Fechar

Fechar

Arimatéa Souza

segunda-feira, 18/07/2016

Gestação da reforma previdenciária

Diálogo direto

Há poucos dias, o presidente interino Michel Temer (PMDB) recebeu em audiência os representantes de Associações Comerciais de todo o Brasil.

“Podemos sentir de perto o sentimento dele e da equipe econômica”, enfatizou o empresário Álvaro Barros, presidente da Associação Comercial de Campina Grande, que representou a Paraíba nesse encontro.

À espera

Os empresários escutaram de Temer que ele aguarda o desfecho, no Senado Federal, do processo de impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff (PT) para “a tomada de decisões mais profundas”.

Sem elevação

Os interlocutores do presidente sentiram – conforme Álvaro – que ele “tem a visão clara de que não é o momento propício para aumentar impostos”.

Parcelamento

Foi solicitado na ocasião um novo Refis, para que o empresariado nacional possa retomar a regularidade tributária, que muitas empresas perderam em função do desabamento das vendas em decorrência da retração da atividade econômica.

Em mãos

Álvaro Barros aproveitou o ensejo e entregou ao presidente um relatório detalhado da situação hídrica de Campina Grande e região, preparada por uma equipe de professores e especialistas, com a participação do vereador Antonio ´Lula´ Cabral (PMB), representando o Poder Legislativo local.

Repasse

Temer determinou a distribuição de cópias do documento com três ministérios distintos.

Cronologia

Recente reportagem do jornal Valor Econômico (SP) informa que o reservatório de Poções (Eixo Leste da transposição do Rio São Francisco, que vai atender Campina Grande) será enchido em abril de 2017.

Prioridade

Na mesma matéria, o ministro da Integração Nacional, Hélder Barbalho, afirmou que o presidente Michel Temer “determinou que essa seja a obra central do governo, e que temos que garantir que esteja concluída até o fim do ano (obras físicas)”.

Garimpo

“O Brasil anseia por poetas videntes e profetas analíticos; por estadistas capazes de construir democrática e conscientemente, sem bravatas nem estridências, os sonhos inconscientes da nação. O Brasil tem fome de futuro”.

Prefácio do novo livro do economista e filósofo Eduardo Giannetti da Fonseca.

Projeções

A direção do PDT na Paraíba informou que o partido tem cerca de 12 candidatos a vereador em Campina Grande e seis em João Pessoa.

 

O detalhe

Em CG, está a cargo dos candidatos a definição da coligação proporcional.

Devassa

Uma auditoria nas dívidas da Prefeitura de Campina Grande.

Eis a principal proposta do pré-candidato a prefeito pelo PSOL, professor David Lobão.

Ações imediatas

Ele defende também incentivos aos pequenos e micro empresários; subsídios aos pequenos investidores; e a promoção permanente dos festejos juninos, através de um espaço exclusivamente reservado para o autêntico forró.

Sem complicação

“O problema mais fácil de ser resolvido” na cidade é a área de Saúde, garante Lobão, para emendar uma expressão: “Basta organização!”

Da boca de…

“… Não fui eu que saí do PT, foi o PT que saiu de mim. O partido mudou a visão da sociedade, a sua maneira de atuar. O Brasil merece um tempo de silêncio do PT. Foi o PT que escreveu a esperança no catálogo das virtudes políticas e fez as pessoas perderem a esperança com a política. É evidente que não é uma crise do PT como um todo. Não é uma crise dos petistas, é uma crise de parte dos petistas…” (Paulo Delgado, que foi deputado federal por seis mandatos pelo PT).

Artilharia

Na recente solenidade de adesão de três partidos (PSL, PRP e PRTB) ao prefeitável do PSB/CG, deputado Adriano Galdino, um dos mais contundentes pronunciamentos foi o da presidente do PRP/PB, Maria da Luz: “Campina está cansada de discursos vazios”.

Enganada

Da Luz registrou a sua condição de ex-aliada na cidade do PSDB: “Achava que as pessoas estavam falando sério. Mas já passamos da fase do pão e circo”.

A dirigente do PRP prosseguiu: “Na Saúde é só cal para tirar retrato”.

Enclausurados

Maria da Luz acrescentou um recado aos vereadores campinenses da atual legislatura: “Vocês precisam sair de dentro da Câmara”.

Tripé da reforma

O secretário de Previdência Social, Marcelo Caetano, disse em entrevista ao jornal O Globo que a proposta de reforma previdenciária deve ser dividida em três grupos: jovens que ainda não fazem parte do mercado de trabalho ou chegaram há pouco; pessoas que acumulam entre dez e 20 anos de trabalho; e aquelas que têm condições mínimas para se aposentar ou atingirão as exigências até a aprovação das medidas.

O Supremo desistiu de julgar os processos polêmicos à espera de pauta?...
Simple Share Buttons

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube