtube.

Serviço

Para assistir, clique aqui.

Dialogar

Para o vice-líder do governo na Câmara Municipal de Campina Grande, vereador Alexandre Pereira (PHS), os últimos acontecimentos na política estadual “recomendam” que o prefeito Romero Rodrigues e o governador João Azevedo finalmente sentem à mesa para “debater os assuntos importantes da cidade”, porque Campina “passou oito anos esquecida pelo governo anterior.

Destravou

“Isso já começou a acontecer através do secretário de Saúde, Geraldo Medeiros”, mediante o acerto de contas em termos de farmácia básica, UPAs e Samu.

“Isso já abre um grande diálogo entre a prefeitura e o governador” assinalou.

Nada impede

Conforme o vereador, “qualquer tipo de aproximação que venha a somar para Campina é muito benvinda”.

Alexandre acrescentou que não tem “nenhuma restrição política ou pessoal” ao atual governador.

Cabeças distintas

“João tem se mostrado totalmente diferente de seu antecessor. E isso mostra que ele é uma pessoa de diálogo, que não quer confronto. O seu antecessor dividia, para apenas somar para ele”, comparou o edil.

Depende de João

Acerca de um eventual desdobramento na direção de uma aproximação de natureza política, o vice-líder de Romero na Câmara afirmou à TV Itararé que primeiramente “precisamos saber qual o partido e a direção que João Azevedo vai adotar (…) É importante trabalharmos em conjunto para o crescimento da Paraíba”.

Como ficará o PCdoB nessa briga entre João e Ricardo Coutinho?...
Share this page to Telegram

Arquivo da Coluna

Arquivo 2019 Arquivo 2018 Arquivo 2017

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube