Fechar

Fechar

Arimatéa Souza

sábado, 14/07/2018

Inspiração celestial

´Meu nome é tchau´

“A decisão (de concorrer) veio da constatação de que é necessário que se encerre esse divórcio entre o Estado e a Nação. Infelizmente, a classe política, na sua maioria, não está interpretando corretamente a mudança demográfica que está acontecendo no coração do eleitorado. Imaginei que esse era o momento de diminuir esse fosso, mas percebi que a coisa estava caminhando para uma luta quixotesca, com poucas perspectivas”.

Eis a justificativa verbalizada ontem pelo empresário Flávio Rocha (Lojas Riachuelo) para justificar a sua desistência de concorrer à Presidência da República.

Diagnóstico

Posteriormente, o ex-presidenciável declarou à imprensa que “eu e o meu partido, o PRB, entendemos que o Brasil passa por um momento turbulento, que não pode flertar com os extremos”.

Botar a cara

“Sou um crítico do empresário moita, aquele que se acovarda, e não me sentiria em paz se tivesse me omitido nesse momento crucial”, bradou Rocha.

´Herança´ 

Na visão do secretário executivo de Planejamento do Estado, Fábio Maia, a atual Reitoria da UEPB “paga um preço muito grande por alianças (internas) que fez e teve que honrar coisas que não foram tão republicanas”.

Na defensiva 

Maia também avaliou, em entrevista à Rádio Caturité, que alguns governos estaduais, anteriores à atual gestão, “ficaram reféns” de algum tipo de pressão do comando da Universidade”.

´Magia´ 

“Estamos num período de crise, que tem que ser compartilhado por todos os poderes e órgãos estaduais”, enfatizou Fábio Maia, que acrescentou: “Algumas pessoas (e gestores) pensam que o poder público é um saco onde se coloca a mão e sempre tem dinheiro”.

De papel…

Após avaliar como muito positivos os contatos na quinta-feira com os governadores Paulo Câmara (PE) e Ricardo Coutinho (PB), a presidente nacional do PT, senador Gleisi Hoffmann (PR) passou a defender, ontem, uma coligação formal (e nacional) com o PSB, e não somente a liberação dos diretórios socialistas para as coligações estadualizadas.

… Passado

“A nossa posição é de uma coligação formal. A nossa resolução diz exatamente isso, que as alianças a serem construídas de forma prioritária com PSB e PCdoB são alianças formais. Nós queremos que estejam na chapa, estejam junto na chapa com o presidente Lula. (O desejo do PT) não é que eles liberem os Estados”, afirmou Gleisi.

Resolução

A Câmara campinense informou que os antigos problemas no fornecimento de energia elétrica para a ´Casa de Félix Araújo´ estão sendo enfrentados e resolvidos pela atual mesa diretora, mediante um projeto já remetido (e aprovado) à Energisa, que será executado no menor espaço de tempo possível.

Empresariado

O pré-candidato a governador pelo PV Lucélio Cartaxo vai participar de uma reunião com diretores da Associação Comercial de Campina Grande e empresários locais na próxima segunda-feira, às 10h, no auditório da entidade.

Apuração

A Procuradoria Geral do Município de Campina Grande solicitou ao Ministério Público da Paraíba a apuração do ´caso´ das perfurações com agulhas no Parque do Povo, durante a realização do Maior São João do Mundo.

Destino

O pedido, formulado pelo procurador José Fernandes Mariz, é direcionado ao Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado).

Largada

O Avante fará um encontro, no começo da tarde de hoje (avenida Manoel Tavares), em Campina Grande, ocasião em que será lançada a pré-candidatura a deputado federal de seu presidente na cidade, o ex-deputado Álvaro Gaudêncio Neto.

Imponderável

O deputado estadual Arnaldo Monteiro disse ontem que, no momento, “é impossível” até mesmo apontar uma tendência de coligação para o PSC nas eleições deste ano na Paraíba. “Não estamos convictos ainda”, frisou.

Na oposição

Apenas estão consolidadas as alternativas Lucélio Cartaxo (PV) ou José Maranhão (MDB).

Rapidez

Monteiro entende que essa indefinição não deve prosperar por muito tempo: “Não podemos ficar reféns das decisões de outros partidos”.

Tanto faz

Pessoalmente, o parlamentar disse que “tenho mais proximidade” com Maranhão, mas ressalvou que nada impede “uma maior proximidade” com Lucélio”.

Partiu cedo

Na ´Campina FM´, Arnaldo antecipou que desde já é pré-candidato a prefeito de Esperança nas eleições de 2020, razão pela qual será substituído na disputa deste ano pelo seu filho, Anderson Monteiro.

Preliminar

O deputado do PSC sublinhou que na movimentada política esperancense, “a eleição para deputado é o termômetro da eleição seguinte para prefeito”.

Sábado é dia de poesia

“Era uma vez/ O dia em que todo dia era bom/ Delicioso gosto e o bom gosto/ Das nuvens serem feitas de algodão/ Dava pra ser herói/ No mesmo dia em que escolhia ser vilão/ E acabava tudo em lanche, um banho quente/ E talvez um arranhão/ Dava pra ver/ A ingenuidade, a inocência cantando no tom/ Milhões de mundos e universos tão reais/ Quanto a nossa imaginação/ Bastava um colo, um carinho/ E o remédio era beijo e proteção…” (música Era uma vez, Hell Smith).

Invocação

Enquanto o PSB e demais legendas aliadas aguardam o ´sim´ do PP, Ricardo Coutinho buscou inspiração bíblica para traduzir, ontem, esse compasse de espera: “Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu”, reproduziu o livro Eclesiastes.

Sob medida

“Há tempo para semear e colher, e o nosso tempo está se desenvolvendo, se desenrolando de acordo com as projeções que nós fizemos. Nós vamos ter uma chapa representativa politicamente, geograficamente e que possa dar à Paraíba a continuidade das mudanças que o Estado precisa, porque não se pode voltar à época em que ninguém via o dinheiro do povo”, discorreu adicionalmente RC.

Por etapas

O socialista assinalou que o pré-candidato a governador João Azevedo “vai ter companhias adequadas, corretas. Nos próximos dias todos terão a ansiedade aplacada com o anúncio primeiro dos senadores, e depois da vice-governadoria”.

 

Começaram as desistências. A fila parece grande...
Simple Share Buttons

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube