Fechar

logo

Fechar

Arimatéa Souza

quinta-feira, 10/01/2019

João quer oposição em ação

Fez o ´terno´

O ex-ministro Antonio Palocci (governos Lula e Dilma) assinou seu 3º acordo de deleção premiada em nove meses. Já pode até ´pedir música´ no programa Fantástico da Rede Globo.

Dessa vez, ele relatou fraudes praticadas por fundos de pensão ligados a bancos e empresas públicas.

É bom o ex-presidente Lula colocar (novamente) as ´barbas de molho´…

Tilintar

O 1º repasse do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) de 2019 será creditado hoje, no valor de R$ 3,1 bilhões, já considerando a retenção para o Fundeb (educação), da ordem de R$ 800 milhões.

Adicional

Conforme a Secretaria do Tesouro Nacional, o 1º decêndio de janeiro de 2019, comparado com mesmo período do ano anterior, apresentou um crescimento de 19,87%.

Na ativa

O vereador (licenciado) e delegado Olímpio Oliveira (MDB-CG) reassumiu as suas funções na Polícia Civil, como forma de apressar o processo de aposentadoria.

O detalhe

Ele foi designado titular da Delegacia do Idoso, em Campina Grande.

Partiu

Alcindor Villarim confirmou que um grupo de três vereadores campinenses – ele, Marinaldo Cardoso e pastor Josimar – está ´afivelando´ as malas para deixar o PRB, em função da recente troca de comando do partido na cidade, que passa a ser presidido pelo vereador Renan Maracajá (ex-PSDC).

Desenlace

Em entrevista à Rádio Caturité FM (104.1), o edil disse que o trio participou de recente reunião com o deputado federal (reeleito) Hugo Motta, que no ano passado assumiu o comando do PRB no Estado.

Precoce

Alcindor relatou que essa chegada de Renan ao comando do PRB/CG passa pela sinalização de seu apoio à reeleição de Hugo no ainda distante processo eleitoral de 2022.

Em bloco

Os três parlamentares que deixam o PRB deverão ingressar oportunamente num novo partido, de forma conjunta, já de olho nas eleições municipais de 2020, quando não serão permitidas as coligações proporcionais.

Interrogação

Ainda de acordo com Alcindor, a continuidade do apoio do PRB ao prefeito Romero Rodrigues não foi objeto de discussão na já referida reunião.

O PRB integra a base política do governador João Azevedo (PSB).

O detalhe

Hugo prometeu aos três vereadores que não haverá retaliação por ´infidelidade partidária´, quando da formalização das desfiliações.

Garimpo

Ainda sobre o governador paraibano. Ele concedeu uma longa entrevista ao jornal Folha de São Paulo.

Leia trechos a seguir.

Governo Bolsonaro

“O que eu espero é que a relação possa ser republicana da maneira que tem que ser. Isso não significa de forma alguma que divergências políticas e compreensão diferente faça com que um estado possa sofrer penalidades ou discriminação por parte do governo federal.

Aberto

“Em nenhum momento, vou me negar a participar de reunião (com o presidente) desde que seja oficialmente convidado, é claro.

Descrente

“Não sou realmente muito otimista não. Eu espero que frases que foram ditas, a exemplo de ´menos Brasília e mais Brasil´ (por Bolsonaro), sejam postas em prática.

Receita retida

“Você não pode imaginar um país que tem uma distribuição dos royalties de petróleo suspensa por uma liminar e ninguém decide.

Frente de…

“A posição do partido (PSB) está acima de posições pessoais dos membros. Eu acho que a posição está correta. Ela precisa ser considerada.

… Oposição

“É uma opção do PT não participar do bloco de oposição. Não é uma posição do PSB. Se o PT quiser participar junto com o bloco, eu defendo essa posição. Aqui nós fomos aliados ao PT, tivemos um candidato ao Senado do PT e continuamos participando juntamente aqui e, inclusive, com a participação do PT dentro da gestão.

Pra já

“A oposição precisa começar a apresentar exatamente o que espera do novo governo e fazer as cobranças no dia-a-dia, a partir de hoje. Não existe prazo para isso. Fala-se muito e não se sabe o que vai acontecer. Fica difícil você cobrar, mas o posicionamento da oposição precisa ser claro e desde o primeiro dia.

Autocrítica

“Eu acho que a esquerda cometeu um erro nestas eleições, que foi exatamente não ter tido a capacidade de ter se unido. Se nós tivéssemos nos unido, teríamos um outro resultado. Vaidades pessoais foram colocadas acima dos interesses do país e isso nos levou para esta situação.

Espelho

“O PT precisa fazer uma autocrítica no sentido de que, durante esse processo, o próprio desgaste do partido nos levou a esta situação. O próprio Haddad entendia assim. Agora, o PT não se colocar dentro do bloco de oposição junto com os outros partidos nos leva a essas dificuldades. Eu continuo insistindo que precisamos buscar a unidade das oposições. É o único caminho para as esquerdas no Brasil”.

Sem mais dinheiro

Ainda João Azevedo: “A Paraíba manteve para 2019 a mesma previsão orçamentária de 2018. O valor que foi repassado no ano passado, aproximadamente R$ 620 milhões, para o Judiciário, é a nossa previsão de repassar neste ano. Não temos como aumentar duodécimos, seja do Judiciário, do Ministério Público, da Assembleia Legislativa, do Tribunal de Contas, da Defensoria Pública, porque é em função da receita. Se não tem aumento de receita, não podemos aumentar a despesa. Estamos trabalhando aqui dessa forma.

– O Judiciário, bem como todos os outros poderes, tem que se adequar às condições do orçamento. O orçamento é o mesmo do ano passado. Não há acréscimo – acrescentou.

Uma semana sem os ministros de Bolsonaro darem entrevista faria um bem enorme ao País...
Share this page to Telegram

Arquivo da Coluna

Arquivo 2019 Arquivo 2018 Arquivo 2017

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube