Jornalista há quase 30 anos, escreve a coluna Aparte desde 1991. Já trabalhou em TV, rádio e foi editor chefe do Jornal da Paraíba e colunista das TVs Cabo Branco e Paraíba. É comentarista político das rádios Campina FM, Caturité AM e editor do portal de notícias Paraibaonline.

terça-feira, 29/08/2017

Grande interrogação

A ´raposa´ ressurge

Após um longo tempo de ´hibernação´, o senador José Maranhão, presidente do PMDB no Estado, está de volta à superfície, surfando numa conjuntura política que lhe parece pra lá de favorável.

Sob o pretexto de agradecer um elogio que foi feito à sua pessoa por Ricardo Coutinho, publicamente, Zé acendeu os sinais de alerta nos partidos que formam a chamada ´frente de oposição´, no tocante à esperada participação do PMDB nesse aglomerado que se junta tendo como denominador comum a aversão política (e até pessoal) ao atual governador.

Disponível

“Estou à disposição do partido e do povo da Paraíba. Não faz sentido uma candidatura forte partidariamente, se não tem o respaldo popular (…) Há muito nosso nome vinha pontuando bem nas pesquisas. Uma candidatura não pode começar pelo candidato, tem que começar pelo povo”, verbalizou, ontem, em entrevista.

Degelo

Sobre a retomada da convivência com RC, Maranhão relatou que “eu e o governador, por quem eu tive sempre muito respeito, não conversamos sobre assuntos políticos. Mas liguei há três semanas para ele pelas referências elogiosas que fez a mim como liderança politica. Foi uma conversa natural e leve. Mas nada impede que conversemos”.

Altruísta

O senador quis se mostrar acima da média na atual crônica política estadual: “Temos que fazer a discussão politica se subordinar àquilo que é do interesse do Estado”.

Balizamento

“Se tivermos essa conversa – o governador já me convidou para conversar -, essa conversa será pautada por esses princípios”.

Finita

Maranhão grifou, em declaração à ´Arapuan FM´, uma frase emblemática: “Ninguém faz aliança perpétua”.

Nada compulsório

JM foi ainda mais incisivo: “Eu não tenho nenhuma obrigação, nem o PMDB tem essa obrigação, de apoiar a candidatura de Luciano Cartaxo ou de quem quer seja. O PMDB discute essa questão, que está em pauta”.

Ponto de coesão

O senador reafirmou que “a prioridade é candidatura própria. O PMDB não abre mão disso.

Não ter candidatura própria significa dividir o partido”.

Réplica

Romero Rodrigues (PSDB-CG) reagiu duramente, ontem, às críticas da véspera feitas por Ricardo Coutinho: “Para o pior governador da história da cidade, Coutinho se supera em sua capacidade de colocar Campina em sua pauta apenas quando quer espalhar mentiras, agredir o povo campinense e gerar conflitos artificiais por meros interesses eleitoreiros”.

Quem é devedor

Sobre a alegada dívida de R$ 200 milhões da PMCG junto à Cagepa, o prefeito afirmou que “velhaco é um governo que nunca firmou um só convênio com Campina Grande; se limitou a dar ´esmolas´ pro município e ampliou uma dívida histórica com a segunda maior cidade do Estado”.

Revide

“Talvez ele (RC) até aposte que o povo de Campina é desinformado ou pouco inteligente para engolir esse tipo de mau-caratismo midiático. Mas Campina tem dado o devido troco nas urnas e na avaliação desse governo de enganação e de fachada republicana”.

 

Culpados

Em entrevista ontem, no Rio Grande do Norte, o ex-presidente Lula disse que “acho que esses meninos da (operação) Lava Jato têm responsabilidade com a morte dela (sua esposa Marisa Letícia). Porque você não pode dedicar uma vida inteira a cuidar do filho, fazer política de solidariedade, e de repente, da forma mais banal possível, mais cretina, ser tachada de corrupta”.

Sem ponto final

Lula avançou: “Esses meninos criaram uma mentira, fizeram um power point da mentira, fizeram uma história e agora não sabem como sair dessa historia.”

Magistrada

A juíza Aparecida Sarmento Gadelha, presidente da Associação dos Magistrados da Paraíba, é a entrevistada de hoje no programa ´Ideia Livre Política & Economia´, que começa às 22h15 na TV Itararé – canal 18.1 (HD) e 19 (analógico), além do endereço eletrônico www.itarare.com.br

Troca de…

O tradicional restaurante Boteco, localizado na avenida Manoel Tavares, bairro do Alto Branco, em Campina Grande, encerrou as suas atividades.

… Comando

No local deverá ser instalada outra iniciativa gastronômica, pertencente ao empresário Marcelo Martins (um dos sócios do tradicional restaurante Manoel da Carne de Sol), que ainda não definiu a concepção do novo empreendimento.

Saudade

“Só posso dar graças a Deus por ter vivido quase 30 anos na Paraíba. O Nordeste me fez um bem imenso, derrubou preconceitos, dilatou em mim ´os espaços de amor´, me faz mais humano e mais cristão”.

Dom José Maria Pires, quando se despedia do comando da Arquidiocese da Paraíba.

Interpretação

Na avaliação do deputado Veneziano (PMDB), o presidente Michel Temer (PMDB) “tomou como um afronta pessoal” o fato de ele ter votado pela continuidade das investigações contra o governo, dias atrás, na Câmara Federal.

Desplugadas

O ´V´ comentou que a possibilidade de reaproximação de José Maranhão com Ricardo Coutinho “não muda absolutamente nada” nas suas cogitações em deixar ou não o PMDB.

Se…

Veneziano reiterou que “se o PMDB tiver candidato (a governador), contará com o meu apoio”.

´Me dê motivos´

Por sinal, o deputado observou que “até agora não identifiquei motivos suficientes para que ocorresse esse afastamento (entre o PMDB e o governador)”, uma aliança firmada no 2º turno das eleições de 2014.

´DNA´ socialista

Ao avaliar o quadro sucessório na angulação governista, o peemedebista disse ontem na ´Campina FM´ que “o candidato” de Ricardo “só não será do PSB se esse candidato não for minimamente competitivo”.

Dúvidas sobre socialista

Ato contínuo, Veneziano se permitiu um comentário sobre o pré-candidato socialista João Azevedo: “João é uma incógnita. É um conhecedor profundo da realidade administrativa do Estado. Tem uma formação técnica louvável. Agora, não saberei dizer politicamente”.

O que os petistas acharam da reaproximação de Lula com Renan Calheiros?...
Simple Share Buttons