Fechar

logo

Fechar

Arimatéa Souza

sexta-feira, 26/10/2018

“Lado gângster da comunicação”

Olhares diferenciados

A coluna de hoje tem uma feição incomum. A relevância dos pronunciamentos de duas expressivas personalidades brasileiras, na contagem regressiva para o 2º turno da eleição, merece que sejam ecoados. É o que segue.

´Guru´

Estrategicamente afastado de boa parte da campanha (midiática) de Fernando Haddad (PT) no 2º turno das eleições, o ex-presidente Lula divulgou uma carta ´ao povo brasileiro´, através de sua assessoria.

Leia trechos da ´missiva´.

Ameaça

“Chegamos ao final das eleições diante da ameaça de um enorme retrocesso para o país, a democracia e nossa gente tão sofrida. É o momento de unir o povo, os democratas, todos e todas em torno da candidatura de Fernando Haddad, para retomar o projeto de desenvolvimento com inclusão social e defender a opção do Brasil pela democracia.

Destruição

“Tenho consciência de que fizemos o melhor para o Brasil e para o nosso povo, mas sei que isso contrariou interesses poderosos dentro e fora do país. Por isso tentam destruir nossa imagem, reescrever a história, apagar a memória do povo. Mas não vão conseguir.

Conluio

“Para derrubar o governo da presidenta Dilma Rousseff, em 2016, juntaram todas as forças da imprensa, com a Rede Globo à frente, e de setores parciais do Judiciário, para associar o PT à corrupção.

Sem 2º turno

“Todos sabem que fui condenado injustamente, num processo arbitrário e sem provas, porque seria eleito presidente do Brasil no primeiro turno.

Impulsionamento

“O que assistimos desde então foi escandaloso caixa 2 para impulsionar uma indústria de mentiras e de ódio contra o PT.

Interrogação

“Fico pensando, todos os dias: por que tanto ódio contra o PT? Talvez odeiem o PT porque fizemos uma revolução silenciosa no Nordeste.

Corrupção

“Será que odeiam o PT porque criamos os mais fortes instrumentos de combate à corrupção e, dessa forma, deixamos expostos todos que compactuaram com desvios de dinheiro público?

Herança

“Tenho muito orgulho do legado que deixamos para o país, especialmente do compromisso com a democracia.

Juntar todos

“Neste momento em que uma ameaça fascista paira sobre o Brasil, quero chamar todos e todas que defendem a democracia a se juntar ao nosso povo mais sofrido, aos trabalhadores da cidade e do campo, à sociedade civil organizada, para defender o estado democrático de direito.

Diálogo

“Se há divergências entre nós, vamos enfrentá-las por meio do debate, do argumento, do voto. Não temos o direito de abandonar o pacto social da Constituição de 1988.

“Aventura”

“Não podemos deixar que o desespero leve o Brasil na direção de uma aventura fascista, como já vimos acontecer em outros países ao longo da história”.

Sensatez

A ponderação, a coerência, a inteligência e o discernimento se somam e se encarnam na figura do Carlos Ayres Britto, ex-presidente do Supremo Tribunal Federal.

Garimpo

A sua entrevista ao jornal Folha de São Paulo, reproduzida pelo PARAIBAONLINE, representa um sopro de sobriedade às vésperas de o País ir às urnas para decidir o seu destino, ao cabo de uma campanha onde os grandes e prementes temas e desafios nacionais ficaram relegados a TERCEIRO plano.

Leia trechos das declarações do ex-ministro.

Democracia

“Factualmente, a situação é preocupante. Não chegaria a dizer trevosa, mas é sombria. A gente tem a clara impressão de que cada corrente majoritária vê a outra como signo não de um projeto de governo, mas de poder. Projeto de poder é de conteúdo secreto. Não diz para o grande público o que quer fazer quando chegar ao poder e quer chegar ao poder para ficar nele por muito mais do que quatro anos (…) A democracia se blinda eficazmente de qualquer tentativa de desnaturá-la e, mais ainda, de liquidá-la.

Quem prevalece

“Se o candidato pode defender posturas inconstitucionais e exagerar na retórica, outra coisa é no exercício do poder. Se no cargo a autoridade se revelar incompatível com a Constituição, a sociedade fica em um dilema jurídico: ou a Constituição ou o presidente. E a resposta só pode ser que a Constituição fica e o presidente sai, o que se chama de impeachment.

Mandamento

“Quem chega para exercer o cargo de presidente tem de baixar a crista antidemocrática se ele, eventualmente, tiver uma natureza antidemocrática.

Voo no escuro

“Quando se convoca uma Assembleia Constituinte? Quando a Constituição em vigor já deu o que tinha de dar e está com o pé na cova. [Quando] As instituições nascidas à luz dessa Constituição entraram em colapso cardíaco e padecem de falência jurídica múltipla. É esse o pressuposto psicossocial e político da convocação de uma Assembleia Constituinte (…) Flertar com o abismo da Assembleia Constituinte chega a ser uma insanidade.

Em cima da lei

“As Forças Armadas se constituem sob a autoridade do presidente da República, chefe de um dos poderes. E elas têm tido um comportamento exemplar, a serviço do estado democrático de direito, rigorosamente nos marcos da Constituição.

Postulado

“A liberdade de imprensa é assegurada pela Constituição em letras de forma. Não há democracia sem liberdade de imprensa. São irmãs siamesas, uma puxa a outra.

Sem ré

“Os direitos humanos clássicos – liberdade de expressão, trabalho, locomoção e reunião – são garantias individuais. E a Constituição as categoriza como cláusula pétrea. Cláusula pétrea é garantia do avanço e, por consequência, proibição do retrocesso. Não pode haver retrocesso. Quando o Estado paga uma dívida civilizatória, não pode estornar esse pagamento e voltar a ser devedor. É papel do Judiciário dizer: “Aqui, não”.

Notícias falsas

Ainda Ayres Britto: “As fake News são o lado gângster e canalha da comunicação online, é um vírus que precisa ser combatido”.

Vamos ter 3º turno?...
Share this page to Telegram

Arquivo da Coluna

Arquivo 2019 Arquivo 2018 Arquivo 2017

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube